Encorajamento para dias difíceis (XI)

Warren W. Wiersbe

 

Mel saído da Rocha

     Uma das promessas que Deus dá aos Seus filhos, registada no Salmo 81:16, é que Ele nos saciará “com o mel saído da rocha.” Certamente que nós sabemos que o mel é talvez a coisa mais doce que a natureza pode produzir; e a rocha é uma das coisas mais duras da natureza. Assim, nós temos aqui doçura proveniente da dureza – “mel saído da rocha.” Esta é uma das promessas de Deus, e deve reclamá-la para si.

     No Salmo 81:16 Deus não está a falar em termos literais; nós tiramos mel do favo de mel ou de um pote. O Senhor está a dizer algo muito mais profundo: “Na vida vais ter lugares duros; vais ter de te deparar com rochas. Mas não desanimes: Eu vou-te dar mel saído da rocha. Vais experimentar doçura saída das experiências duras da vida.”

     Eu costumava interrogar-me sobre porque é que Deus não removia as rochas da senda da vida. Certamente que nenhum de nós gosta de passar por lugares duros, e se Deus realmente nos amava, Ele iria à nossa frente e removeria as rochas. Bem, eu tenho crescido alguma coisa, e vindo a tomar consciência de que Deus sabe o que está a fazer. Nós não apreciamos as rochas, mas apesar disso precisamos delas. Estou certo de que tem aprendido, como eu, que algumas das experiências mais doces da vida têm acontecido por causa das rochas.

     Certamente que isto aconteceu com pessoas nos dias bíblicos. Penso no jovem José que não parecia ter mais nada que não rochas durante treze anos. Primeiro foi odiado pelos próprios irmãos. Depois foi vendido para o Egipto como escravo. Depois, porque ele não quis pecar, foi lançado na prisão, e aparentemente esquecido. Foi exactamente de uma experiência rochosa após outra, e aparentemente sem propósito algum! Mas quando aquilo acabou – quando Deus cumpriu os Seus propósitos – José descobriu mel saído da rocha. Estas experiências duras prepararam-no para se tornar servo de Deus e o governante número dois do Egipto.

     David teve experiências semelhantes. Ele foi ungido rei de Israel, apesar de ter sido perseguido como um criminoso comum. O rei Saul odiava-o e tentou matá-lo. David teve de fugir de sua casa e viver em cavernas. Se houve alguém que passou por experiências rochosas, foi David. Suponho que mais do que uma vez David teve as suas dúvidas e ouviu o inimigo dizer, “Não vale a pena servir o Senhor. Porque não desistes? Deus prometeu-te um reino e tudo o que tu tens obtido até agora é rochas e cavernas.” David não cedeu e um dia Deus deu-lhe mel saído da rocha. De facto, muitos dos salmos que hoje animam o nosso coração nasceram das difíceis experiências de vida de David.

     Um dos testes de maturidade é como uma pessoa desfruta da vida. Alguns conseguem os seus prazeres fazendo o que está errado, e, certamente, este é o modo mais baixo possível de se viver. Outros conseguem os seus prazeres evitando responsabilidades e dificuldades, e abrigando-se e protegendo-se. Esta abordagem à vida nunca pode tornar uma pessoa forte e madura. O Cristão maduro não procura deliberadamente dificuldades, mas também não foge delas. Em vez disso aceita-as na vontade de Deus e pede ao Senhor que lhe dê “mel saído da rocha.”

     Tenho notado que muitos dos salmos têm três divisões: lágrimas, confiança, e triunfo. O salmo começa com lágrimas e tribulação, e o salmista clama a Deus. Depois retira os seus olhos de si mesmo e das suas dificuldades e olha para Deus em fé. Quando o faz uma coisa maravilhosa acontece: as suas tribulações são substituídas por triunfo, e os seus suspiros convertem-se em cânticos. Ele tem descoberto mel saído da rocha.

     É isto que Tiago tenta ensinar-nos logo nos primeiros versículos da sua carta, quando escreve: “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações: Sabendo que a prova da vossa fé obra a paciência …” As tribulações não operam contra nós; elas operam a nosso favor! Tiago está a dizer, “Não corras em torno das rochas, nem fiques ali parado à espera que Deus as remova. Em vez disso, olha para o mel que seguramente sairá da rocha!” Paulo diz a mesma coisa quando escreve, “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por Seu decreto.” (Rom. 8:28). Independentemente do número de rochas que possamos encontrar na senda da vida, podemos encontrar sempre “mel saído da rocha” se entregarmos tudo ao Senhor.

     Neste preciso momento pode estar a passar por um lugar duro. Tem estado a fazer fielmente o seu trabalho e está a lutar com uma rocha, e esta não se move. Peça a Deus que lhe dê mel saído da rocha. Há sempre doçura que sai da dureza quando se permite que o Senhor tenha caminho livre.

     Toda a gente tem de ter um sistema para lidar com os lugares duros da vida. Algumas pessoas tentam ignorá-los e pretendem que não existam, e, é claro, isto só torna esses lugares ainda mais duros. Outras pessoas simplesmente desistem e esperam que os seus amigos os ajudem. É maravilhoso ter amigos, e devemos levarmos as cargas uns dos outros, mas não podemos esperar que eles façam por nós o que nós não quisemos fazer por nós mesmos.

     Certamente que já considerou as dificuldades por que Jesus passou quando viveu aqui na terra. Ele nasceu numa família pobre e realmente nunca possuiu muito que pudesse chamar de Seu. Ele nasceu numa raça desprezada e rejeitada, um grupo minoritário, que naquele tempo, estava sob o calcanhar de ferro de uma potência estrangeira. Sempre que Jesus tentava fazer o bem, alguém tentava transformar isso em mal. Se Ele Se detinha para perdoar a um pecador,  Ele era chamado “amigo dos publicanos e dos pecadores.” Se Ele comia uma refeição com um amigo, Ele era chamado “comilão e beberrão.” Ele dizia a verdade e foi chamado mentiroso. Ele manifestou o poder de Deus, e os líderes religiosos disseram que Ele estava coligado ao diabo. Independentemente da direcção que tomasse ou o que quer que fizesse, Ele enfrentava situações duras.

     Porém Jesus nunca fugiu dos lugares duros da vida. Ele sabia que estava a fazer a vontade do Pai, por isso aceitou as rochas e o mel que estava nelas. Um dia Ele disse aos Seus discípulos quando estes Lhe ofereceram comida, “A minha comida é fazer a vontade d’Aquele que Me enviou, e realizar a Sua obra.” Ele encontrou mel na rocha, e esse mel saciou-O.

     Sim, Jesus enfrentou as rochas da vida, e finalmente os homens arrastaram-No para fora da cidade e crucificaram-No numa rocha, um monte chamado calvário, um lugar que se assemelhava a uma caveira. E depois os Seus amigos tomaram o Seu cadáver e colocaram-No numa rocha – a sepultura nova de José – ficando ali três dias. Mas a seguir Ele ressuscitou dos mortos! Do monte do Calvário e da sepultura flui o doce mel da salvação – mel saído da rocha!

     Já confiou em Cristo como seu Salvador? Deus diz, “Provai, e vede que o Senhor é bom!” Uma vez que conheça Cristo como seu Salvador e Senhor, pode enfrentar os lugares duros da vida com confiança e coragem, porque Deus dar-lhe-á “mel saído da rocha.”      
São os montículos que te fazem escalar
 Encorajamento para dias difíceis

Warren W. Wiersbe
Encorajamento para dias difíceis (I)
Encorajamento para dias difíceis (II)
Encorajamento para dias difíceis (IIII)
Encorajamento para dias difíceis (IV)
Encorajamento para dias difíceis (V)
Encorajamento para dias difíceis (VI)
Encorajamento para dias difíceis (VII)
Encorajamento para dias difíceis (VIII)
Encorajamento para dias difíceis (IX)
Encorajamento para dias difíceis (X)
Encorajamento para dias difíceis (XI)
Encorajamento para dias difíceis (XII)
Encorajamento para dias difíceis (XIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIV)
Encorajamento para dias difíceis (XV)
Encorajamento para dias difíceis (XVI)
Encorajamento para dias difíceis (XVII)
Encorajamento para dias difíceis (XVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIX)
Encorajamento para dias difíceis (XX)
Encorajamento para dias difíceis (XXI)
Encorajamento para dias difíceis (XXII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIV)
Encorajamento para dias difíceis (XXV)
Encorajamento para dias difíceis (XXVI)
Encorajamento para dias difíceis (XXVII)
Encorajamento para dias difíceis (XXVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIX)
Encorajamento para dias difíceis (XXX)

Sermões e Estudos

Dário Botas
Divide bem a Palavra da verdade

Tema abordado por Dário Botas em 12 de julho de 2020

Carlos Oliveira
Solidão

Tema abordado por Carlos Oliveira em 10 de julho de 2020

José Carvalho
Salmo 1

Tema abordado por José Carvalho em 05 de julho de 2020

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 3:10 em 08 de julho de 2020

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário