A minha igreja não é Pentecostal

Carlos M. Oliveira

 

     Há muitos que dizem que a sua igreja é Pentecostal. E outros há que não o dizendo, assim, tão abertamente, contudo dizem-no indiretamente, implicitamente, ao afirmarem que a Igreja, o Corpo de Cristo, começou em Pentecostes. Sim, dizendo isto, confessam que a sua Igreja é realmente Pentecostal.

     Porém, a minha igreja não é Pentecostal. Em primeiro lugar a Igreja não é “minha”, mas “de Deus” (Atos 20:28; 1 Cor. 1:2; 10:32; 11:22; 1 Tes. 2:14; 2 Tes. 1:4; 1 Tim. 3:5,15) ou “de Cristo” (Rom. 16:25), também chamada “dos santos”  (1 Cor. 14:33). Não é, de facto, “minha”.

     Em segundo lugar, não sou denominacional, um desvario degenerativo humano sem qualquer suporte da Bíblia bem manejada. Existem denominações humanas denominadas pelos homens de “Pentecostais”  em que os que lhe pertencem confessam que a sua igreja é “Pentecostal”. Como não pertenço a nenhuma denominação humana, não sou, por conseguinte, Pentecostal.

     Em terceiro lugar, a “minha” Igreja não é Pentecostal porque ela nada tem a ver com Pentecostes, como também Pentecostes nada tem a ver com a Igreja, o Corpo de Cristo. Pentecostes, no passado, tinha a ver com o Judaísmo e no tempo presente apenas com os Judaizantes, não com a atual dispensação da graça de Deus que aboliu todos os dias de festa Judaicos (Col. 2:14-17; Gál. 4:9-11) - e Pentecostes não é exceção.

     A “minha” Igreja não começou em Pentecostes, uma festa Judaica, cumprimento de uma profecia Judaica, feita por um profeta Judeu, Joel (Atos 2:1,16-21; Joel 2:28-32). A “minha” Igreja não assenta nem em profecias nem no Judaísmo, mas no “mistério que desde tempos eternos esteve oculto” (Rom. 16:25), “mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus” (Efé. 3:9), “mistério, que esteve oculto em todos os séculos, e em todas as gerações” (Col. 1:26), e que foi revelado em primeira mão ao Apóstolo Paulo (Efé. 3:2,3), que se converteu  muito depois de Pentecostes.

     A “minha” Igreja não é Pentecostal, pois em Pentecostes aconteceu um batismo espiritual estranho à “minha” Igreja, o Corpo de Cristo. O que aconteceu em Pentecostes foi O SENHOR JESUS CRISTO BATIZAR os crentes com o Espírito Santo, algo que fora profetizado por João Batista, também profeta, o último, por sinal (Marcos 1:7,8).

     "E pregava [João Batista], dizendo: Após mim vem Aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das sandálias.

     "Eu, em verdade, tenho-vos batizado com água; ELE [JESUS CRISTO], porém, VOS BATIZARÁ com o Espírito Santo."

     Neste batismo O BATIZADOR É O SENHOR JESUS CRISTO. O próprio Senhor lembrou a realização deste batismo aos Seus discípulos, uns dias antes de este acontecer, quando esteve com eles 40 dias após a Sua ressurreição, imediatamente antes de ascender ao Céu.

     “... recebereis a virtude (poder) do Espírito Santo, que há-de vir sobre vós; e ser-Me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da Terra” (Atos 1:8).

     Note-se que este batismo visava capacitar os discípulos para a realização da chamada grande comissão que o Senhor lhes dera naqueles 40 dias, a saber, pregarem o Evangelho do Reino em todo o mundo, a todas as nações, mesmo apesar de não saberem falar as suas línguas. O Espírito que receberiam nesse batismo dotá-los-ia com o dom (capacidade) de falar línguas, além de os dotar de outras capacidades, como, expulsar demónios, curar enfermos, pegar em serpentes, beber veneno, ou seja, coisas anormais que só poderiam ser realizadas por capacitação divina.

     Não! Não! A “minha” igreja não é, de todo, Pentecostal; nada tem a ver com Pentecostes.

     A “minha” igreja teve o seu início com um batismo completamente diferente, que aconteceu bem depois de Pentecostes, um batismo em que O BATIZADOR É O ESPÍRITO SANTO, não o Senhor Jesus Cristo.

     “Pois todos fomos BATIZADOS POR UM SÓ ESPÍRITO, a fim de sermos um só corpo, quer Judeus, quer Gregos, quer escravos, quer livres; e a todos nós foi dado beber de um único Espírito” (1 Cor. 12:13, King James Atualizada).

     “Assim, também, todos nós, Judeus e não-Judeus, escravos e livres, fomos batizados PELO MESMO ESPÍRITO para formar um só corpo” (1 Cor. 12:13, NTLH).

     “Pois todos nós fomos batizados em [Gr. En, instrumentalidade, ou seja, por] um Espírito, formando um corpo, quer Judeus, quer Gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito” (1 Cor. 12:13, RC)

     Notemos que recebemos este batismo para FORMARMOS, ou SERMOS, UM SÓ CORPO, NÃO para recebermos virtude ou poder a fim de testemunhar – algo completamente diferente.

     Em Pentecostes SOMENTE JUDEUS foram batizados pelo Senhor Jesus Cristo com o Espírito Santo, não sendo reconhecido estar ali presente qualquer Gentio. No batismo feito pelo Espírito Santo na formação do Corpo, como descreve 1 Coríntios 12.13, “fomos batizados por um só Espírito, a fim de sermos um só corpo, QUER JUDEUS, QUER GREGOS (ou, GENTIOS)” (1 Cor. 12:13).

     A festa de Pentecostes era caracterizada por haver 2 pães na sua celebração, simbolizando Judá e Israel (Lev. 23:17). Porém, a “minha” Igreja, o Corpo de Cristo, é caracterizada por “um só pão” , pois somos “um só Corpo” (1 Cor. 10:17).

     Não! Não! A “minha” igreja não é, de todo, Pentecostal; nada tem a ver com Pentecostes.

- C.M.O.

 

 

Sermões e Estudos

António Oliveira
O verdadeiro curso superior

Sermão proferido por António Oliveira em 19 de janeiro de 2020

Fernando Quental
A importância da espera

Sermão proferido por Fernando Quental em 12 de janeiro de 2020

Dário Botas
Resoluções

Sermão proferido por Dário Botas em 05 de janeiro de 2020

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 3:1 em 15 de janeiro de 2019

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário