Chorar sobre o passado

 Deixa de se lamentar

 

     "… Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? …" 1 Samuel 16:1

     Chega um momento na vida em que devemos deixar de lamentar o passado e continuar com o trabalho do presente.

    Deus havia rejeitado Saul como rei. A ação era final, irreversível. Porém, Samuel teve dificuldade em aceitá-lo. Ele estava intimamente associado a Saul e agora chorava ao ver as suas esperanças dececionadas. Ele continuou a lamentar uma perda que nunca seria recuperada. Deus disse, para todos os efeitos: "Deixa de lamentar. Sai e unge o sucessor de Saul. O Meu programa não falhou. Eu tenho um homem melhor do que Saul para subir ao palco da história de Israel."

     Gostaríamos de pensar que Samuel não apenas tivesse aprendido a lição para si, mas que também a passasse a David, que tomou o lugar de Saul como rei. De qualquer forma, David mostrou que aprendeu bem a lição. Quando o seu bebé estava a morrer, ele jejuou e lamentou, esperando que Deus poupasse a criança. Mas quando o bebé morreu, ele lavou-se, mudou de roupa, foi ao Tabernáculo para adorar e depois fez uma refeição. Aos que questionavam o seu realismo, ele disse: "… agora que é morta, porque jejuaria eu agora? Poderei eu fazê-la mais voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim" (2 Sam. 12:23).

    Isto tem uma lição para nós na nossa vida e serviço cristãos. Às vezes pode acontecer que um ministério seja arrancado de nós e dado a outra pessoa. Nós lamentamos a morte de uma avenida de serviço.

    Pode ser que uma amizade ou uma parceria seja cortada e, como resultado, a vida pareça vazia e monótona. Ou que tenhamos sido cruelmente desiludidos por alguém que nos era muito querido. Nós lamentamos a morte de um relacionamento valorizado.

    Ou pode ser que algum sonho ao longo da vida seja destruído ou alguma ambição seja frustrada. Nós lamentamos a morte de uma nobre aspiração ou visão.

    Não há nada de errado em lamentar, mas não deve ser prolongado na medida em que prejudica a nossa eficácia em enfrentar os desafios da hora. E. Stanley Jones disse que na dor e golpes da vida fazia questão de "se recuperar no espaço de uma hora". Uma hora pode não ser suficientemente longa para a maioria de nós, mas não devemos ficar para sempre inconsoláveis em circunstâncias que não podem ser mudadas.

- William MacDonald

Sermões e Estudos

Alberto Veríssimo
José, ou saber esperar em Deus

Reunião de Jovens por Alberto Veríssimo em 09 de agosto de 2019

Alberto Veríssimo
O bom é inimigo do ótimo

Sermão proferido em Oiã por Alberto Veríssimo em 08 de agosto de 2019

Alberto Veríssimo
Vida na Tempestade

Sermão proferido por Alberto Veríssimo em 11 de agosto de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:18 em 31 de julho de 2019

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário