Integridade: a arte perdida de cumprir

Foto profissional grátis de abstrato, ameaça, ao ar livre

 

 

     Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque, o que passa disto é de procedência maligna. – Mateus 5:37

     A maioria de nós tem exemplos recentes que confirmam a verdade da frase, "Falar é fácil". Por exemplo, quando a minha esposa e eu nos mudámos para uma nova casa, foi um ano repleto de promessas de fornecedores e empreiteiros que raramente cumpriram a sua palavra sem que tivesse havido qualquer tipo de insistência ou pressão da nossa parte. Parece que a nossa sociedade está cheia de pessoas que perderam a arte de cumprir as promessas que fazem.

     Seria bom se pudéssemos dizer que os Cristãos são imunes ao fenómeno "falar é fácil", mas não somos. Eu vejo isso acontecer permanentemente dentro das nossas fileiras. Mais grave, a verdade é que sou igualmente culpado. Talvez eu me tenha aproximado demasiado perto (uma vez mais!) da nossa cultura e tenha sido influenciado por ela não intencionalmente - todavia acho que prometo mais vezes do que cumpro. Embora não tenha mentido intencionalmente, quando digo “Vou orar por ti”, ou "Vou ajudar-te nesse projeto”, dei garantias verbais onde não pensei seriamente o suficiente sobre o real cumprimento do prometido. Olhando para trás, é constrangedor e, honestamente, quero fazer melhor.

     Alguns podem dizer: “Todo mundo faz isso - não temos a intenção de o fazer propositadamente - é inofensivo, inocente.” Para a maior parte das pessoas, essa observação é provavelmente precisa. A maioria dos lapsos em cumprir a palavra não chega ao nível de uma questão de vida ou morte; no entanto, acredito que, como seguidores de Cristo, devemos ter um padrão mais elevado. As Escrituras deixam claro que a integridade, a honestidade e o cumprimento das nossas promessas são importantes para nossa própria alma e para os nossos relacionamentos. Embora as palavras sejam importantes, as ações falam mais alto. As nossas ações revelam mais sobre a nossa fé do que todas as palavras que podemos dizer. Perante isto, não estou a sugerir que deixemos de fazer promessas para nos protegermos da mentira. Estou a sugerir que honremos o nosso Deus agindo de acordo com o que prometemos.

     Sei que nem sempre serei perfeito nesta área daqui em diante, mas o meu objetivo é pensar mais intencionalmente em cumprir o que prometo - no exato momento em que me comprometo com algo - e lembrar-me que muitas vezes o meu próprio falar é fácil. Hoje, eu encorajo-te a fazeres o mesmo.

 

APROFUNDANDO:

1. Pensa num momento recente em que uma pessoa ou empresa não cumpriu uma promessa que te fez. Como reagiste? Que diferença isso fez na tua perceção dessa pessoa ou empresa?

2. Avalia se precisas, ou não, de admitir que muitas vezes o teu falar é fácil. Pede a Deus que te ajude a seres uma pessoa de palavra.

 

LEITURA ADICIONAL:

Provérbios 10:9, 13:3, 14:23, 19:20; 2 Coríntios 9:2-5

Por Jim Liebelt

 

 

Sermões e Estudos

José Carvalho
Abigail

Tema abordado por José Carvalho em 20 de junho de 2021

Carlos Oliveira
A tragédia da imoralidade

Tema abordado por Carlos Oliveira em 18 de junho de 2021

Fernando Quental
O primeiro de muitos dias

Tema abordado por Fernando Quental em 13 de junho de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 3:24,25 em 23 de junho de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário