• 1
  • 2
  • 3

Servindo entusiasticamente,
com amor e temor,

para em tudo te enriquecer em Cristo, em toda a Palavra, em todo o conhecimento (1 Coríntios 1:5).

Testemunhos

Pedro Cândido

Breve testemunho acerca de como se converteu a Cristo e de como tem sido a sua vida ao Seu lado.

José Jacinto Carvalho

Conversão significa mudar de vida e a minha vida mudou mesmo.

Jorge da Silva

Como a graça de Deus o conduziu à salvação em Cristo. Ouve o seu testemunho até ao fim.

Sermões e Estudos

José Carvalho
Herança

Tema abordado por José Carvalho em 25 de julho de 2021

Carlos Oliveira
Religiões de substituição

Tema abordado por Carlos Oliveira em 23 de julho de 2021

Fernando Quental
Paciência

Tema abordado por Fernando Quental em 18 de julho de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:1 em 21 de julho de 2021

 
ver mais
 

20-07-2021 - Sequestrador violento arrepende-se e crê em Cristo como seu Salvador, após vítima lhe perdoar

Chris Carrier orou por David McAllister, homem que o sequestrou quando era criança. (Foto: Arquivo pessoal)

 

Chris Carrier orou por David McAllister, homem que o sequestrou quando era criança. 

 

     Vinte de dezembro de 1974 foi o último dia de aula antes do feriado de Natal. Foi também um dia que marcou a vida de Chris Carrier de dez anos de idade. Ele estava a regressar a casa da escola, próximo a Coral Gables na Flórida, EUA, quando um homem o parou chamando-o pelo nome e perguntando pelo seu pai.

Chris Carrier:
Ele falou-me sobre dar uma festa ao meu pai, e que queria me ajudar. Eu aceitei na mesma hora. Naquela oportunidade, eu achava certo, visto ele conhecer os meus pais. Eu podia acreditar nele.

Clube 700: Mas não havia nenhuma festa e não devia acreditar no homem. O raptor de Chris levou-o para os everglades (pântanos) da Flórida e então….

Chris Carrier: Ele saiu do assento do condutor e foi até o banco traseiro. Por alguma razão, depois voltou e me golpeou no ombro e nas costas, antes de me lançar ao chão. Em seguida ele ajoelhou-se sobre mim, queimou-me com cigarros e golpeou-me com um furador de gelo várias vezes.

Ele arrastou-me depois para dentro do pântano cerca de seis a sete metros, encostou-me a um mourão de cerca e, sem que eu percebesse, disparou em mim bem na cabeça, de lado, deixando-me inconsciente imediatamente. Seis dias depois, 26 de dezembro, eu acordei achando que ainda era o mesmo dia, achando que eu só tinha adormecido. O Senhor, na sua misericórdia, permitiu-me não notar totalmente o que havia ocorrido. Contra todas as expectativas, sobrevivi a tudo isso. Milagrosamente, a bala deixou-me apenas cego de um olho, mas não causou danos cerebrais. As facadas foram todas superficiais. 

Clube 700: Chris caminhou até uma estrada principal, onde um homem passava com um carro e levou-o até o hospital mais próximo. A polícia de Coral Gables foi avisada, provocando uma frenética busca durante seis dias. Enquanto estava no hospital, Chris conseguiu dar à polícia uma descrição detalhada de seu agressor, uma descrição que se encaixava com um ex-empregado que tinha ficado descontente com a família Carrier. O ex-empregado, chamado David McAllister, tornou-se o principal suspeito mas, por falta de qualquer prova física, nunca foi preso. O jovem Chris sobreviveu à agressão, mas ficou permanentemente cego do olho esquerdo.

 

A foto ao lado foi tirada logo que Chris chegou ao hospital. Ele estava bastante ferido e traumatizado.

Chris Carrier: Lembro-me que, nos primeiros três anos após o facto, eu provavelmente passei oitenta por cento das noites dormindo num saco-cama aos pés da cama dos meus pais.

Clube 700: Mas, depois, com treze anos de idade converteu-see ao Senhor Jesus Cristo como seu Salvador.

Chris Carrier: Isso mesmo.

Clube 700: E o que aconteceu? Como isto alterou a sua perspectiva sobre o que havia acontecido?

Chris Carrier: Jesus estendeu sua mão sobre a minha vida e eu deixei de me preocupar se iria ou não me encontrar novamente com o Sr. McAllister. Eu não precisava mais me preocupar se alguém me queria morto ou vivo.

 

Jornal da época mostra retrato do suspeito.

Clube 700: Então, Chris cresceu, casou, formou uma família e tornou-se um jovem ministro. A agressão e o agressor eram uma lembrança distante. Mas então, em setembro de 1996, Chris recebeu uma chamada telefónica de um investigador de polícia. Vinte e dois anos mais velho e morrendo numa enfermaria de hospital, David McAllister confessou o rapto de Chris Carrier. O investigador telefonou a Chris.

Chris Carrier: Ele telefonou e disse: O Sr. McAllister confessou e eu gostaria de ter a sua confirmação de que este é o homem que o senhor achava que era.

Clube 700: Não apenass Chris se foi encontrar com David McAllister mas, para surpresa dos seus amigos, família e uma média perplexa, Chris tornou-se amigo e companheiro de um solitário e moribundo David. A certa altura, David pediu perdão a Chris.

 

Chris tornou-se amigo e companheiro de um solitário e moribundo David.

Chris Carrier: Assim que ouvi ele dizer aquelas palavras, eu disse: “Pai, obrigado por me teres dado esta oportunidade, porque agora posso dizer: David, o quadro está limpo. Foi perdoado.

Clube 700: Quando ele descobriu que lhe havia, de facto, perdoado não apenas naquele dia, mas que o havia perdoado anos antes, o que isso fez com ele? Que efeito isso causou nele?

Chris Carrier:
Causou nele um conforto que ele nunca havia experimentado em setenta e sete anos de vida e, especialmente nos últimos vinte e dois, porque isso deu-lhe a ele paz para dizer: “o que eu fiz e me arrependo, não é algo que irá mais me perseguir.”

Clube 700: Chris nunca saiu do lado da cama de David sem orar com o seu antigo adversário, levando mesmo Davis McAllister a uma oração para receber Cristo como seu Salvador. No final, Chris Carrier foi a única pessoa que se preocupou com David McAllister, dando-lhe um enterro digno. Esta amizade incrível atraiu interesse da imprensa. Jornais, emissoras de televisão, programas de entrevistas, todos queriam saber o que tornou Chris Carrier capaz de amar David McAllister. Na verdade, tenho duas perguntas. Porque acha que as pessoas dos média ficaram tão interessadas? Porque eles se preocuparam com o assunto? Eles entendem que esta é uma história de perdão, um perdão inesquecível?

Chris Carrier: Isto tudo é, de certa forma, pegar nas Escrituras e ver quão vivas estão. Não quero parecer exagerado, mas não posso deixar de comparar a minha vida com a história de José e o que os irmãos dele o fizeram passar. Eu gostaria que nós tivéssemos a vóz de José gravada, com ele a dizer; “ vós, na verdade intentastes o mal contra mim, porém Deus o tornou em bem…”. Acho que é a mesma coisa agora, para que o mundo veja alguém que foi vítima de uma tragédia tão horrível se transformar totalmente e dizer: “eu não te ofereço vingança: te ofereço amizade, perdão e esperança. Te ofereço o Senhor.” “Sei que o mundo pode me ver como a vítima de uma horrível tragédia, mas eu me considero a “vítima” de muitos milagres. O facto de eu estar vivo e não ter nenhuma deficiência mental desafia as probabilidades. Tenho uma esposa amorosa e uma família linda. Recebi tantas dádivas quanto qualquer outra pessoa - e amplas oportunidades. Fui abençoado de várias maneiras. E enquanto muitas pessoas não conseguem entender como pude perdoá-lhe, do meu ponto de vista eu não poderia deixar de fazê-lo. Se eu tivesse escolhido odiá-lo todos esses anos, ou passar a vida a procurar vingança, então eu não seria o homem que sou hoje – o homem que a minha mulher e filhas amam.”

 


Chris Carrier perdoou ao homem que quase o matou quando era criança. (Foto: Who's Your One)

- in Christian Post

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_________________________________________

NOTA de esclarecimento importante:

Esta secção de notícias é exatamente isso, e tão somente isso: notícias, visando informar o povo de Deus do que vai acontecendo no mundo. Não significa que subscrevamos princípios, práticas e costumes associados às mesmas. O resto do portal esclarece bem e com rigor o que realmente cremos à luz das Escrituras bem manejadas.

FRUINDO DA ADMIRÁVEL GRAÇA DE DEUS,
A NOSSA MISSÃO É AJUDAR TODOS 
A USUFRUIR DA MESMA GRAÇA.

"... vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão" (2 Coríntios 6:1).
Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus ... (Efésios 3:2)
"... que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar
a ação de graças para glória de Deus" (2 Coríntios 4:15).
"Porque pela graça sois salvos ..." (Efésios 2:8).

  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário