Eis que cedo venho

cedo-venho

 

     “Eis que presto [ou, célere, ou cedo] venho; bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro” (Apocalipse 22:7).

      "Um novo pregador tinha acabado de começar o seu sermão. Ele estava um pouco nervoso, e após dez minutos de falar deu-lhe uma branca. Ele lembrou-se do que lhe tinham ensinado a fazer quando uma situação como esta surgisse: repete a última. Muitas vezes, isso ajudava a lembrar do que teria que dizer a seguir. Então, ele pensou em tentar.

     “Eis que presto [ou, célere, ou cedo] venho” disse ele. Ainda assim, a sua mente continuava em branco. Ele pensou em tentar de novo, “Eis que presto [ou, célere, ou cedo] venho”. Ainda nada. Ele tentou mais uma vez com tanta força que caiu para a frente, derrubando o púlpito, tropeçando em num vaso de flores e caindo no colo de uma velhinha na primeira fila. O jovem pregador desculpou-se e tentou explicar o que aconteceu.

     “‘Tudo bem, jovem’, disse a velhinha. ‘Foi culpa minha. Eu deveria ter saído do caminho, pois avisou três vezes que vinha.’” [Bob Phillips e Jonny Hawkins, The Hilarious Book of Heavenly Humor (Eugene, Oregon: Harvest House Publishers, 2011), p. 172]

     Nos versículos finais do Apocalipse, três vezes o Senhor diz que vem para a nação de Israel (vs. 7,12,20). A terminologia destinada à Segunda Vinda de Cristo para Israel, como "Eis que cedo venho" ou “como o ladrão de noite” é frequentemente usada erroneamente para o Arrebatamento da Igreja, o Corpo de Cristo. Isso confunde muitas pessoas com relação a essas duas futuras vindas de Cristo. Quando Cristo diz: “Eis que venho, sem demora”, Ele não está a falar em vir antes da Grande Tribulação para levar a Igreja para o Céu. Ele está a falar da Sua vinda a Israel no final da Grande Tribulação na Batalha do Armagedom (Apoc. 19:11-21).

     Todas as menções da vinda de Cristo fora das cartas do apóstolo Paulo referem-se tanto à primeira como à segunda vinda de Cristo a Israel. Como resultado de não se manejar bem a Palavra da verdade, palavras, frases e versículos são frequentemente mal utilizados e mal aplicados ao Arrebatamento da Igreja.

     Quando um pregador ou ensinador usa as palavras: “Eis que venho, sem demora”, e sem restrições as aplica ao Arrebatamento, isso é um erro. Quando um pregador ou ensinador diz que o Arrebatamento e a Segunda Vinda são a mesma coisa, isso é uma doutrina incorreta. Quando um pregador ou ensinador diz que a Igreja, o Corpo de Cristo, passará por qualquer parte do período da Grande Tribulação que se aproxima, isso não é a verdade da Palavra, bem manejada.

     Quando os eventos do livro de Apocalipse começarem a desenrolar-se, as palavras do Senhor, “Eis que cedo venho”, serão um conforto e fonte de força para os crentes durante a Grande Tribulação. Pela fé e conhecimento da Palavra, eles saberão que uma libertação está a chegar. Eles desejarão que Ele venha rapidamente, e essas palavras de garantia ajudá-los-á a superar e a perseverar até o fim dos piores sete anos de todos os tempos.

     Quanto ao Corpo de Cristo, somos ensinados a estar “Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” (Tito 2:13). Cada dia é um dia em que o Senhor pode vir para nos levar a nós, Sua Igreja, para o Céu. Somos ensinados a “aguardar” pelo nosso Salvador o tempo todo. Saber que podemos estar diante d’Ele hoje ou em qualquer dia motiva a Igreja a viver “neste presente século, sóbria, e justa, e piamente" (Tito 2:12).

     Cristo vem cedo? Talvez, e talvez hoje! No entanto, usar “Eis que venho cedo”, para a esperança do Arrebatamento é incorreto. Isso confunde as duas futuras vindas de Cristo e o que essa frase realmente significa para quem foi escrita. “Eis que cedo venho” é dito pelo Senhor e foi registado por João para os santos que estarão vivos durante a Grande Tribulação. Definitivamente não se refere a nós. Nós, o Corpo de Cristo, teremos sido livrados ... “da ira futura” (1 Tes. 1:10). Louvemos o Senhor!

     Depois que Cristo tiver arrebatado o Corpo de Cristo no Arrebatamento, o programa profético será retomado. Deus irá retomar exatamente onde parou na linha do tempo da profecia. O evento seguinte nessa linha do tempo é a 70ª semana de Daniel, o período de sete anos da Grande Tribulação. É nesse ponto que todos os eventos do livro do Apocalipse se desenrolarão, exatamente como foram escritos. As pessoas vivas naquela época poderão usar o Apocalipse como um guia para as ajudar a percorrer aqueles dias horrendos quando a ira de Deus for derramada sobre este mundo. A esperança para os crentes naqueles dias será o que Cristo lhes diz neste livro: “Eis que cedo venho!” 

Por Kevin Sadler

Sermões e Estudos

Fernando Quental 16JAN22
Tribulação e tentação

Tema abordado por Fernando Quental em 16 de janeiro de 2022

Carlos Oliveira 14JAN21
Porque Deus permite a tragédia?

Tema abordado por Carlos Oliveira em 14 de janeiro de 2022

David Gomes 09JAN21
A oração de Jesus

Tema abordado por David Gomes em 09 de janeiro de 2022

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:7 em 12 de janeiro de 2022

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário