Véu e chapéu

Grey Heather Knit Snood unique handmade eco urban style hoodie scarfremovendo o boné

Porque se devem cobrir as mulheres e descobrir os homens na Igreja

A questão da cabeça (vs. 3-6)

     Primeiro, Deus afirma o princípio; depois Ele aplica-o. O princípio importante aqui é o de soberania, de liderança (simbolizado pela figura da cabeça). Deus está mostrando que homem e mulher, na igreja, não ocupam a mesma posição. São iguais no que se refere à sua posição em Cristo (os vs. 11-12, além de Gálatas 3:28, mostram isto claramente), mas não nas suas funções na igreja local (e nem na família, apesar de este não ser o assunto do trecho em questão). Na igreja local, diz o Senhor, o homem é cabeça da mulher.

     Esta posição de submissão que a mulher ocupa é unicamente consequência da hierarquia que Deus estabelece na Sua criação, e não tem relação com a capacidade, o valor ou a utilidade do homem ou da mulher. Pois o texto afirma, na mesma frase, que “Deus é cabeça de Cristo”.

     Deus e Cristo são iguais em poder, em majestade, em glória, em divindade, e em todos os Seus atributos; os dois são um. Nos propósitos divinos, porém, era necessário que Cristo se submetesse à liderança do Pai, o que Ele voluntariamente fez. Isto não é apenas algo decorrente da encarnação do Filho de Deus, mas faz parte dos relacionamentos eternos deste nosso Deus Triuno.

     O texto está enfatizando que a mulher deve imitar o exemplo do Senhor Jesus Cristo; assim como Ele Se submete voluntariamente ao Pai, ela deve submeter-se voluntariamente ao homem na igreja local. Assim como o Filho não se torna inferior ao Pai por obedecer-Lhe, assim as irmãs não se tornam inferiores aos irmãos, nem merecem menos respeito, por obedecer-lhes.

     É importante que todo irmão entenda que é cabeça da mulher porque Deus quer, não porque os homens são melhores ou superiores. É igualmente importante que toda a irmã entenda que deve ser submissa aos irmãos na igreja porque Deus quer, não porque as mulheres são inferiores.

     Tendo afirmado o princípio no v. 3, Deus fornece-nos a sua aplicação nos vs. 4-6. O princípio é claro: Cristo é cabeça do homem, e o homem é cabeça da mulher. Mas qual a relação deste princípio com a prática de cobrir ou descobrir a cabeça? O texto explica a figura que Deus estabeleceu.

     Quando um homem cobre a sua cabeça nas reuniões da igreja, diz o v. 4, ele desonra a sua cabeça (que é Cristo). Por quê? Porque ao cobrir sua cabeça física ele está (figurativamente, é claro) cobrindo e escondendo a sua cabeça espiritual (que é Cristo). Ele está, em figura, dizendo que Cristo não tem autoridade ali, que a Sua posição como Cabeça não está a ser reconhecida. Por outro lado, o ato físico de descobrir a cabeça (tirando um chapéu, por exemplo) não tem nenhum poder místico, mas é uma maneira de dizer, em figura, que o verdadeiro cabeça do homem, Cristo, não está encoberto ou escondido naquela reunião.

     O mesmo ocorre em relação às irmãs, como mostram os vs. 5 e 6. Se as suas cabeças estiverem descobertas nas reuniões da igreja o símbolo que transmitem é que as suas cabeças espirituais também estão descobertas, dizendo assim que o homem (que é o cabeça da mulher) está ocupando a posição de autoridade (posição de “cabeça”) naquela reunião. Ao cobrir sua cabeça, porém, dizem, em figura, que a sua cabeça espiritual (que é o homem) está encoberto e escondido.

     Unindo os dois símbolos (a cabeça descoberta dos irmãos e a cabeça coberta das irmãs), veja que mensagem preciosa é transmitida. A igreja local está reunida — mas quem está em autoridade? Quem é o Cabeça naquela reunião? A cabeça coberta das irmãs indica que o homem, cabeça espiritual da mulher, não está a governar ali; e a cabeça descoberta dos irmãos indica que Cristo, Cabeça espiritual do homem, é quem está a governar. Percebam, irmãos, a importância do símbolo! Se um irmão cobrir a sua cabeça durante a reunião, ou se uma irmã descobrir a sua, a autoridade e liderança de Cristo estarão sendo, em símbolo, desprezados!

     Uma ressalva, porém, antes de passarmos adiante: a obediência externa ao símbolo não garante que haja obediência no coração (mas isto em nada tira a importância do símbolo). Voltaremos a esta questão ao considerar o segundo argumento apresentado.

- W. J. Watterson

 

Sermões e Estudos

Jose Carvalho 09DEZ18
Mensagem difícil, mas inevitável

Sermão proferido por José Carvalho em 09 de dezembro de 2018

Jose Teles 02DEZ18
Os esquecidos III

Sermão proferido por José Teles em 02 de dezembro de 2018

Daniel Ferreira 01DEZ18
Os esquecidos II

Sermão proferido por Daniel Ferreira em 01 de dezembro de 2018

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:8 em 12 de dezembro de 2018

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    356 2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário