Porque as rezas pelos mortos não fazem sentido

 finados

 

     O Dia de Finados, ou dos Mortos, é celebrado pelos católicos no dia 02 de novembro por uma determinação humana do Vaticano no século XIII. No entanto, a tradição da reza pelos mortos começou quatro séculos antes, quando o chamado Santo Odilon, abade do mosteiro Beneditino de Cluny, em França, determinou que os monges rezassem por todos os mortos, religiosos ou incrédulos, conhecidos e desconhecidos, de todos os lugares, em todos os tempos.

     Em Portugal é costume rezar pelos mortos e fazer-se visitas aos seus túmulos, decorando-os com flores e velas.

     Na tradição Católica, essa prática é justificada por um texto do livro II Macabeus. Este livro é considerado apócrifo tanto pela tradição Protestante, como também pela tradição Judaica, a quem Deus deu em primeira mão a Sua Palavra (Romanos 3:1,2). Diz o Livro apócrifo de Macabeus:

      “Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente, era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas”,  (II Macabeus 12:43-46, versão da Bíblia Avé Maria).

     Os católicos crêem que os vivos têm a possibilidade de fazer algo pelos mortos, e é por essa razão que acendem velas, oram por eles e até pedem perdão pelos seus pecados. Essa prática, porém, é absolutamente contrária ao que diz a genuína Palavra de Deus.

     Hebreus 9:27 mostra claramente que a morte faz cessar todas as oportunidades dadas às pessoas. “... aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disto, o juízo". Na vida pós-morte já não é possível haver qualquer interferência no sentido de se mudar o destino eterno de alguém. Se a Palavra de Deus afirma que logo após a morte vem o juízo, tal invalida qualquer oração em favor de alguém já morto a fim de lhe serem perdoadas as suas faltas.

     Não existe nenhuma orientação na Bíblia para se visitar os entes queridos nos túmulos, apesar do amor que se lhes tem e da muita saudade que deixaram. As Escrituras não nos proibem de visitar os cemitérios ou de enfeitarmos os túmulos das pessoas saudosas que nos são queridas. Porém, as práticas de rezar pelos mortos e de acender velas em favor das almas dos que partiram, não tem nenhum suporte bíblico.

     O Senhor Jesus disse em João 8:12: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida".

     Quem tem luz original, real, genuína, a verdadeira luz, não precisa de luz artificial, postiça, falsa, de velas. Quem anda com velas procura uma iluminação que só a verdadeira luz, Jesus, pode dar.

     Lucas 16:19-31, mostra que após a morte há consciência, que existe sofrimento e existe bem estar, porém também mostra que não existe comunicação dos mortos com os vivos e que a situação daqueles não permite que o seu estado seja alterado.

     O leitor poderá perguntar, e o Purgatório? O chamado Purgatório é mais uma invenção católica Romana baseada em livros apócrifos e não na genuína Palavra de Deus. O purgatório de qualquer pessoa que verdadeiramente crê é o sangue do Senhor Jesus Cristo vertido em seu favor na cruz do Calvário. Está escrito: "... o sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica [ou, purga] de todo o pecado" (1 João 1:7). Saiba mais a este respeito nos artigos cuja ligação se encontra no fim deste artigo.

     A oportunidade de o leitor alterar o seu destino eterno, se ainda não crê no Senhor Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador, é agora, já. Depois de morrer será demasiado tarde.

     "Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação: eis aqui AGORA o tempo aceitável, eis aqui AGORA o dia da salvação" (2 Coríntios 6:2).

     "CRÊ NO SENHOR JESUS CRISTO E SERÁS SALVO" (Atos 16:31).

- C.M.O.

 

Leia e instrua-se:

O que diz a Bíblia sobre o Purgatório?
O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (1)
O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (2)
O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (3)
O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (4)
O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (5)

As heresias dos Livros Apócrifos

Sermões e Estudos

Alberto Veríssimo
Terra de Gigantes

Reunião de Homens por Alberto Veríssimo em 10 de agosto de 2019

Alberto Veríssimo
Tempestade vivida

Sermão proferido por Alberto Veríssimo em 18 de agosto de 2019

Alberto Veríssimo
José, ou saber esperar em Deus

Reunião de Jovens por Alberto Veríssimo em 09 de agosto de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:18 em 31 de julho de 2019

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário