Encorajamento para dias difíceis (XXII)

Warren W. Wiersbe

 

Grandes lições de coisas pequenas

     Nós ficamos demasiado impressionados com o tamanho. Se algo é pequeno e discreto, temos a ideia de que não é importante; mas se é grande e ruidoso, então deve ser importante. Mas Deus não mede a vida do mesmo modo que nós. De facto, algumas das coisas pequenas na Bíblia ensinam-nos grandes lições.

     O profeta Zacarias um dia formulou uma questão interessante: “Porque, quem despreza o dia das coisas pequenas?” Ele estava a tentar encorajar a nação quando eles estavam a reedificar o seu templo em circunstâncias difíceis. O orçamento era baixo, o moral mais baixo ainda, e parecia que o trabalho nunca seria concluído. As pessoas estavam desanimadas porque todo o projecto parecia demasiado pequeno – simplesmente já não era o templo que tinha sido.

     Será melhor que tenhamos cuidado em não desprezar as coisas pequenas! Afinal, nós tivemos o nosso início neste mundo como bebés, totalmente dependentes dos outros. Quando Deus quis libertar o Seu povo do Egipto, Ele não enviou um exército – Ele enviou um bebé a uma família Judaica, e anos mais tarde, Moisés liderou o seu povo tirando-o da escravidão. Quando a nação mergulhou numa derrota espiritual e política, Deus enviou um rapaz chamado Samuel que um dia devolveu a nação à grandeza. E quando Deus quis libertar a humanidade do pecado, Ele enviou outro Bebé. Jesus Cristo veio como Bebé para um dia poder morrer na cruz por nós.

     Deus usa coisas pequenas para realizar grandes propósitos. Ele usou a vara de Moisés para derrotar os exércitos do Egipto. Ele usou a funda de David para vencer o gigante Golias. Gideão e os seus trezentos soldados usaram cântaros e archotes para derrotar o grande exército dos Midianitas. Raabe atou um pedaço de cordão vermelho do lado de fora da sua janela, e isso salvou a sua família. Um rapaz trouxe escassos pães e peixes a Jesus, e ele usou-os para alimentar milhares. Nunca despreze as coisas pequenas porque Deus pode usá-las para realizar grandes coisas.

     Pode pensar que é insignificante no grande plano de Deus, mas não é. É tremendamente importante para Deus – tanto que Jesus morreu por si, e o Espírito Santo vive no seu ser. Pode parecer pequeno aos seus próprios olhos, e isso é bom; pois Deus resiste aos soberbos mas dá graça aos humildes. Contudo, não permita que a sua humildade se torne pecado fazendo com que creia que não pode fazer nada para Deus. Deus pode usá-lo para O ajudar a realizar a Sua vontade aqui na terra.

     Deus não usa apenas coisas pequenas, mas Deus usa pequenos actos que nos parecem insignificantes a nós e aos outros. Quantas vezes tem feito alguma coisa boa e pensado, “Bem, ninguém sabe disto, e isto não adiantará muito.” Quão errados estamos! Não há nenhum acto de sacrifício ou de bondade que passe despercebido a Deus. Ele pode usar essas obras pequenas de amor Cristão e realizar grandes coisas.

     Por exemplo, penso no que Maria de Betânia fez por Jesus. Pouco tempo antes da Sua morte na cruz, Jesus e os Seus discípulos estavam a cear em casa de Maria, Marta e Lázaro. Maria entrou na sala com um vaso de perfume caríssimo, e ela derramou-o aos pés de Jesus como um acto de adoração cheio de amor. Ninguém fora daquela casa sabia o que ela fez. Na realidade, alguns dentro de casa criticaram-na por o ter feito. Porém Jesus defendeu-a e fez uma declaração admirável: “Em verdade vos digo que, onde quer que este Evangelho for pregado, em todo o mundo, também será referido o que ela fez para memória sua.” Este acto de adoração teve efeitos a nível mundial!

     O que quer que seja feito por amor a Cristo terá poder e influência por toda a eternidade. A viúva trouxe ao templo simplesmente duas pequenas moedas, que valiam menos do que um cêntimo; no entanto Jesus disse que ela deu mais do que as ofertas conjuntas de todos os ricos, e o seu acto de adoração foi uma bênção para as pessoas em todo o mundo durante muitos séculos. Nenhum acto sincero de adoração ou serviço é olvidado por Deus. Os homens podem desprezar as coisas pequenas, mas Deus encoraja-as; é nas coisas pequenas que a fidelidade de uma pessoa é realmente vista. Muitas pessoas não teriam nenhum problema em participar num grande evento público; mas quantas quererão servir a Deus e adorá-Lo num lugar pequeno onde ninguém esteja a observar?

     O Cristão a quem não se pode confiar coisas pequenas, nunca se poderá confiar coisas grandes! Jesus diz-nos que se formos fiéis no mínimo também seremos no máximo. Tudo isto significa que será melhor nós examinarmos os nossos valores e as nossas prioridades para não sermos apanhados a desprezar o dia das coisas pequenas.

     Quando Deus pergunta, “… quem despreza o dia das coisas pequenas?”Ele não está a dizer que as coisas permanecem pequenas. A Igreja em Jerusalém começou com 120 pessoas fiéis que oravam no cenáculo, e num espaço de poucas semanas o número aumentou para cinco mil pessoas. Se os crentes tivessem desprezado este grupo pequeno, nunca se teriam tornado numa grande igreja. Um dia um homem perguntou-me, “Quão grande pensa que deve ser uma igreja?” Eu respondi, “Tão grande quanto mereça ser.” Deus quer que a Sua igreja cresça; certamente que Ele quer ver as pessoas salvas do pecado. Em João 15, Jesus fala de “fruto … mais fruto … muito fruto.” Ele disse, “Nisto é glorificado Meu Pai, que deis muito fruto.”

     A fidelidade nas coisas pequenas conduzirá à bênção de coisas grandes. Porque David provou ser fiel ao cuidar das ovelhas do seu pai, Deus deu-lhe uma nação inteira para pastorear. Porque David confiou no Senhor em privado, quando matou o leão e o urso, Deus permitiu que ele matasse o gigante em público. Timóteo foi fiel como coadjutor de Paulo, e um dia tornou-se sucessor dele. Se formos fiéis nas coisas pequenas, Deus confiar-nos-á coisas maiores se for essa a Sua vontade.

     Mas há aqui um aviso: nem tudo o que é grande é necessariamente de Deus. É possível nós manufacturarmos o sucesso à nossa maneira e descobrirmos que Deus não está no terramoto ou no vento. A torre de Babel foi um grande sucesso até Deus enviar o Seu juízo e tudo aquilo se despedaçar. Alguns de nós talvez edifiquemos torres de Babel modernas e o juízo espreita à esquina.

     Uma vez que Deus usa as coisas pequenas, nunca se deixe influenciar pela avaliação dos homens. Eu gosto de ler biografias, e fico espantado ao ver como os homens e mulheres mais bem sucedidos foram ridicularizados e rejeitados quando inicialmente começaram a sua obra. William Carey teve a oposição de pregadores quando tentou iniciar uma agência missionária. Hudson Taylor foi gozado quando ousou ir sozinho para a China sem qualquer garantia de apoio doméstico. Quando D. L. Moody começou as suas pequenas reuniões em Inglaterra, ninguém sonhou que elas se tornariam numa tremenda força de Deus que moveu dois continentes, e eventualmente tocou todo o mundo. Os homens têm tendência de desprezar aquilo que é pequeno, por isso tenha cuidado em não seguir ideias de homens. Obtenha os seus valores de Deus.

     Nem todas as obras irão ser grandes aos olhos dos homens, sendo conhecidas em todo o mundo. Mas não é isso que é importante. O importante é que façamos o nosso trabalho bem feito de modo a ser grande aos olhos de Deus. Quando aqueles Judeus débeis tentaram reedificar o seu templo, a sua obra parecia lastimosamente pequena; mas era rigorosamente obra de Deus. E um dia o templo veria o próprio Filho de Deus a andar pelos seus átrios, curando os enfermos, perdoando aos pecadores, e ensinando as multidões. Nunca despreze o dia das coisas pequenas.  É nas coisas pequenas que Deus pode operar e abençoar; e as coisas pequenas são preparação para coisas maiores.

     Nenhuma obra, que seja obra de Deus, é pequena. Nenhuma dádiva que seja dada com fé e amor é pequena. Nenhum acto de serviço que seja feito para a glória de Cristo é pequeno. Não se ponha a comparar com os outros. Deixe que seja Deus a medir e a pesar. Ele mede para a eternidade – e é isso que realmente conta.      
São os montículos que te fazem escalar
 Encorajamento para dias difíceis

Warren W. Wiersbe
Encorajamento para dias difíceis (I)
Encorajamento para dias difíceis (II)
Encorajamento para dias difíceis (IIII)
Encorajamento para dias difíceis (IV)
Encorajamento para dias difíceis (V)
Encorajamento para dias difíceis (VI)
Encorajamento para dias difíceis (VII)
Encorajamento para dias difíceis (VIII)
Encorajamento para dias difíceis (IX)
Encorajamento para dias difíceis (X)
Encorajamento para dias difíceis (XI)
Encorajamento para dias difíceis (XII)
Encorajamento para dias difíceis (XIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIV)
Encorajamento para dias difíceis (XV)
Encorajamento para dias difíceis (XVI)
Encorajamento para dias difíceis (XVII)
Encorajamento para dias difíceis (XVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XIX)
Encorajamento para dias difíceis (XX)
Encorajamento para dias difíceis (XXI)
Encorajamento para dias difíceis (XXII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIV)
Encorajamento para dias difíceis (XXV)
Encorajamento para dias difíceis (XXVI)
Encorajamento para dias difíceis (XXVII)
Encorajamento para dias difíceis (XXVIII)
Encorajamento para dias difíceis (XXIX)
Encorajamento para dias difíceis (XXX)

Sermões e Estudos

Dário Botas
Divide bem a Palavra da verdade

Tema abordado por Dário Botas em 12 de julho de 2020

Carlos Oliveira
Solidão

Tema abordado por Carlos Oliveira em 10 de julho de 2020

José Carvalho
Salmo 1

Tema abordado por José Carvalho em 05 de julho de 2020

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 3:10 em 08 de julho de 2020

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário