Encorajamento para dias difíceis (I)

Warren W. Wiersbe

 

Título original: São os montículos que te fazem escalar    

Dos Editores:

     Nós não podemos prever as horas de crise da vida. Mas podemos vivê-las com sucesso. Assim diz Warren Wiersbe. Ele continua a encorajar os Cristãos que são surpreendidos por depressão, sofrimento, solidão, e desilusão. Não são apresentadas quaisquer panaceias. Em vez disso, de modo convidativo, ele apresenta a sólida esperança e consolo da Palavra de Deus.

          Estas breves meditações incendiarão o optimismo dado por Deus para encarar um novo dia ou uma nova semana. O desencorajado pode tomar ânimo, o derrotado pode encontrar nova esperança no amor de Cristo, e o frustrado pode aprender a lidar triunfantemente com circunstâncias aparentemente esmagadoras.

     Warren W. Wiersbe é autor de mais de uma centena de livros.    


Prefácio

     Todos nós precisamos de uma palavra de encorajamento da parte do Senhor durante estes dias difíceis. E todos nós necessitamos de partilhar com outros essa palavra de encorajamento.

     A ênfase nestas breves mensagens está no encorajamento. Oro para que estas meditações fortaleçam o seu coração, edifiquem a sua fé, aumentem o seu amor, e tornem mais cintilante a bem-aventurada esperança da vinda do nosso Senhor.

     Estas mensagens foram apresentadas originalmente em “Cânticos Noturnos,” ministério radiofónico mundial da Igreja Moody, em Chicago. Foi meu privilégio servir ali durante sete anos e ser locutor regular na rádio, na sua difusão semanal.

     Excetuando pequenas revisões insignificantes, estas mensagens são aqui impressas exatamente como foram radiodifundidas. Isto explica o estilo informal e algumas repetições ocasionais.

     Espero que a Palavra de Deus anime o seu coração, e que o leitor, por sua vez, anime outrem.

Warren W. Wiersbe

São os montículos que te fazem escalar

     Um rapazito conduzia a irmã por um trilho de montanha e o caminho não era muito fácil. “Isto não é nenhum caminho de jeito,” queixou-se a irmã. “Está cheio de pedras e montículos.” E o irmão respondeu, “Certo, os montículos são o que te faz escalar.” Que fragmento notável de filosofia! O que é que o leitor faz com os montículos da senda da vida?

     Há muitos anos que sou um leitor de biografias, e ainda não encontrei uma pessoa de sucesso cuja vida estivesse livre de problemas e dificuldades. Ao olhar para essas pessoa à distância, pode pensar que ao conseguirem-no, a vida foi fácil para elas. Mas ao aproximar-se mais, descobre que a sua escalada ao topo da montanha não foi nada fácil. O caminho era pedregoso e sinuoso, mas foram os montículos que os fizeram escalar para conseguirem chegar ao cimo.

     Nós não temos de ler muito na Bíblia para descobrirmos esta verdade. Abraão certamente que não se tornou num grande homem de fé do dia para a noite. Ele teve de passar por alguns testes de dificuldade na senda da vida antes de alcançar o topo da montanha. Quando Abraão chegou a Canaã havia fome na terra. Imagine enfrentar uma fome na terra que Deus lhe prometeu a si! Depois Abraão teve problemas com o seu sobrinho, Lot; e depois surgiu a guerra na terra, e Abraão teve de sair e combater. A mulher dele desviou-o com um mau conselho e o resultado foi o nascimento de Ismael, um rapaz que trouxe dor ao coração de Abraão. Finalmente, Isaque, o filho prometido, nasceu, trazendo grande alegria a Abraão e Sara. Depois Deus pediu a Abraão que este colocasse Isaque sobre o altar, um sacrifício que seria difícil para qualquer pai ou mãe. Sim, houve muitos montículos naquele caminho, mas Abraão usou-os para subir mais alto.

     Se alguém caminhou por um caminho pedregoso, foi José. Ele foi mimado pelo pai, odiado pelos irmãos, vendido como escravo, falsamente acusado, colocado na prisão, esquecido, e aparentemente abandonado. Mas os montículos no caminho ajudaram-no a subir mais alto, e um dia José tornou-se no segundo que mandava em todo o Egipto. Moisés teve uma experiência semelhante, e assim David, Daniel, e Paulo. Eis aqui pessoas que não se queixaram do caminho; que aceitaram as dificuldades da vida e as usaram como degraus para alcançarem o cume da montanha.

     Eu não sei por que dificuldades está a passar exatamente neste momento, mas conheço alguns dos sentimentos que tem, porque eu próprio tenho estado neste caminho sinuoso. Sente-se como que a claudicar, como que a desistir. Não compreende porque é que o caminho não se torna mais fácil, porque é que Deus não remove as pedras e não alisa o caminho. Se Deus fizesse isso, nunca poderia alcançar o topo, porque são os montículos que o fazem escalar.

     O Salmo 91 diz, “Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Omnipotente descansará.” Trata-se de um salmo que magnifica o cuidado que Deus exerce sobre os Seus filhos. Onze diferentes espécies de perigos são nomeados neste salmo – guerra, armadilhas, doença, terrores noturnos, setas de dia, e outros – no entanto Deus diz que pode proteger-nos de todos eles. Isto não significa que nós nunca experimentaremos acidentes ou ferimentos; mas significa que independentemente do que aconteça na vontade de Deus, todas as coisas contribuem conjuntamente para bem.

     Uma das maiores promessas encontradas no Salmo 91 tem a ver com as pedras no caminho. “Porque aos Seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.” Deus não promete remover as pedras do caminho, mas Ele promete torná-las degraus e não tropeços.  Ele promete ajudar-nos a subir mais alto por causa das dificuldades da vida.

     A maior parte de nós reage às pedras no caminho de uma forma previsível. Queixamo-nos delas; chutamo-las e só nos magoamos. Tentamos apanhá-las e vermo-nos livres delas, somente para descobrirmos que elas são demasiado pesadas para nós. Nem sempre as podemos tornear, e interrogamo-nos se as conseguimos ultrapassar. Algumas pessoas simplesmente param e não avançam mais. Outras desistem e voltam para trás. Mas o filho de Deus não tem de se deter nem de voltar atrás: ele pode usar os lugares pedregosos na vida como degraus para subir mais alto.

     O problema com a maioria de nós é que estamos acostumados a estradas pavimentadas e caminhos nivelados. Mas os caminhos da vida não são assim. Por vezes o caminho é nivelado e fácil, ouvem-se os pássaros a cantar e a senda é maravilhosa. Porém por vezes o caminho é pedregoso e sinuoso, e não se ouve música nem se sente mão que ajude. Então o que fazemos? Queixamo-nos? Desistimos? Não, nessa altura é tempo de recordar a promessa de Deus: “Porque aos Seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.” O exército invisível de Deus está ao seu serviço, e Deus pode acompanhá-lo.

     Charlie Brown, na banda cómica “Peanuts” é um dos meus personagens favoritos. Num episódio particular, ele queixa-se porque a sua equipa perde sempre os seus jogos. Lucy procura consolá-lo dizendo, “Charlie Brown, lembra-te que aprendes mais com as tuas derrotas, do que com as tuas vitórias.” E Charlie Brown responde, “Isso torna-me no homem mais perspicaz do mundo!”

     Se a vida não fosse senão uma série de derrotas, todos nós desanimaríamos. Deus sabe como equilibrar as nossas vidas de modo a que tenhamos dias radiosos e chuvosos, de calmaria e de tempestade, de risos e de lágrimas. Na senda da vida há troços nivelados que nos deliciam, e há troços difíceis que nos desafiam. Se saímos da senda da vontade de Deus e nos desviamos, o caminho tornar-se-á áspero do princípio ao fim. O desvio é sempre mais áspero do que a estrada principal. Mas há calhaus e montículos mesmo nas sendas da escolha de Deus, e temos de aprender a aceitá-los e a beneficiar deles. São os montículos que o fazem escalar.

     Todavia isto exige fé. É muito mais fácil chutar a pedra e torneá-la e voltar para trás. O segredo desse subir mais alto está em retirar os olhos de si mesmo e das suas dificuldades, e olhar pela fé para Jesus Cristo. Ele sabe onde está, como se sente, e o que pode fazer. Coloque tudo sobre Ele e comece a andar pela fé. As próprias pedras que parecem barreiras aos olhos humanos, tornam-se em bênçãos aos olhos da fé. Dê ouvidos às promessas do Salmo 91:15: “Ele Me invocará, e Eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei [ou, honrarei].”

     Se alguém enfrentou obstáculos na senda da vida, foi o nosso Senhor Jesus Cristo. Ele nasceu numa família pobre, era membro de uma raça minoritária rejeitada. Cresceu na obscuridade numa pequena cidade que era mencionada apenas com desdém – “Pode vir alguma coisa boa de Nazaré?” Ele reuniu em torno de Si um pequeno grupo de homens indistintos, e um deles tornou-se traidor e vendeu-O pelo preço de um escravo. Ele foi chamado mentiroso,  glutão, bêbado, homem associado ao diabo.  Os homens torceram as Suas palavras e questionaram os Seus motivos, no entanto Jesus Cristo continuou a fazer a vontade de Deus. Finalmente, Ele chegou diante da maior pedra de todas – ser crucificado como um assaltante comum.  Porém Ele continuou a subir àquela montanha, e Deus deu-Lhe a vitória.

     É por isso que o escritor do Livro de Hebreus incita-nos a olhar para Jesus Cristo e a continuarmos a confiar. “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual pelo gozo que Lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a afronta e assentou-Se à destra do trono de Deus.” Nós não devemos olhar para nós mesmos, as nossas circunstâncias, os nossos problemas, ou os montículos no caminho, mas para Jesus.

     Sim, são os montículos que o fazem escalar.     
São os montículos que te fazem escalar
 Encorajamento para dias difíceis

Warren W. Wiersbe

Encorajamento para dias difíceis (I)
Encorajamento para dias difíceis (II)
Encorajamento para dias difíceis (IIII)
Encorajamento para dias difíceis (IV)
Encorajamento para dias difíceis (V)
Encorajamento para dias difíceis (VI)
Encorajamento para dias difíceis (VII)
Encorajamento para dias difíceis (VIII)
Encorajamento para dias difíceis (IX)
Encorajamento para dias difíceis (X)
Encorajamento para dias difíceis (XI)
Encorajamento para dias difíceis (XII)
Encorajamento para dias difíceis (XIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIV)
Encorajamento para dias difíceis (XV)
Encorajamento para dias difíceis (XVI)
Encorajamento para dias difíceis (XVII)
Encorajamento para dias difíceis (XVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIX)
Encorajamento para dias difíceis (XX)
Encorajamento para dias difíceis (XXI)
Encorajamento para dias difíceis (XXII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIV)
Encorajamento para dias difíceis (XXV)
Encorajamento para dias difíceis (XXVI)
Encorajamento para dias difíceis (XXVII)
Encorajamento para dias difíceis (XXVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIX)
Encorajamento para dias difíceis (XXX)

Sermões e Estudos

José Carvalho
Firmados na Verdade

Tema abordado por José Carvalho em 05 de abril de 2020

Carlos Oliveira
A desorientação dos incrédulos

Tema abordado por Carlos Oliveira em 03 de abril de 2020

Fernando Quental
O que fazer em tempos difíceis

Tema abordado por Fernando Quental em 29 de março de 2020

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 3:4 em 01 de abril de 2020

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário