Poesias de Anabela Dias

Anabela Dias

Poema baseado no sermão proferido por Dário Botas em 29 de setembro de 2019

SEMINÁRIO OU IGREJA

08/11/2019

Para a Bíblia conhecer
Muitos jovens na verdade         (1)
Julgam ter de frequentar
Uma universidade,

Estudar num seminário
Que os irá capacitar                    (2)
A servir, serem bons servos,
E também a liderar.

Já dizia o apóstolo Paulo,
Fariseu considerado                    (3)
Entre o povo de Israel,
E nas letras doutorado,

Que a sua pregação.  
Pra ele não consistia                    (4)
Em palavras persuasivas
De humana sabedoria. 

P’ra que a fé não se apoiasse
No que aos homens aprouver,      (5)
Mas sim na demonstração
Do Espírito e de poder.

Não era o diploma,
Que lhe dava a aprovação             (6)
P’ra pregar o Evangelho
Da graça e da Salvação.

Hoje, querendo a Deus servir,
Mal acabe o secundário,                 (7)
É-lhes vendida a ideia 
De ter de ir p’ró seminário.

Pois no mundo do trabalho,
Quem quer conforto e sustento,      (8)
Quase sempre é-lhes pedido,
Diploma ou doutoramento.   

Mas....

Quando a ideia vem p’rá igreja,
De que é preciso um mestrado ...    (9)
P’ra conhecer a Palavra ...
Eu até fico chocado!  

Não conhecem como Deus 
Trabalha nas nossas vidas!           (10)
Como Ele nos capacita
P’rás lutas mais aguerridas.

Ele escolheu Seus discípulos,
Deles, levantou pastores!                  (11)
Teve cobradores de impostos,
E humildes pescadores.

Mais sábia do que os homens,  
É a loucura de Deus!                          (12) 
Sua fraqueza é mais forte,
Que todos os servos Seus.

É erro um seminarista,
Pensar que ao ter o canudo,               (13)
Está apto pra ser um líder
E que da Bíblia sabe tudo.

Ele corre um grande perigo,
De orgulho de posição!                         (14)
Incha com o seu estatuto,
E não é um bom Cristão.

Muitas vezes correm o erro
De torcer as Escrituras                          (15)
Com suas vãs subtilezas 
E filosofias escuras.

Não pregam segundo Cristo!
E o erro desce bem fundo;                     (16)
Pregam tradição de homens,
E os rudimentos do mundo.

Deus não trabalha assim!
Através de seminários!                      (17)
Mas é p’la Sua Palavra,
Que Ele forma bons operários.

Ouvindo os estudos bíblicos,
Na sua igreja local!                            (18)
Ir aos cultos ao Domingo,
E a ser mais espiritual.

Que a Palavra habite em nós,
Em toda a sabedoria!                        (19)
Louvando e cantando hinos,
Com graça e com alegria.

As Escrituras nos trazem,
Paciência e consolação!
Que nunca nos falte a esperança,   (20)
E entre nós comunhão.

Se cada irmão estiver firme,
Na Palavra preservar                    (21)
Deus dará capacidade
Duns aos outros ensinar.

Ele deu uns para apóstolos
Evangelistas, pastores!                (22)  
A outros fê-los profetas,
Mas também formou doutores.

A cada um Ele dá Graça
Nos dá amor e poder!                 (23)   
À medida do dom de Cristo,
A igreja irá crescer.

Quem prega ensina a si mesmo
Sem roupagem de vaidade!        (24)
É p’ró Senhor, não p’rós homens,
Que em tudo haja humildade.

Sei quem esteve num seminário,
E me contou como é!                 (25)
E nada ia ao encontro
Do que é exigido p’la fé.

Pode até ser importante
Pra um status social,                   (26)
Mas p’ra uma vida com Deus,
Não se torna essencial.

A igreja corpo de Cristo,
A Bíblia deve estudar!               (27)          
Pois tudo vem do Senhor
Desde o querer ao efetuar.

 

Poema baseado no sermão proferido por Alberto Veríssimo em 11 de agosto de 2019

VIDA NA TEMPESTADE

23/09/2019

 

Deixando a multidão

Já tarde naquele dia                    (1)

Depois de  entrarem no barco

Cansado, Jesus dormia.

 

Mas rebenta um temporal

De vento e as ondas subiam,      (2)

Tão grandes, de tal maneira

Que de água o barco enchiam.

 

Os discípulos O acordaram,

Gritando muito assustados,      (3)

Mestre, Tu não te importas

Que morramos afogados?

 

Então Jesus despertando,

Aos ventos e ao mar falou!     (4)

Silêncio! Aquietai-vos!

E a tempestade acalmou.

 

E disse então aos discípulos,

Onde está a vossa fé?    (5)

Mas eles vendo a bonança,

Diziam... este quem é?

 

Que há tempestades na vida,

É grande e dura verdade!       (6)

Mas se à fé damos guarida,

Há Vida na tempestade.

 

E Jesus é essa vida!

Carregamos o Senhor!      (7)

Nossa fé é a bandeira,

Que desfralda o Seu amor.

 

Agora estamos com Ele!

Com o Senhor nós vivemos,     (8)

E pensamos que com Ele,

Todas as coisas podemos.

 

E podemos sim, de facto,

Mas quem é Jesus pra nós,     (9)

Se há tempestade na alma

E a dor se torna atroz?

 

Quando as águas da angústia,

Vem nosso barco inundar!     (10)

Será que nós temos fé,

Para n'Ele confiar?

 

Seremos como os discípulos 

Com as mesmas reações?      (11)

Se as circunstâncias da vida,

Nos dá nuvens e trovões?

 

Mais uma vez, eles estavam,

Por Jesus sendo testados!    (12)

E quantas vezes nós somos,

P’lo Senhor também provados!

 

Jesus leva os seus discípulos,

Na prática a uma lição!           (13)

P’rá fé deles fortalecer,

Na bonança ou na aflição.

 

Ao estudar as Escrituras,

Podemos observar                 (14)

Também ao profeta Jonas,

Lição prática Deus quis dar.

 

Foi o único profeta,

Que por Deus foi levantado,       (15)

Para a um povo inimigo,

Ir clamar Seu desagrado.

 

À cidade de Nínive,

Teria de ir pregar!                      (16)

Aos invasores de Israel,

Sua Graça, Deus quis mostrar.

 

Mas em direção contrária,

Do Senhor, Jonas fugiu!           (17)

E descendo até Jope,

P’ra Társis tomou navio.

 

Era mensagem de esperança,

Também de restauração;        (18)

Para inimigos Assírios,

Em dura rebelião.

 

Mas Jonas ficou zangado!

Será que Deus não sabia,        (19)

Que esse povo era ruim,

Que nossa terra invadia?

 

Desce então ao navio,

Depois desce ao porão,        (20)

Percebe a fúria de Deus,

Por ter fugido à missão.

 

Pois entra num temporal,

Que era de bradar aos céus!     (21)

E o mestre do navio

Lhe grita! Invoca o teu Deus.

 

Se dando como culpado,

Logo o lançaram ao mar!          (22)

Tragado por grande peixe,

Ao seu ventre foi parar.

 

No peixe desce ao abismo,

E ainda ao Hades descia,        (23)

Onde é o mundo dos mortos, 

E sua alma estarrecia.

 

Tudo que Jonas passou,

Foi por desobediência!       (24)

Quis fazer tudo ao seu jeito 

E sofreu a penitência.

 

Mesmo a Deus conhecendo

Nossa fé não praticando,           (25)

A vida só desce, desce,

E o temporal vai fechando.

 

O medo nos paralisa,

Vemos a angústia aumentar,      (26)    

E dum momento pr’ó outro, 

Temos a morte a chegar.

 

Não é pela tempestade,

Que Deus nos vem socorrer!     (27)

Mas sim pela nossa fé,

Na Sua força e poder.

 

Dizemos! Eu tenho fé!

Tenho sim! Creio no Senhor!      (28)

À primeira adversidade,

Vem o pânico, o pavor.

 

P’rà fé ser firme e robusta,

Temos de a exercitar!               (29)

Será que o que estás passando

É Deus querendo te mudar?

 

Nós temos Jesus connosco,

Isso não vai impedir,                  (30)

Que crises e temporais,

Na vida possam surgir.

 

Há contas para pagar,

O dinheiro não está chegando,     (31)

À noite, não vem o sono,

Em tudo se está pensando.

 

Pode vir uma doença!

Desemprego, é um tormento!      (32)

Empresa pode falir,

Há brigas no casamento.

 

As difíceis situações,

Deus as usa p’ra ensinar,       (33)

A dominar nossos medos,

E pela fé caminhar.

 

O problema dos discípulos,

Não era a tempestade!               (34)

O maior pânico era

Enfrentar a eternidade.

 

Sabes quem é o teu Deus?

Os discípulos não sabiam;       (35)

Andavam sempre com Ele,

Os seus ensinos ouviam.

 

Na multiplicação dos pães,

Viram e participaram;             (36)

E foram eles também,

Que os cestos carregaram.

 

Quem é este? perguntavam!

E com almas inquietas,           (37)

Não viam que era o Messias,

Prometido p’los profetas.

 

Na Bíblia, o símbolo do mar,

É o mundo e as nações!          (38)

Como não somos do mundo,

Passamos por provações.

 

Quais as razões pra ter fé?

Pois quando o medo aparece,    (39)

Gera o pânico, o pavor,

E a fé logo enfraquece.

 

O músculo da nossa fé,

Deve ser exercitado!              (40)

Deus deu-nos as Escrituras,

Um riquíssimo legado.

 

A fé cresce ao ouvir e ouvir,

A Palavra do Senhor!           (41)

Às reuniões assistir,

Com agrado e com louvor.

 

Nosso Jesus prometeu,

Que nunca nos deixará!         (42)  

De acordo com suas riquezas,

Nossas faltas, suprirá.  

 

Há quem ao estar na bonança,

Se afaste do Senhor!              (43)

S' Ele permite a tempestade,

É porque nos tem amor.

 

Tem gente que é uma pessoa,

Se está próspero e tem dinheiro!     (44)

Mas é outra bem diferente,

Quando acaba o mealheiro.

 

Quão maior é o temporal,

Mais a Deus nós nos chegamos;     (45)

Oramos, lemos a Bíblia,

E a seus pés também choramos.

 

Se tudo nos corre bem,

Ficamos acomodados,                  (46)

Pecamos, não somos gratos,     

Nem ficamos abalados.

 

Mesmo que a nossa vida

Venha a ser um turbilhão,               (47)

Ore e clame ao Senhor,

Com Ele tenha comunhão.

 

Confie sempre em Jesus,

E com Ele siga avante!                 (48)

Mesmo que o mundo se agite,

E o inferno se levante.

 

Connosco Ele no barco está!

E o momento vai chegar...       (49)

Em que Ele se põe de pé,

E manda o vento parar.

 

 

Poema baseado no sermão proferido por David Gomes em 07 de julho de 2019

ESCAPANDO DE EMAÚS

01/08/2019

 

Ao longo da nossa vida,
Carregando nossa cruz,            (1)
Quantas vezes nós trilhamos 
O caminho de Emaús.

Podem abrir vossas Bíblias,
Para entender o relato!                (2)
No Evangelho de Lucas,
No capítulo vinte e quatro.

Tinha pois Jesus morrido!
E as mulheres de madrugada,        (3)
Quando chegaram ao túmulo,
Viram a pedra tirada.

Levaram especiarias,
Que haviam preparado!               (4)
E entrando no sepulcro,
O corpo não foi achado.

Estavam atemorizadas!
Junto delas de repente,           (5)
Eis que elas veem dois anjos,
Com veste resplandecente.   

Porque o vivente buscais?
Ele já ressuscitou!                       (6)
Entre os mortos não está mais,
Disto, Ele vos falou.

Convém que o filho do homem,
Que seja crucificado!                   (7)
Sofra às mãos dos pecadores,
Mas depois, ressuscitado.

Então elas se lembraram!
Voltando foram contar,               (8)
Aos onze e a todos os outros,
O que se estava a passar.

Anjos? Ai... eles acharam...
Tudo aquilo uma tolice!               (9)
Nelas não acreditaram...
Pensaram... que era doidice.

Mas Pedro se levantou
Para o sepulcro correu!             (10)
Somente viu os lençóis,
Muito admirado, cedeu.

O Senhor os preparou
Para o que ia acontecer,            (11)
Mas ficaram bloqueados, 
Como quem não pode ver.

Ainda naquele dia, 
Dois discípulos de Jesus,            (12)
Deixaram Jerusalém,
Fugiam para Emaús.

Na altura era complicado,
Para quem era cristão,                (13)
Ou mesmo quem era apóstolo,
Sofria perseguição.

Para nós seria o dia,
Da Ressurreição, da Luz!             (14)
Mas para os discípulos era,
O da morte de Jesus.

De.. "Fonte de águas quentes",
Emaús era cartaz!                         (15)
Jerusalém significa,
Somente "Lugar de Paz".

Iam no caminho errado,
Tristeza no horizonte!                 (16)
A fonte de "Água Viva"
Trocavam por outra fonte.

Saíram do Lugar de Paz,
Por não crerem na promessa      (17)
Que Jesus ressuscitava,
Pois a dúvida era essa.

Com Jesus, eles andaram,
Viram mortos ressuscitar;          (18)
Viram-no dar vista aos cegos,
Paralíticos pôr a andar.

Próximo do caminho certo,
Quantas vezes nós estamos!       (19)
P'la nossa incredulidade,
Outro caminho trilhamos.

Mas sobre o que sucedera,
Entre si iam falando,                     (20)
O Senhor se aproximou,
Com eles foi caminhando.

Com corpo glorificado,
Nova maneira de ser,               (21)
Não foi identificado,
Não o puderam conhecer.

Mas que palavras são essas,
Que andando vós trocais?              (22)
Por que estão amargurados,
Por que é que tristes estais?

Tu vens de Jerusalém,
Não sabes o sucedido?             (23)
E das coisas tão terríveis,
Que lá tem acontecido?

Jesus perguntou que coisas?
Tendo esta oportunidade               (24)
Cleófas aproveitou
P'ra expor sua realidade.

As que falam de Jesus,
Um profeta poderoso,                 (25)
Em obras e em palavras
Diante de Deus e do povo.

E os principais sacerdotes,
E os príncipes O entregaram,          (26)
À condenação de morte, 
E assim O crucificaram.

Nós pensámos q'Ele viesse,
Para Israel redimir,                      (27)
Q'Ele seria O Messias,
O que havia de vir.

Inda não tinham entendido,
De Jesus, Sua verdade,                   (28)
Q'Ele morreu p'los pecados deles,
E os de toda a humanidade.

Vê-se esperanças desfeitas,
Há traços de deceção,              (29)
Muita incredulidade,
Desânimo, desilusão.

Ó falhos de entendimento,
Jesus os repreendeu!                 (30)
Não estava profetizado
Tudo quanto aconteceu?

E começando por Moisés,
E por todos os profetas,            (31)
Semeava as Escrituras,
Naquelas mentes desertas.

Sentem o coração pulsar
Pela Sua autoridade!                 (32)
Como espada, o penetrar,
Da Palavra da Verdade.

Chegaram ao seu destino,
Jesus não ia parar!                       (33)
Mas então O convidaram
Para com eles ficar.

E estando todos à mesa,
Jesus abençoa o pão,               (34)
E com eles o divide,
Abertos seus olhos são.

Jesus Lhes desaparece,
Pois eles O conheceram!            (35)
E logo na mesma hora,
P'ra Jerusalém correram.

Não deviam ter deixado,
Jerusalém e o seu povo,           (36)
Mas já não havia medo,
Tudo se torna um renovo.

Novas forças, alegria,
Ele nos vai permear;                  (37)         
Vamos pois contar aos outros,
Nosso testemunho dar.

Todos os outros reunidos,
Ao chegar, eles encontraram!      (38)
E como foi no caminho,
Aos onze, eles contaram.

Como Ele foi conhecido,
Assim no partir do pão!         (39)
E os onze lhes disseram,
Q'Ele apareceu a Simão. 

Isso eles não sabiam,
Que a Simão tinha aparecido!   (40)
Ficaram entusiasmados,
Jesus tinha ressurgido.

Já não tinham mais receio,
Felizes seus corações,           (41)
N'Ele até ganhavam forças,
Para enfrentar leões.

Quantos crentes há que vivem,
Sem a Jesus conhecer!             (42)
Sem o caminhar com Ele,
Mas bênçãos querem colher.

Não estudam as Escrituras!
Vivem de incredulidade!         (43)
E seguem o seu caminho,
Sem crer em toda a verdade.

Só através da Palavra,
Se conhece O Senhor!         (44)
Se queres Sua companhia,
Ele está ao teu dispor.

Ele será o teu guia,
Tua força, tua Luz!           (45)
Quando te apartas d'Ele,
Estás a ir para Emaús.

 


Poema baseado no sermão proferido por Carlos Oliveira em 19 de maio de 2019

CREMAÇÃO

10/7/2019

 

OS PADRÕES NA SOCIEDADE,

ESTÃO MESMO A BAIXAR!                             (1)

E DE FORMA ARREPIANTE,

QUE DÁ MUITO QUE PENSAR.

 

EM NENHUMA ÁREA DA VIDA,

OS CRISTÃOS DEVEM CEDER!                     (2)

POR ISSO É NECESSÁRIO

BEM, A BÍBLIA CONHECER.

 

À CERCA DA CREMAÇÃO

TANTA GENTE HÁ, BARALHADA!                 (3)

QUE A VONTADE DE DEUS;

É POR MUITOS, IGNORADA.

 

ESTÁ CLARO QUE O CREMAR,

O VALOR É MAIS BARATO!                          (4)                                                 

MAS O SEU PREÇO FINAL                           

SAI MAIS CARO, E É INGRATO.

 

NÃO NOS CONFORMAR COM O MUNDO,

É DE DEUS ESTA VERDADE!                        (5)

RENOVANDO O ENTENDIMENTO,

P'RA ENTENDER SUA VONTADE.

 

É A BÍBLIA QUE COMANDA,

O MEU PENSAR, MEU AGIR!                          (6)

NÃO FAZER O QUE OUTROS FAZEM,

MAS A VOZ DE DEUS OUVIR.   

 

SE UM HOMEM GERAR CEM FILHOS,

E UM ENTERRO NÃO TIVER,                          (7)

É PIOR QUE UM ABORTO,

POR MUITO QUE VÁ VIVER.

 

ENTRE O POVO DE ISRAEL,

O COSTUME NO PASSADO,                           (8)

ERA TODO O QUE MORRESSE,

TINHA DE SER ENTERRADO.

 

O CORPO DE JOÃO BAPTISTA,

SEUS DISCÍPULOS O LEVARAM!                    (9)

COM TRISTEZA E PESAROSOS,

COM AMOR O SEPULTARAM.

 

VEMOS QUE O PROFETA ESTÊVÃO,

ELE MORREU APEDREJADO!                          (10)

MAS POR UNS VARÕES PIEDOSOS

SEU CORPO FOI ENTERRADO. 

 

SEGUINDO A PRÁTICA BÍBLICA,

NÓS PODEMOS CONSTATAR,                         (11)

É DEUS QUE NOS RECOMENDA;

ENTERRAR E NÃO CREMAR.

 

QUEIMAR É EXPRESSÃO DE ÓDIO!

CASTIGO DE DEUS ATRAI!                               (12)

HÁ DESTINADOS AO FOGO!

O PRÓPRIO DEUS QUEIMAR VAI.

 

A BESTA VAI SER QUEIMADA!

OS ÍMPIOS, DEUS ABORRECE!                        (13)

E TODO O QUE ESTÁ PERDIDO,

PELO FOGO, ELE PERECE.

 

DESTRUIR CORPO P'LO FOGO!

A PRÁTICA DA CREMAÇÃO!                                     (14)

SÓ DESPERTA NO SENHOR,

SUA IRA E MALDIÇÃO.

 

E ERA CONSIDERADA,

DESONRA PARA A PESSOA!                                     (15)

NÃO TER UMA SEPULTURA,

NÃO ERA UMA COISA BOA.

 

NOSSO CORPO NÃO É NOSSO!

TEMOS DELE, BEM CUIDAR!                                      (16)

TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO,

NELE, A DEUS GLORIFICAR.

 

HÁ QUEM DIGA "O CORPO É MEU"

FAÇO DELE O QUE EU QUISER!                                 (17)

MAS O CORPO A DEUS PERTENCE,

SERÁ SEMPRE, O QUE DEUS QUER.

 

TODO AQUELE QUE É CRENTE,

ESPERA A VINDA DO SENHOR!                                    (18)

SER LIBERTO DAS ANGÚSTIAS,

DAS AFLIÇÕES E DA DOR.

 

MAS OS QUE EM CRISTO MORRERAM

SERÃO POIS RESSUSCITADOS!                                    (19)

E SEUS CORPOS ABATIDOS,

TOTALMENTE TRANSFORMADOS.

 

QUER VIVAMOS, QUER MORRAMOS,

OS CRENTES, SÃO DO SENHOR!                                   (20)

NOSSA CIDADE É NOS CÉUS,

DONDE VEM O SALVADOR.

 

OS ÍMPIOS ESTÃO CONVENCIDOS,

QUE OPTAR P'LA CREMAÇÃO,                                        (21)

FOGEM DO JUÍZO DE DEUS,

MAS QUALQUER ESFORÇO É EM VÃO.

 

ELES ATÉ DEIXAM ORDENS,

E ATÉ MANDAM ATIRAR,                                                    (22)

PARA SEREM DILUÍDAS,

AS SUAS CINZAS NO MAR.

 

É JESUS QUEM TEM AS CHAVES,

ESTEJA O CORPO ONDE ESTIVER!                                    (23)

NO JUÍZO, NO TRONO BRANCO,

SEUS CORPOS VÃO COMPARECER.

 

JESUS NÃO FOI SEPULTADO

P'RA PODER RESSUSCITAR?                                            (24)

 NÃO É ESSA A NOSSA ESPERANÇA?

SEU EXEMPLO ABRAÇAR?

 

A IDEIA DE CREMAR,

PEGOU MODA NO OCIDENTE!                                             (25)

VEM DE PRÁTICAS PAGÃS,

RELIGIÕES DO ORIENTE.

 

ELES POIS NÃO ACREDITAM

NO HAVER RESSURREIÇÃO!                                               (26)

MAS NA DOUTRINA DIABÓLICA,

CHAMADA REENCARNAÇÃO.

 

ESTA PRÁTICA NÃO É BÍBLICA!            

NA BÍBLIA NÃO HÁ REGISTO!                                               (27)

É AFRONTA CONTRA DEUS,

ANULA A OBRA DE CRISTO. 

 

QUE FOI À CRUZ DO CALVÁRIO                                (28)

SEU SANGUE PURO DERRAMAR,

P'RA NOS LAVAR DOS PECADOS,

P'LA FÉ, NOS JUSTIFICAR.

 

MAS DOUTRINA SEM SENTIDO,

É A DA REENCARNAÇÃO!                                             (29)

O CORPO ENTRAR NOUTROS CORPOS,

É COMPLETA ABERRAÇÃO.

 

É TRISTE ESTA SOCIEDADE,

QUE SE INTITULA CRISTÃ!                                             (30)

ESTAR TÃO PAGANIZADA,

CREMAR É CRENÇA PAGÃ.

 

SÓ O SANGUE DE JESUS,

AOS PECADOS TRAZ PERDÃO!                                       (31)

SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE,

NÃO HÁ PURIFICAÇÃO.

 

SEPULTURA É COMPARADA,

A ESPERANÇA A SEMENTEIRA!                                       (32)

E DEUS NOS TRANSFORMARÁ,

JESUS QUEBROU A BARREIRA.

 

O CORPO É SEMEADO,

EM PECADO E CORRUPÇÃO!                                            (33)

MAS SERÁ RESSUSCITADO,

EM PUREZA, INCORRUPÇÃO.

 

NÓS NASCEMOS COMO ADÃO,

COM UM CORPO NATURAL!                                  (34)                

CORPO FÍSICO E SUJEITO,

À MORTE E A TODO O MAL.

 

O SEGUNDO ADÃO, JESUS,

VENCEU A MORTE, COMO TAL,                            (35)

COMO ELE RECEBEREMOS,

UM CORPO ESPIRITUAL.

 

PORTANTO O SEPULTAMENTO,

É UMA CONFIRMAÇÃO,                                           (36)

QUE GRAÇAS À OBRA DE CRISTO,

CREMOS NA RESSURREIÇÃO.

 

 

Poema baseado no sermão proferido por Francisco Correia em 01 de junho de 2019

EVANGELIZAÇÃO
 

27/6/2019

 

Nós que já somos cristãos

Que já fomos convertidos,    

Devemos persuadir

Todos os que estão perdidos.

 

Persuadir é convencer!

É conduzi-los à fé!                

Cooperando com o Senhor,

Assim como fez Noé.

 

Que levou cento e vinte anos,

Pregando o temor de Deus,    

Persuadindo gerações,

E só conseguiu os seus.

 

É uma grande batalha

A evangelização!                

Para a fé e Evangelho,

Não há pré-disposição.

 

A quantos nós já falámos,

E não nos deram ouvidos?    

Quantos a Palavra ouviram

E não foram convertidos?

 

Vivemos num mundo hostil,

A Deus, ao Senhor Jesus!        

Opõem-se ao Evangelho,

Que à salvação os conduz.

 

Em território inimigo,

Da Palavra emissores,              

Nós temos dificuldades,

Por falta de recetores.

 

E há gigantes internos,

O medo em nós faz presença!    

Mas com Deus tudo é possível,

Desde que o medo não nos vença.

 

Para todos os descrentes,

As causas da rejeição,    

É que eles têm um véu,

Que lhes tolda a visão.

 

Nós falamos do pecado,

Da salvação em Jesus,      

De entendimento encoberto,

Não lhes resplandece a Luz.

 

Há neste mundo de trevas 

Gigante espiritual,                

Grande oposição satânica,

Que o mal, faz parecer normal.

 

Ao travarmos a batalha

Da evangelização,              

Levemos perseverança,

Espírito persuasão.

 

O que é um bom vendedor?

Para ele não há fronteiras!    

Atitude, é importante,

E saber quebrar barreiras.

 

É vender a sua imagem,

O produto valorizar;            

Que mesmo os que não precisam,

Acabam por o comprar.

 

Cria uma necessidade

Que o comprador não tem!    

Ela é inexistente,

E o seu valor fica aquém.

 

O embaixador de Cristo  

Fala a todo o pecador

Da real necessidade

À qual ele não dá valor.

 

Da qual não tem consciência,

Inda não caiu o véu!                

Pra entender que só Jesus,

Lhe traz salvação e o Céu.

 

Estão a entender a luta?

Os constantes desafios?            

O Evangelho é uma loucura,

Pra Judeus e pra Gentios.

 

Que engloba todas as raças,

Todas as línguas, cultura!              

O que pregamos não sentem 

Para eles é uma loucura.

 

É escândalo para os judeus

Não esperavam um Salvador                

Que até morre, foge dos sábios

Anda e come com o pecador.

 

Vamos evangelizar....

A maior parte resiste!                              

Muitos vamos encontrar

Que dizem, "Deus não existe.

 

Estes gigantes, abanam

Nossas fragilidades                                

Mas Deus, dotou a igreja,

Com dons, com capacidades.

 

A vergonha, a timidez,

O enfrentar rejeições,                                

Ao oferecer a Palavra

Faz parte das "aflições".

 

Se rejeitaram Jesus,

Também nos rejeitarão!                            

Preguemos o Evangelho,

Fonte de refutação.

 

Faze-los compreender

Com Espírito de amor,                                

Que precisam de ter fé

Para crer no Salvador.    

 

A Palavra tira a venda

Que Satanás colocou,                    

Cristo é o poder de Deus 

Que o Senhor nos enviou.

 

Ele é filho do Altíssimo

Que como homem nasceu,

E por nós se fez pecado,                

Pois na cruz por nós morreu.

 

Com Cristo na Sua morte

Somos identificados!                        

Porque Ele ressuscitou,

Seremos ressuscitados.

 

Em novidade de vida,

Nesse poder andaremos,                  

Somos novas criaturas 

Porque de novo nascemos.

 

Que haja moderação!

Espírito de fortaleza!                          

Ter p'las almas compaixão,

Persuadindo com firmeza.

 

Como soldados de Cristo,

Prontos devemos estar!                      

O amor que Deus nos deu,

Aos outros devemos dar.

 

Justiça e Sabedoria,

De Deus Sua essência é,                    

P'ra Salvação do que crê,

Que anda de fé em fé.

 

Poema baseado no sermão proferido por Fernando Quental em 12 de maio de 2019
“Os erros que os pais cometem”

30/05/2019

Se nós queremos ser felizes,
Aprendamos a lição:
Felicidade depende
Com o Senhor ter comunhão.

Se primeiro, no casamento
Há com Deus intimidade,
Ele usa vários fatores
P’ra nos dar felicidade.

Os filhos, Fruto do ventre
São herança do Senhor
Que tem de ser bem cuidada.
Foi-nos dada com amor.

Cuidado tem que ser extremo,
Praticar o que Deus quer,
Ter uma vida com Cristo,
Nela os filhos envolver.

Setas na mão do guerreiro,
Sãos os filhos da mocidade!
Devem sempre andar connosco
Em amor e humildade.

Em tudo dando o exemplo
Os devemos ensinar
A Deus terem gratidão,
A pai e mãe a honrar.

Superar dificuldades
Que os pais possam vir a ter.
Ao avançar na idade,
Cuidar deles, proteger.

Quantas vezes nós cedemos
À vontade dos petizes!
Sacrifícios nós fazemos
Só para os vermos felizes.

Querem tudo que é novidade.
E insistem no pedido,
Mas depois põem de lado;
Deixa de fazer sentido.

Lutamos a vida inteira!
Quando acaba a faculdade,
Já não serve essa carreira,
Já não traz felicidade.

Outro erro que os pais cometem
É quererem projetar
A vida deles nos filhos
Pró seu “eu” priorizar.

Que as diretrizes de Deus
Estejam sempre em evidência,
Porque se não as seguirmos,
Vai haver consequência.

Corrigi-los com amor,
Prepará-los para a vida
Na Palavra do Senhor
Com uma fé bem erguida.

Para cada um dos filhos
Um propósito Deus tem!
Impedimos grandes bênçãos
Não agir como convém.

Levemos aos pés de Deus
Nossas falhas e sofrer,
E o Senhor na altura certa
Nossos filhos vai mover.

Como setas que eles são,
Temos que os direcionar,
Para Deus, com a Sua mão,
Como barro os transformar.

Gostar de estar com os filhos,
Ter prazer em os educar,
Passar tempo com eles,
Quando há férias os levar.

Por vezes nós não deixamos
Nossos filhos se esforçarem
E no caminhar com Deus
Pela vida eles lutarem.

A vontade do Senhor
Não devemos beliscar.
Cada filho é um milagre
Que Deus nos deu p’ra criar.

Vão ser lançados no mundo!
Têm de estar preparados!
É trabalho! Compromissos!
E há-de vir o noivado.

Irão sofrer injustiças,
Desilusões podem vir!
Temos de chorar com eles
E com eles também rir.

Não é um objetivo
Ter, ou não, felicidade!
Ela vem do andar com Deus
Em Espírito e Verdade.

Quantas vezes O trocamos
Por qualquer coisa tão fútil!
Todo o nosso esforço humano
Se não tem Deus, ... é inútil.

 

 

O papel das mulheres na Igreja

28/11/2018

Depois de criar o homem,
Deus o olha com carinho!
Todo o animal tinha par,
Só Adão, estava sozinho.

Deus queria vê-lo feliz
E agiu sem mais demora;
Derramou sobre ele um sono
E formou-lhe uma adjutora,

Não da cabeça do homem,
Para não o governar,
Não foi feita dos seus pés
Para ele não a pisar.

Foi feita então do seu lado
P'ra poder ser amparada,
E perto do coração,
Para por ele ser amada.

Deus quer a mulher sujeita
Ao marido, como ao Senhor,
Como a igreja a Cristo,
Em união e amor.

Também ordena que o esposo,
Seja o chefe da família!
Jesus se submeteu ao pai
E obedeceu sem quezília.

Cristo é o cabeça do homem!
E o homem da mulher!
Deus o cabeça de Cristo,
São as Glórias que Deus quer.

Ambos têm seu valor,
Mas cumprem funções diferentes;
Há no papel das mulheres,
Aspectos muito abrangentes.

A mulher dentro da igreja
Vergonhoso é, se falar!
Devem por causa dos anjos,
Um véu na cabeça usar.

Deus não permite mulheres
Pregando à congregação!
Desobedecem a Deus,
E caem em transgressão.

Pois Deus primeiro fez o homem,
E ele não foi iludido!
A mulher sendo enganada,
Fez o que era proibido.

Ambos têm o privilégio
Com o Senhor ter comunhão
Levando ao trono da Graça
O poder da oração.

Como mães é importante,
Os seus filhos ensinar,
No caminho do Senhor,
A ler a Bíblia e orar.

Ensinar outras mulheres,
Com espírito de humildade;
A serem fiéis em tudo,
Principalmente à Verdade.

Não deve ser maldizente,
Deve exercer o perdão;
Vestir-se decentemente,
Ter um carácter cristão.

Tanto homens como mulheres,
Têm um papel bem profundo:
Devem ser o sal da terra
E também a luz do mundo.

 

 

A Primeira Dispensação

Dispensação da Inocência

5/11/2018

Ao homem foi dado tudo
Como Deus tinha previsto!
P’ra poder reger o mundo
Segundo a mente de Cristo.

Foi lá no Jardim do Éden
Que esta dispensação
Abrangeu todo o período
Da mãe Eva e pai Adão.

À imagem de Deus criados
Dotados de inteligência
Eram santos, sem pecado
Nesta era da Inocência.

Tinham comunhão com Deus
Lhe expressavam em verdade
Seu amor e Sua glória
Seu poder e santidade.

Mas havia obrigações
E os mandamentos, enfim,
Comer só ervas e frutos
Também guardar o jardim.

Dominar sobre animais
E sobre os peixes do mar
E sobre as aves dos céus
E a Terra povoar.

Deus também os advertiu
Que lhes seria fatal
Se eles comessem o fruto
Da árvore do bem e do mal.

Tinha o homem livre arbítrio,
Liberdade para escolher
Ou ceder à tentação
Ou a Deus obedecer.

E o tempo foi passando
Até que veio Satanás
Introduzir confusão
Num ambiente de paz.

Eva e Adão ignoraram
As palavras do Criador
Quando a dúvida abraçaram
Ao ouvir o tentador.

De serpente disfarçado
Com astúcia os enganou
E foi assim que o pecado
P’ra sempre no mundo entrou.



 

O que é o mistério
Ou,
A dispensação da graça de Deus

14/09/2018

O ministério da graça
Foi com Cristo que começou!
Ele veio para o Seu povo
Israel O rejeitou.

Então Deus deixou de lado
Por um tempo, como nação,
O Seu povo, e iniciou
A atual dispensação.

O arquiteto das eras,
Achou por bem nos mostrar
Seus planos para o futuro
Seus propósitos divulgar.

Mistério oculto dos séculos,
Em Deus, que tudo criou;
Através de Jesus Cristo
Que a Paulo o revelou.

Tinha Paulo por incumbência
Divina, de esclarecer,
A dispensação da graça
E tudo à luz nos trazer.

É a imensidão do amor
Revelado por Jesus,
Que lavou nossos pecados
Com o Seu sangue, na cruz.

É a formação da Igreja,
Corpo e Noiva de Cristo,
Judeus e Gentios unidos,
Paulo nos deixa o registo.

É o governo para um povo
Celestial! Revelado!
Salvo por divina graça,
Com o Espírito Santo selado.

É uma fé que tudo vence
Quando nada faz sentido;
É esperança que convence,
Quando te sentes perdido.

 

 

Quanto tempo tens?
30/06/18

Não é fácil de gerir;
Nosso tempo controlar.
E em relação à espera,
Ninguém gosta de esperar.

Diz-se que tempo é dinheiro
E deve de ser usado.
Ele pode ser investido,
Mas também desperdiçado.

Na vida há tempo para tudo
- de plantar e de colher.
E tudo tem o seu tempo,
Desde o nascer ao morrer.

Tempo tem preço, valor;
Ele deve ser remido!
Como é que o transformamos?
Em que é, que é convertido?

Tempo não volta para trás;
Não vai ser recuperado.
E um dia daremos contas
Do tempo que foi esbanjado.

Há as oportunidades,
As pessoas com quem lidamos,
Os caminhos que seguimos,
As decisões que tomamos.

Nós damos muito valor,
Ao tempo que temos livre!
Mas ninguém sabe ao certo
O tempo que por cá vive.

Quanto tempo é que tu tens?
As tragédias acontecem!
Trabalho, saúde, acabam;
Todas as coisas perecem.

“Não vai dar tempo”, dizemos.
Devíamos agradecer
Todo o tempo que nós temos,
E as desculpas combater.

Pensai nas coisas de cima,
Digo eu com amor fraterno.
Não deixeis o passageiro
Superar o que é eterno.

O tempo é muito importante,
Pois ele é a nossa vida!
Por vezes, sem dar por ela,
Já estamos de partida.

 

AO MEU PAI CELESTIAL
19/03/15 

Pai como Tu não há, justo, amoroso,
Ser Supremo, do mundo És Criador,
Perfeito em poder, bondade, zeloso,
O Universo reges com amor.

Tua existência, fonte de alegria,
És infinito, És incomparável,
És Santo, mui rico em sabedoria,
És perdoador e És imutável.

Na pessoa de teu filho te encarnaste,
Para ao pecador concederes perdão,
Tu, que eras Divino, homem te tornaste,
E como filho, p'ra dares salvação

Como agora eu posso Te agradecer,
Senão minha vida Te consagrar?
Tu és a razão de todo o meu viver.
O meu amor Te quero sempre dar.


O Céu

1-10-2014

É de ouro puro, a praça da cidade
As portas, doze pérolas preciosas
As almas que a habitam são ditosas
Louvando o Deus do amor e da bondade.

Não há choro, nem dor, nem falsidade,
Doença, morte, angústias tenebrosas,
Alegria e paz, bênçãos maviosas
P’ra quem aceita o Deus da eternidade.

Graça inaudita, é este futuro
Da água da vida sai um rio puro,
Do trono de Deus e do Cordeiro.

A Sua glória a todos ilumina
Ele é luz, verdadeira, genuína
Aquele que amou o mundo inteiro.



ONDE GUARDAR MEU SEGREDO
04/04/14

É segredo, não te conto,
Vou guardá-lo só p'ra mim.
Porque se eu te contar,
Tu não vais acreditar,
E não é segredo assim.

Que o revele o meu olhar,
Eu às vezes sinto medo,
Ou o coração sem querer,
E sem eu o perceber,
Onde guardar meu segredo?

Guardo-o no fundo do mar,
Entre algas e corais?
Ou embrulho-o em estrelas?
Nas mais lindas , nas mais belas,
Naquelas que brilham mais?

Guardo-o nas asas do vento?
No fascínio do luar?
Numa tarde magoada?
No romper da madrugada,
Quando a noite desmaiar?

Enterro-o na neve pura?
Nas cascatas a correr?
Ou no meio dos pinheirais,
Cheios de musgo e pardais?
Onde o hei-de esconder?

Guardo-o num jardim florido,
Nas notas dum violino,
Na inspiração dum poeta,
Nas asas da borboleta,
Ou no entoar dum hino?

Depois de quase esgotados,
Todos os esforços meus,
Encontrei onde o guardar;
Decerto é um bom lugar,
VOU ENTREGÁ-LO A DEUS.



A PALAVRA
17/03/14

A Palavra de Deus é importante;
Encerra poder e sabedoria:
E quando lhe damos a primazia,
É como balsamo tonificante.

É mais preciosa que puro diamante;
Opera, dá fé, é uma mais valia,
Ensina, transforma, traz paz, alegria,
Salva a noss'alma, se em nós for reinante.

A Palavra é vida, é a luz Divina,
É sol que toda a treva descortina,
E vem o nosso ser iluminar.

É semente que deve ser plantada,
E com amor depois também regada,
Para que Deus a faça germinar.


Perdoa
13/03/14

Não fiques a ver a vida passar;
Tão pouco a vivas sem rumo, à toa,
Aprende a sorrir-lhe, a todos perdoa,
À fé, ao amor, ergue o teu altar.

Nenhuma angústia em ti, deixes brilhar
Nem mágoas, pois a noss'alma abalroa,
E em ressentimentos se amontoa,
E somente a ti vais magoar.

Ninguém é melhor que um outro alguém
Pecados neste mundo quem não tem?
Quem não precisa de amor e de perdão?

Se o Senhor nos pôde perdoar,
Não te deixes em ódios definhar,
E perdoa também a teu irmão.

 

 Meu Senhor
25/11/13

A oração
É o momento,
Em que com fé
De tudo me desligo,
E pelos méritos
De Jesus,
Como uma doce
Fragância,
Entro em intimidade,
E comunhão
Contigo.

Por tão grande
Privilégio,
Eu Te louvo
E agradeço.
Tua benignidade!
Pois me dás mais
Do que eu peço
Ou mereço.

A Teus pés, eu me prostro,
Tu ouves, lá dos Céus,
Minhas súplicas,
Meus pedidos,
E quando rompo
Em soluços,
E me desfaço
Em gemidos,
Tu logo vens acender,
A fogueira
Do Teu calor.
para eu poder
me aquecer,
Nas brasas,
Do Teu Amor!

Aceita a gratidão,
Que vem
Do meu coração!
Por tudo que
Me tens feito!
Cuidas de mim,
E dos meus!
És...
"O meu amor perfeito"!
O Grande Deus,
Que perdoa, que abençoa,
P'ra tudo tens solução!
Em Teus braços.
Há guarida,
Que seja a Tua vontade
Sempre feita
Em minha vida.

Relembro...
Tuas promessas!
Que.. dás a quem
Te pedir;
Que quem busca,
Encontrará,
E a quem bate,
Uma porta,
Se irá abrir!
E porque em Ti
Confio, creio,
Espero e acredito,
Minh'alma fica
A sorrir...
E Te louvo
Senhor Bendito;
Pela alegria.
Pela Paz,
Que a Oração
me traz.  

Amém


Carta de Amor Para Jesus
11/11/2013

Jesus
És a flor
Que desabrocha
Em meu coração,
E cuja fragrância
Transborda
Em todo o meu ser.

És a melodia
Que a minh'alma
Trauteia,
Quando a alegria
Das marés vivas
Do Teu Amor
A inunda,
Apagando
Toda a tristeza
E desânimo,
Inadvertidamente
Instalados.

És a fé, a esperança,
A Graça que me sustém
Quando,
Autênticos tornados,
Assolam a minha vida,
Querendo-me arrastar,
E desviar o meu foco
Da Rocha Eterna,
Á qual me agarro,
Com todas as forças
Do meu ser.

Jesus
És aquele amigo fiel,
Que está sempre
Presente.
És o porto, onde me abrigo,
És o meu farol,
O meu guia,
Tu, nunca me desamparas!
Tuas promessas
Me enchem de alegria!
Dão-me a certeza
Da vida eterna!
E seguindo
O Teu caminho,
Ouvindo a Tua Verdade,
Guiada p'la Tua Luz,
Esqueço o ontem;
Com confiança,
Sigo em frente,
Amando conscientemente,
A Grande mensagem
Da Cruz.
Eu te agradeço Jesus.

Desconheço...
Qual o tempo
Que ainda me reservas,
As lutas que tenho de travar,
Os caminhos
Que queres que eu percorra,
Antes do meu coração parar!
Mas uma coisa eu sei;
És o Senhor da minha vida,
És o ar que eu respiro,
És tudo quanto preciso,
És o meu Deus, O meu Rei.

Jesus é o Caminho
6/3/90

Se crês em Deus, não podes vacilar;
A fé não é esperança mas certeza;
Ela é a tua arma, tua defesa;
Com ela, o mal tu podes derrotar.

Deixa dentro de ti Deus habitar;
Ouve Sua Palavra com nobreza;
Agarra-te às promessas com firmeza,
Que bênçãos não te irão, nunca, faltar.

E se algum dia te sentires sozinho,
Lembra-te que Jesus é o Caminho;
Semeia que depois irás colher.

Louva-O dia e noite com fervor;
Dá-Lhe honras e glórias com amor;
Embriaga-te bem no Seu poder.

Sermões e Estudos

Fernando Quental
Como o Senhor transforma

Sermão proferido por Fernando Quental em 08 de dezembro de 2019

José Carvalho
Clamei a Deus

Sermão proferido por José Carvalho em 01 de dezembro de 2019

Dário Botas
Moisés e Paulo

Sermão proferido por Dário Botas em 24 de novembro de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:23 em 04 de dezembro de 2019

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário