Orar até orar de verdade é o desafio do Cristão

     O Dr. Moody Stuart, um homem de oração, certa vez estabeleceu regras que o guiassem nas suas orações.

     Entre essas regras, havia a seguinte: `Ore até orar de verdade´. A diferença entre orar até ao momento em que se pára de orar, e orar até realmente se orar é ilustrada pelo evangelista americano John Wesley Lee. Ele comparava sempre um período de oração a um culto na igreja, e insistia que muitos de nós terminamos a reunião antes do culto ter terminado. Ele confessou que certa vez saiu cedo demais de uma reunião de oração e foi indo por uma rua para cuidar de alguns negócios urgentes. Ele não tinha caminhado muito quando uma voz no seu interior o repreendeu. `Filho,´ - a voz parecia perguntar - `pronunciaste a bênção quando a reunião ainda não havia terminado?´ Ele caiu em si e imediatamente voltou a correr para o lugar da reunião de oração, onde permaneceu até que toda a carga que sentia saiu e a bênção sobre si desceu.

     O hábito de interromper as nossas orações antes de termos realmente orado é algo tão comum quanto infeliz. Com frequência os últimos dez minutos podem significar mais para nós do que a primeira meia hora, porque temos que gastar um bom tempo até atingirmos a verdadeira condição para uma oração efectiva. Pode ser que tenhamos que lutar com os nossos pensamentos de forma a retirá-los das muitas distrações que resultam do facto de habitarmos num mundo todo em desordem.

     Aqui, assim como em todas as demais questões espirituais, temos de ter a certeza de que estamos a distinguir o ideal do real. O ideal seria vivermos cada momento num estado de perfeita união com Deus de forma a que nenhum preparo fosse necessário. Mas na verdade são poucos os que honestamente podem dizer que é isso o que acontece na sua vida. Para sermos francos, a maioria de nós tem de admitir que com frequência enfrentamos uma luta antes de ter condições para escapar de uma alienação emocional e de um senso de irrealidade que às vezes prevalecem em nós.

     Não importando o que um idealismo sonhador possa dizer, somos forçados a encarar as coisas no nível da realidade prática. Se quando vamos orar o nosso coração sente-se endurecido e não espiritual, não deveríamos convencer-nos do contrário. Antes, devemos admitir a situação com franqueza, e então orar até ao fim. Alguns Cristãos chegam a sorrir diante da expressão `orar até ao fim´, mas isso ou algo parecido com isso, é encontrado nos escritos de quase todos os grandes santos de oração, desde os dias de Daniel até hoje.´

     Não podemos parar de orar antes de termos orado de verdade.

A. W. Tozer
Extraído do livro: "Este mundo: lugar de lazer ou campo de batalha"




Sermões e Estudos

Alberto Verissimo 19SET21
Crer ou Crer, eis a questão

Tema abordado por Alberto Veríssimo em 19 de setembro de 2021

Carlos Oliveira
O peso do pecado

Tema abordado por Carlos Oliveira em 17 de setembro de 2021

Dário Botas
Qual a tua motivação (Parte II)

Tema abordado por Dário Botas em 10 de setembro de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:3 em 15 de setembro de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário