A verdadeira oração

crstam.jpg     Suponhamos que tenho acabado de ter a alegria de conduzir uma alma a Cristo. Tratava-se de uma criatura ímpia, perversa, até então, mas agora, subitamente, ocorreu uma grande transformação na sua vida. Ele fica impressionado com a alegria de pecados perdoados. No entanto algumas coisas ainda o preocupam.

     Ao erguer-se ali, tocado pelo amor de Cristo, diz: “Não me pareço muito a um Cristão. Olhe para a minha roupa. E eu devia arranjar um trabalho e trabalhar como as outras pessoas. Depois também, tenho sido um blasfemo perverso. Praguejar parece fazer parte da minha natureza. Não sei parar.”

     Eu sugiro que oremos sobre isso, mas ele diz que nunca orou na sua vida e que não sabe como fazê-lo; assim, ensino-o a orar. Digo-lhe quão simples é a oração – que ele devia simplesmente falar com Deus e dizer, “Senhor, necessito de um traje decente, e de um trabalho, e oh, ajuda-me, por favor, a deixar de praguejar. Peço isto no nome do Senhor Jesus Cristo.”

     Nós erguemo-nos da oração, e tendo compaixão do homem, eu próprio arranjo-lhe roupa e trabalho e ele prossegue o seu caminho regozijando-se.

     Agora suponhamos que eu volto dez anos depois e o encontro felizmente casado, com três filhos e a viver uma vida Cristã consistente. Contudo, ao visitá-lo em casa descubro que um dos seus filhos está seriamente doente. Colocamo-nos de joelhos para orar pelo filho, e ele começa: “Senhor, necessito de um traje decente, e de um trabalho, e oh, ajuda-me, por favor, a deixar de praguejar.”

     “Ridículo!”, dirá. Nenhuma pessoa seria tão estúpida. Sim, verdadeiramente ridículo, no entanto muitas pessoas repetem orações do mesmo modo. O chamado “Pai-Nosso” é, certamente, uma oração perfeita, mas é significativo que ao dar esta oração o Senhor advertiu os Seus discípulos: “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios ... Não vos assemelheis pois a eles ... Portanto, vós orareis assim ...” (Mat. 6:7-9). No entanto esta mesma oração é repetida palavra por palavra em funerais e casamentos, em tempestades no mar, antes das refeições e nos cultos na igreja – em praticamente todas as ocasiões, aplique-se ou não.

     Graças a Deus por aqueles que conhecem Deus por meio do Senhor Jesus Cristo, e podem verdadeiramente entrar na Sua presença em oração “... para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” (Heb. 4:16).

em Two Minutes With The Bible (Dois Minutos Com a Bíblia)
Cornelius R. Stam

Sermões e Estudos

Alberto Verissimo 19SET21
Crer ou Crer, eis a questão

Tema abordado por Alberto Veríssimo em 19 de setembro de 2021

Carlos Oliveira
O peso do pecado

Tema abordado por Carlos Oliveira em 17 de setembro de 2021

Dário Botas
Qual a tua motivação (Parte II)

Tema abordado por Dário Botas em 10 de setembro de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:3 em 15 de setembro de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário