Mitos sobre o nascimento de Jesus

mitos

 

     Durante o mês de dezembro, casas em todo o mundo têm figurinhas e imagens do que acham que deve ter sido o acontecimento mais glorioso do ano.

     No entanto, de acordo com a Bíblia, muito da glória e do drama que se tornou parte do presépio não aconteceu realmente. Trata-se de mitos ou fábulas (2 Tim. 4:4).

     Use a oportunidade para mostrar às pessoas em que nos devemos realmente gloriar – na cruz de Cristo.

 

     “… longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo ...  - Gálatas 6:14.

     Use as oportunidades com a família e amigos este ano para direcioná-los da glória imaginária da manjedoura para gloriosa verdade da cruz.

     Sim, “… longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo ...  - Gálatas 6:14.

Cristo não nasceu no ano 0 A.C./A.D.

     Não houve ano 0. Além disso, por causa da forma como recebemos o nosso calendário moderno, o nascimento de Jesus é mais precisamente datado em 3-4 A.C.

Cristo não nasceu em 25 de dezembro

     É facilmente verificado na Bíblia que a data de 25 de dezembro não é a data do nascimento de Jesus. Mais provavelmente, Jesus teria nascido no outono, pois a Bíblia diz que era o tempo em que os pastores deixavam o rebanho a pastar nos campos. Isso também se alinha com a cronologia bíblica das gravidezes de Isabel e Maria.

Maria não foi para Belém montada num jumento

     Fotos do presépio mostram Maria montada num jumento guiado por José. Isso é especulação, já que nos relatos bíblicos não há menção de como eles viajaram.

Maria não deu à luz na mesma noite em que chegou

     Lucas 2:6 indica que ela deu à luz depois de eles estarem naquele local há vários dias. A ideia de que eles se dirigiram para a cidade e ela deu à luz naquela noite foi um acrescento fictício, sem dúvida para causar um efeito dramático.

José nunca falou com o estalajadeiro

     Na maioria das explicações da noite do nascimento, José é apresentado como andando de estalagem em estalagem, pedindo aos estalajadeiros um quarto. No entanto, na Bíblia não há nenhuma figura de estalajadeiro ou de diálogo registado.

Não houve estábulo

     A Bíblia diz que Jesus foi colocado numa manjedoura e nunca menciona um estábulo. A representação moderna do estábulo de madeira é fabricada. José e Maria estavam na cidade de Belém e os historiadores descobriram que as manjedouras estavam adstritas às casas, do mesmo modo que as casas modernas têm uma varanda dos fundos ou uma garagem.

Não havia auréola em volta da cabeça

     As auréolas vistas frequentemente em presépios são resquícios de pinturas históricas. Esses discos de sol nunca são descritos como parte do nascimento de Jesus, que é descrito como um nascimento normal.

Não houve nenhum baterista

     Outro acrescento fictício criado pelas canções de natal.

Os anjos não cantaram

     Lucas 2:13-14 indica que os exércitos celestiais disseram: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens”. Um coro de aleluias nunca é mencionado. O coro do Messias de Handel cita o livro de Apocalipse e não os relatos do nascimento de Mateus e Lucas. A ideia de que os anjos cantaram vem de canções especulativas escritas apenas nos últimos séculos.

Paz na terra não veio no nascimento de Jesus

     Uma olhadela a Mateus 2:16 deveria ser prova suficiente de que a paz não havia surgido quando Herodes travou guerra contra bebés inocentes a fim de evitar que o Bebé se tornasse Rei. Jesus disse mais tarde no seu ministério: “Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas, antes, dissensão.” Lucas 12:51.

Não havia neve no campo

     Se houvesse neve os pastores não teriam deixado as suas ovelhas pastarem no campo (Lucas 2:8).

Não foi uma noite silenciosa

     Ao contrário do imaginário dos pastores ajoelhados tranquilamente e das canções que dizem que tudo estava calmo na noite do Seu nascimento, foi bem o contrário. Houve um pequeno alvoroço por causa dos pastores (Lucas 2:17-18). Foi tudo menos uma noite silenciosa. Além disso, não há razão para pensar que Jesus não tivesse chorado.

Três reis não visitaram Jesus

     Essa ideia veio da música “Nós três reis”. No entanto, a Bíblia não diz que reis visitaram Jesus. "Homens sábios" fizeram-no.

Não havia três homens sábios

     Falando dos sábios, foram registadas três ofertas na Bíblia, mas não há indicação de quantos homens (Mt 2:11).

Os sábios não viram o bebé Jesus

     Mateus 2:11 dá-nos uma pista de que os sábios chegaram a uma casa para ver o “Menino” Jesus. Mateus 2:16 sugere que poderiam ter passado dois anos.

A estrela não era astrológica

     Levar meses ou anos para os sábios encontrarem a casa de Jesus indica que a estrela que os guiou não poderia ter sido astronómica. Mateus 2:9 diz que a estrela "ia adiante deles". Estas descrições são estranhas se a estrela estivesse no céu. Além disso, a estrela desaparece e reaparece. Muito provavelmente foi um anjo que os guiou pois os anjos são também referidos como estrelas na Bíblia (Ap 1:20).

Maria e José não estavam sozinhos

     Maria e José foram a Belém porque era a cidade onde os da casa de David eram tributados. Sem dúvida, havia outras pessoas (familiares e amigos) que também estariam lá para a tributação. Não haveria razão para eles terem ficado sozinhos. O facto de não haver lugar para eles na “estalagem” não significa que eles tivessem ficado fora ao frio, mas significa que todos os quartos da casa estariam ocupadas com pessoas, talvez pessoas que conheciam.

O nascimento de Jesus não foi milagroso

O nascimento de Jesus foi provavelmente mecanicamente muito comum. Foi a concepção virginal que foi miraculosa.

O nascimento de Jesus não é o Evangelho

     O nascimento de Jesus é encontrado em dois dos quatro livros da Bíblia que as pessoas chamam casualmente de “Evangelhos”. Contudo, o nascimento de Jesus não é o Evangelho de Cristo que é o poder de Deus para a salvação. Este Evangelho é encontrado nos escritos de Paulo em 1 Coríntios 15:1-4 e exclui o nascimento de Cristo.

O nascimento de Cristo não foi o evento mais importante da história

     Na realidade não foi. Se Jesus tivesse simplesmente nascido, todos nós ainda estaríamos em nossos pecados. É a Sua morte e ressurreição que é o Evangelho que tem o poder de Deus para salvar. Não há poder para salvar na manjedoura.

Jesus não nos disse para celebrar o Seu aniversário

     A Bíblia não nos instrui para celebrar o nascimento de Jesus. Os discípulos não comemoraram o Seu nascimento. Paulo até proíbe que nos gloriemos, a não ser na cruz (Gl 6:14). A Bíblia diz-nos para nos gloriarmos na Sua morte e ressurreição. A Bíblia diz-nos para fazer isso, e os cristãos fazem-no há séculos (Gl 6:14).

Cristo não foi gerado na manjedoura

     A parte mais incompreendida do nascimento é que Jesus não foi gerado na manjedoura. Na verdade, Atos 13:33 e o Salmo 2:7 indicam que Cristo foi gerado na Sua ressurreição. Jesus nasceu e morreu, mas foi a ressurreição que foi o evento que nenhum outro homem poderia realizar. Muitos homens morreram pelos outros, mas Jesus foi o Filho unigénito que morreu por nós. O primeiro e único homem a ressuscitar dos mortos por Si mesmo para não mais morrer.

Comemorar o Seu nascimento não é como devemos glorificar a Deus

     Paulo disse que longe dele estava gloriar-se, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo (Gl 6:14). O enfatizar do Seu nascimento esconde a glória da cruz e desvia a atenção para um evento sob a lei que não tem o poder de salvar ninguém, mas poderia causar confusão pois Mateus-João são Antigo Testamento na sua doutrina, e a atualidade está recheada de fábulas e tradições católicas romanas.

     Mais importante do que Maria ter dado à luz um menino foi o facto de Deus ter sido manifestado em carne, sem a qual a Sua morte na cruz não poderia pagar pelos nossos pecados:

     “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” - João 1:14

     Em João 1:14 não há manjedoura, nem bebé a chorar, nem panos, nem canções de embalar. Existe apenas o Deus do universo colocando um manto de humanidade para morrer pelos nossos pecados e depois ressuscitar para a nossa justificação (Romanos 4:25).

     Gloriar na cruz de acordo com o mistério de Cristo é o meio mais importante de dar paz aos homens na Terra hoje (Rm 5:1).

     Embora muitos se concentrem na manjedoura de Jesus, use estes factos da Bíblia para ajudar a direcionar as pessoas para a pregação do evangelho da cruz neste ano.

 

 

Sermões e Estudos

David Gomes
Faróis

Sermão proferido por David Gomes em 15 de setembro de 2019

José Carvalho
Dupla Verdade

Sermão proferido por José Carvalho em 08 de setembro de 2019

Carlos Oliveira
Dividir bem a Bíblia II

Sermão proferido por Carlos Oliveira em 01 de setembro de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:19 em 11 de setembro de 2019

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário