Mentiras Contemporâneas do Diabo

William MacDonald
 
     Os Cristãos vivem agora num mundo em que estão a ser constantemente bombardeados com as ideias mais doidas, bizarras e anti-bíblicas que a malévola mente humana alguma vez intentou. Os advogados destes ventos de doutrina absurdos têm-se tornado tão vocais e estridentes que a voz da verdade parece comparativamente um simples pio.

     Estes ventos de doutrina malévolos têm ganho velocidade tal, que se têm convertido em autênticos tornados Texanos. Os ingénuos são mais facilmente levados ao ouvirem as mais grotescas aberrações que são advogadas por psicólogos, sociólogos, clérigos, e outros “peritos”. Mesmo para Cristãos sóbrios é difícil não ser afectado por todo o pensamento pervertido que grassa nos media. A nossa única segurança é permanecermos chegados ao Senhor, verificando tudo pela Palavra de Deus. Volvamo-nos agora para alguns exemplos específicos.


Sexo Pré-matrimonial

     Tomemos, por exemplo, o sexo antes do casamento. Não é mais um problema, segundo os peritos. Nada é certo ou errado em si. A coisa só é errada quando não é feita em amor. Não há absolutos no reino da conduta; cada um deve estabelecer os seus próprios padrões. Além de tudo isso, é prejudicial, nocivo, reprimir os apetites naturais. Etc., etc., etc.. Mas o que diz a Bíblia? Diz, “Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo” (1 Coríntios 6:13). Os homens podem desafiar a Palavra de Deus e desobedecer-lhe, mas não podem escapar às consequências inerentes. “Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Coríntios 6:18).


Homosexualidade

     Ou tomemos o movimento de libertação gay. Agora ouvimos que a sodomia deve ser legalizada conquanto se realize entre adultos que consentem. O que costumávamos pensar como sendo perversão sexual afinal não é perversão alguma. É um comportamento social aceitável, e qualquer descriminação contra ele é anti-amor, anti-democrático e anti-Cristão. Não se devia sequer barrar uma pessoa destas ao ofício sagrado do ministério. Mas as declarações de Deus sobre a matéria não se alteraram. “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem ... os efeminados, nem os sodomitas, ... herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6:9). “São dignos de morte os que tais coisas praticam” (Romanos 1:32). Este é o juízo de Deus sobre a matéria.


Aborto

     Depois pensemos como a população tem levado uma lavagem cerebral sobre a questão do aborto. A opinião popular é a de que o aborto agora deve ser geralmente permitido, mesmo com o fim de se interromper uma gravidez indesejada. A ideia de que o aborto deve ser considerado como homicídio é antiquada, tendo passado grandemente de moda. O facto de muitas enfermeiras se terem recusado a prestar assistência a mais abortos, por causa do que elas testemunharam na sala de partos, recebe reduzida atenção nas notícias. As pessoas querem liberdade nesta área, e podem sempre racionalizar o que querem. Mas os Cristãos que pensam não se deixam enganar. Eles lembram-se que David, no seu magnífico Salmo 139, fala de si como uma pessoa, quando ainda estava no ventre da sua mãe: “Pois possuíste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu Te louvarei, porque de um modo terrível, e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as Tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não Te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os Teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no Teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia” (Salmo 139:13-16). Agora imagina que a mãe de David tivesse abortado!


Contracepção

     Os advogados do controlo da natalidade têm feito um trabalho tão eficaz com a “venda” da pílula, que muitos Cristãos subscrevem-na docilmente sem hesitação. Ficam aterrorizados com o receio do aumento excessivo da população na terra. Raramente ouvimos uma voz profética que se erga em oposição. O desmoronamento continua, e nunca ocorre a muitos crentes que a posição Bíblica pode ser bem diferente da posição do mundo. Mas o que diz Génesis 1:28; 9:1? “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra” O que diz o Salmo 127:3,5? “Eis que os filhos são herança do Senhor ... Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava”. E o que diz 1 Coríntios 7:5? “Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes à oração: e depois ajuntai-vos outra vez”.


Movimento de Libertação das Mulheres

     Como se todas estas questões já não bastassem, os nossos ouvidos são agora assaltados com elevados decibéis de ruído sujo a respeito do movimento de libertação das mulheres e a proposta de emenda da Constituição que torna a discriminação do género inconstitucional. Na Sua sabedoria Deus decretou uma cadeia de comando no universo. A mulher está sujeita ao homem; o homem está sujeito a Cristo; Cristo está sujeito a Deus (1 Coríntios 11:3). Que o facto da sujeição não significa inferioridade vê-se na sujeição de Cristo a Deus Pai.

     Mas a mulher moderna rebela-se contra qualquer ideia de sujeição. Ao rebelar-se contra a ordem estabelecida por Deus, ela só consegue tornar-se mais miserável, mais neurótica e mais insatisfeita.


Direitos das Crianças

     A obsessão agora é o da emenda dos direitos das crianças na Constituição. Parece que as crianças precisam de ser protegidas dos seus pais. Na realidade elas não precisam de ser protegidas dos seus pais tanto quanto precisam de ser protegidas dos militantes idiotas que não têm nada melhor do que advogar tal idiotice. Apesar da Bíblia não desculpar o abuso de crianças, insiste que só a vara da correcção afastará a indisciplina do coração da criança (Provérbios 22:15). Nós não necessitamos de emendas aos direitos das crianças. Necessitamos de abandonar a permissividade e voltar à moda antiga, bíblica, de educar as crianças, ou seja, pela aplicação do ministério da educação na sede da aprendizagem (traseiro).


Pena de Morte

     Com tanta estupidez vazia a ser propaganda, não surpreende que a pena de morte também esteja sob ataque. Aqui, uma vez mais, o mundo Cristão tem sido hipnotizado pelo arrazoar ilusório dos hipercinéticos bem intencionados. Estes reformadores correm por aí citando piedosamente Êxodo 20:13, “Não matarás”. Eles podem nunca entender que isto se refere a homicídio, e que a pena de morte não é homicídio. Eles estariam melhor informados se conhecessem Génesis 9:6, “Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem”. No caso de alguém argumentar que as directivas do Novo Testamento sobre o amor cancela este mandamento do Velho Testamento, deve ler Romanos 13:4, onde Paulo diz que a autoridade não traz a espada em vão. As espadas não são usadas para fazer cócegas ou mimar os criminosos.


Divórcio

     No que ao divórcio diz respeito, a avalanche desce estrondosamente a montanha. Pelas razões mais triviais lares desfazem-se, corações partem-se, e vidas destroem-se. Mesmo o povo Cristão parece ser mais guiado, no que respeita ao divórcio, pela lei civil do que pela lei de Deus. Mas Deus não se deixa zombar. Ele ainda odeia o divórcio (Malaquias 2:16), e a Sua bênção não pode repousar no que não tem a sanção divina. O divórcio não resolve os problemas, e gera uma série de outros.


Conclusão

     Nós poderíamos prosseguir com uma longa lista de outras mentiras contemporâneas do diabo. Uma das mais estúpidas é a declaração de alguns educadores modernos que dizem, “As crianças são basicamente boas. Temos de começar com esta premissa. Se elas se desencaminharem, a falta está no seu meio-ambiente.” Mas basta! Se eu continuar, serei tentado a juntar-me aos que dizem, “Pára o mundo; quero sair dele.”

     Apesar de não devermos querer escapar do desafio do encontro Cristão com o mundo, certamente que não queremos sucumbir à frieza do seu meio-ambiente. Nós não queremos ser manchados pelos movimentos ímpios que abundam por todos os lados.

     A nossa segurança jaz no julgar tudo pelo padrão da Palavra de Deus e pela rejeição de tudo o que não se enquadra com esse padrão. Paulo assinalou isto bem em 2 Coríntios 10:5: “A nossa batalha é derrubar toda a fantasia enganosa e toda a defesa imponente que os homens erigem contra o verdadeiro conhecimento de Deus. Nós combatemos mesmo para capturar todo o pensamento até ele reconhecer a autoridade de Cristo.” (Phillips)

William MacDonald
Revista Help & Food.

Sermões e Estudos

José Carvalho
Hoje

Sermão proferido por José Carvalho em 13 de outubro de 2019

Jonas Pinho
A solidão do desespero

Sermão proferido por Jonas Pinho em 06 de outubro de 2019

Dário Botas
Seminário, ou Igreja?

Sermão proferido por Dário Botas em 29 de setembro de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:20 em 09 de outubro de 2019

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário