Pára o comboio do divórcio antes do descarrilamento

     Em Malaquias 2:16 Deus diz, “Eu odeio o divórcio.” Porque pensas que Deus odeia tanto o divórcio? Eu creio que é porque Ele conhece a dor e o sofrimento que o divórcio causa a tantas pessoas: marido, esposa, filhos, família próxima, amigos e colegas de trabalho. O divórcio causa dor a toda a gente que ele toca. Com a taxa de divórcio dos primeiros casamentos a atingir os 50%, isso representa MUITO sofrimento.

     Não há algo que nós, como Cristãos amigos preocupados, possamos fazer para parar o comboio do divórcio antes do casamento descarrilar totalmente? Muitas vezes ouvi pessoas dizer, “Se tivesse sabido antes de me divorciar quão mau seria, teria me empenhado mais na salvação do meu casamento. Teria gasto o dinheiro que gastei em advogados num conselheiro matrimonial.”

     Quando um casal começa a ter problemas, os seus amigos, familiares e até os seus pastores podem pensar que a única solução é o divórcio. Parece que receamos estar a meter o nariz ao tentarmos descobrir uma forma de ajudá-los a salvar o seu casamento. O meu próprio pastor baptista disse-me que porque o meu marido tinha adulterado, eu não podia viver mais com ele e podia muito bem divorciar-me a fim de poder ser livre para poder voltar a casar. Eu não via outra alternativa senão divorciar-me e começar uma nova vida.

     Porque é que ninguém me avisou do enorme sofrimento que a minha família e eu iríamos passar? Eu não tinha ideia das consequências que o divórcio teria nos meus filhos e na minha família mais próxima; ninguém me disse o que me sucederia fisicamente, emocionalmente, espiritualmente e financeiramente durante e depois do divórcio. Tive de começar a trabalhar a tempo inteiro, deixando que os meus filhos fossem para uma casa vazia depois da escola. Perdi 14 kg em dois meses. Senti-me como se Deus me tivesse abandonado. A minha vida foi mudada para sempre num espaço de meses.

     Assim, o que é que isto nos diz a nós, Cristãos amigos e familiares dos casais cujos casamentos estão em crise? Diz-nos que nos devemos envolver na vida das pessoas. Eu creio que o Senhor espera que mantenhamos os nossos corações abertos, para que o nosso andar com Ele seja tal que sintamos o toque do Espírito pondo as pessoas no nosso caminho. Necessitamos de construir relacionamentos que sejam suficientemente abertos para sabermos o que está a acontecer nas vidas dos nossos irmãos e irmãs. Então, quando virmos os primeiros sinais de problemas num casamento, temos a oportunidade, NÃO, a obrigação, de tentar ajudar o casal a tomar consciência de quais são as consequências que o divórcio terá sobre eles, os seus filhos, a sua família mais próxima e a igreja. Ninguém sai ileso das consequências de um divórcio. Permeia as fibras todas da vida de uma pessoa. A vida nunca mais será a mesma. Estas pessoas, que são céleres a apanhar o Comboio do Divórcio, precisam de saber isto! A erva NÃO é mais verde fora dos laços do casamento. A vida NÃO é melhor após o divórcio!

     Assim qual é a resposta? Sabemos que o problema é o pecado de um ou de ambos os cônjuges. Sabemos que a resposta para o problema do pecado é uma mudança de coração, e isso só pode acontecer através do Senhor Jesus Cristo. Normalmente a maioria não tem consciência de que Jesus é a resposta. Temos de os encaminhar para Jesus para que Ele sare o seu casamento.

     Primeiro temos de atrair a atenção do casal para que eles tomem consciência que o seu casamento se dirige para o desastre do divórcio. Muitos casais descem o caminho do divórcio sem se aperceberem do que está a acontecer. Eles simplesmente sabem que são infelizes, não se sentindo realizados e procurando encontrar um modo de felicidade.

     Na semana passada estive a tentar ajudar um homem novo cuja mulher o deixou e aos seus três rapazes (13, 9, e 5 anos) após catorze anos de casamento porque ela simplesmente não queria ser mais esposa e mãe. Ela não se sentia realizada! Os filhos estavam feridos e furiosos; o pai devastado. Há seis meses que ela partiu e nem sequer vê os filhos. A parte triste é que ela nunca encontrará satisfação ou realização no mundo que ela escolheu. Ela ir-se-á sentir culpada e sofrerá para o resto da sua vida como resultado das suas acções.

     O que teria acontecido se um amigo chegado, pastor ou familiar tivesse podido trabalhar com eles há um ano para tentar ajudá-los a trabalhar as suas divergências? O que teria acontecido se alguém lhe tivesse dito, “Não encontrarás satisfação, nem te realizarás, no mundo, mas em Jesus”? O que teria acontecido se alguém lhe tivesse mostrado quais seriam as consequências do divórcio nos seus filhos e nela – mentalmente, fisicamente e emocionalmente? Ela poderia ter ido na mesma, mas pelo menos teria sabido que a sua escolha não seria sábia.
- Naomi Ford

Sermões e Estudos

José Carvalho
Influenciados

Sermão proferido por José Carvalho em 14 de julho de 2019

David Gomes
Escapando de Emaús

Sermão proferido por David Gomes em 07 de julho de 2019

Carlos Oliveira
Maldição hereditária

Sermão proferido por Carlos Oliveira em 30 de junho de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:18 em 10 de julho de 2019

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário