O “Pai Nosso”

Já se interrogou sobre como seria esta oração se ela fosse respondida enquanto é feita? Ficaria chocado, embaraçado, contrariado, tremelicado, ou mudo?

Pense como poderia responder se isso acontecesse:

Pai nosso, que estás no céu.

  Sim?

Não me interrompas.  Estou a orar.

  Mas ...  tu chamaste-Me!

Chamei-Te?  Não, eu não Te chamei.  Estou a orar. Pai nosso que estás no céu ...

  Ei ... fizeste-o de novo.

Fiz o quê?

 Chamaste-me.  Disseste, "Pai nosso, que estás no céu."   Bem, eis-Me aqui.  O que queres?

Mas eu não quis dizer nada com isso.  Eu estava, como sabes, simplesmente a proferir as minhas orações de hoje.  Eu sempre orei o Pai nosso.  Faz-me sentir bem, é como cumprir um dever.

  Bem, tudo bem.  Continua.

Ok.  Santificado seja o Teu nome ...

  Aguenta aí.  O que quiseste dizer com isso?

Com o quê?

  Com "Santificado seja o Teu nome"!

Significa ... é pena, não sei o que significa.  Como hei-de saber, estando no mundo? É simplesmente parte da oração. A propósito, o que quer dizer? 

  Significa honrado, santo, maravilhoso!

Ah, isso faz sentido.  Antes nunca pensei no que significava santificado.  Obrigado.  Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no Céu ...

  Queres dizer realmente isso mesmo?

Claro, porque não?

  O que estás a fazer a respeito disso?

A fazer?  Porquê? Penso que nada.  Simplesmente penso que seria bom se tivesses o controlo de tudo, tanto aqui em baixo como aí em cima. Como sabes, somos bons em colocar isto num caos ...

  Sim, eu sei; mas Eu tenho-te sob controlo?

Bem, eu vou à igreja.

  Não foi isso que te perguntei.  O que dizes do teu mau temperamento?  Como sabes, tens nessa área um grande problema. E o que dizes da linguagem que usas e dos disparates que proferes? O que dizes da tua impaciência com os outros e do pensares que és melhor do que eles? O que dizes das pessoas que tens julgado? Lembra-te que esse é o MEU trabalho, não o teu.  

Ora aguenta aí um minuto!  Deixa de me atormentar. Eu sou tão bom quanto outras pessoas da igreja! 

  Desculpa-me!  Pensei que estavas a orar para que a MINHA vontade fosse feita! Se isso é para suceder, terei de começar com os que estão a orar por isso ... como tu, por exemplo. 

Oh, tudo bem.  Penso que tenho algumas questões.  Já que falaste, poderia apresentar outras.

  Também eu.

Até agora não tenho pensado muito nisso, mas gostaria de pegar nalgumas delas.  Eu gostaria ... como sabes, de ser realmente livre.

  Bom.  Agora estamos a chegar a algum lugar.  Trabalharemos juntos, tu e Eu.  Estou orgulhoso de ti.

Olha, Senhor, se não Te importas, preciso de acabar aqui.  Isto está a demorar um pouco mais do que o que é costume. O pão nosso de cada dia nos dá hoje ...

  Tu precisas de reduzir o pão.  Está com excesso de peso.

Hey, espera um minuto!  O que é isto?  Estou aqui a cumprir o meu dever religioso, e de repente interrompes-me e lembras-me de todos os meus problemas.

  Orar é uma coisa perigosa.  Podes acabar transformado, como sabes. É isso que estou a tentar fazer contigo. Lembra-te que Me chamaste; e Eu estou aqui. Agora também é demasiado tarde para me deteres. Continua a orar ...
................
  Bem, continua.

Estou com medo.

  Medo?  De quê?

Eu sei o que dirás.

  Prova-Me e vê.

Perdoa-nos os nossos pecados como perdoamos a quem nos tem ofendido ...

  Que dizes da Susana e outros que te fizeram mal?

Vê... eu sabia!  Eu sabia que a trarias aqui!  Porquê, Senhor? Ela disse mentiras a meu respeito, e andou para aí a contar histórias.  Ela nunca me devolveu o dinheiro que me deve.  Até jurei vingar-me dela!

  Mas... a tua oração.  O que dizes da tua oração?

Tu sabes que eu não sabia o que realmente significava isso.

  Bem, pelo menos és honesto.  Mas é uma enorme carga andares com essa amargura e ressentimento, não é?

Sim, mas eu sentir-me-ia melhor, ajustando contas com ela. Concebi uns planos para ela. Ela desejará nunca ter nascido!

  Não, não te sentirás nada melhor.  Sentir-te-ás pior.  A vingança não é doce.  Tu sabes quão infeliz és.  Bem, Eu posso mudar isso.

Podes?  Como?

  Perdoa à Susana. Depois Eu perdoo-te a ti; e o ódio e o pecado será problema da Susana, e não teu.  Resolverás o problema no que te diz respeito.

OK ... sabes ... estás certo.  Estás sempre certo.  E, mais do que vingança, quero estar bem Contigo.  (Uffff!) ... Tudo bem, tudo bem ... eu perdoo-lhe.

  Óptimo!  Maravilhoso!  Como te sentes?

Humm.  Bem... nada mal.  Nada mal mesmo!  De facto, sinto-me muito bem!  Sabes, penso que esta noite não me vou deitar tenso.  Como sabes ultimamente não tenho dormido muito.

  Sim, Eu sei.  Mas tu não acabaste a tua oração, pois não? Continua.

Oh, correcto. E não nos induzas em tentação, mas livra-me do mal ...

  Bom!  Bom!  Eu farei isso.  Simplesmente não te coloques num lugar em que possas ser tentado.

O que queres dizer com isso?

  Tu sabes o que quero dizer.

Sim, eu sei.

  OK.  Continua e termina a tua oração.

Porque Teu é o reino, e o poder, e a glória para sempre. Amém.  

  Tu sabes o que me traz glória e o que Me faz realmente feliz?

Não, mas gostaria de saber.  Agora quero agradar-Te.  Tenho realmente feito apenas asneiras.  Quero verdadeiramente seguir-Te.  Posso ver agora quão fantástico isso será.  Por isso diz-me ... como é que Te faço feliz?

  Acabaste de Me fazer feliz!

Recebido, em inglês, de Pat Pires

Sermões e Estudos

Alberto Verissimo 19SET21
Crer ou Crer, eis a questão

Tema abordado por Alberto Veríssimo em 19 de setembro de 2021

Carlos Oliveira
O peso do pecado

Tema abordado por Carlos Oliveira em 17 de setembro de 2021

Dário Botas
Qual a tua motivação (Parte II)

Tema abordado por Dário Botas em 10 de setembro de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:3 em 15 de setembro de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário