• 1
  • 2
  • 3

Servindo entusiasticamente,
com amor e temor,

para em tudo te enriquecer em Cristo, em toda a Palavra, em todo o conhecimento (1 Coríntios 1:5).

Testemunhos

Pedro Cândido

Breve testemunho acerca de como se converteu a Cristo e de como tem sido a sua vida ao Seu lado.

José Jacinto Carvalho

Conversão significa mudar de vida e a minha vida mudou mesmo.

Jorge da Silva

Como a graça de Deus o conduziu à salvação em Cristo. Ouve o seu testemunho até ao fim.

Sermões e Estudos

David Gomes 10FEV19
O silêncio de Deus

Sermão proferido por David Gomes em 10 de fevereiro de 2019

FranciscoCorreia 03FEV19
Como Deus nos consola

Sermão proferido por Francisco Correia em 03 de fevereiro de 2019

Carlos oliveira 27JAN19
A beatitude esquecida

Sermão proferido por Carlos Oliveira em 27 de janeiro de 2019

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:12 em 13 de fevereiro de 2019

ver mais
 

26-01-2019 - Sermões apenas sobre “saúde e riqueza” deixam fiéis mais deprimidos

teologiadaprosperidade

 

     Pesquisa mostra que aumentou o número de pessoas que leem a Bíblia apenas para achar "bênçãos".

     Diferentes teólogos apontam para a ideia bastante comum no chamado “Evangelho da Prosperidade” de que muitas promessas para os pobres e os doentes acabam não se cumprindo, o que gera frustração nos ouvintes.

     Uma pesquisa publicada no mês passado nos EUA concluiu que os fiéis com saúde física precária e baixo nível socioeconómico leem cada vez mais a Bíblia apenas para alcançar “saúde e riqueza”, embora isso muitas vezes acabe por fazer com que se sintam pior.

      “À primeira vista, pode parecer óbvio que pessoas com maiores privações em algum aspecto da vida têm maior probabilidade de recorrer às Escrituras para buscar orientação”, destacam os sociólogos Reed DeAngelis, John Bartowski e Xiahe Xu. Eles publicaram os resultados do seu levantamento na revista científica Journal for the Scientific Study of Religion.

     Com base nas respostas de 1.500 entrevistados, os pesquisadores descobriram que as pessoas com problemas de saúde eram “28% mais propensas” a procurar promessas sobre saúde nas Escrituras, enquanto aquelas que passam por privações económicas tinham 62,5% mais probabilidade de procurar sobre como obter riqueza. Eles demonstravam que não recorriam à Bíblia por outras razões, como devoção pessoal ou estudo individual.

     “Juntas, as nossas análises indicam que certos segmentos desfavorecidos da população estão cada vez mais a olhar para as Escrituras estritamente como uma busca personalizada para a autoajuda e à exclusão de outras formas de estudo religioso”, relataram os pesquisadores no seu estudo.

     De acordo com a análise deles, cerca de 20% das pessoas que declaram ler a Bíblia frequentemente recorreram às Escrituras para ‘revelações’ sobre saúde e 30% para saber o que ela diz sobre a riqueza. Tal é o resultado direto dos sermões que ouvem sobre os temas nas igrejas que frequentam ou na televisão que veem.

Depressão

     Embora seja uma questão complexa, que depende de diferentes contextos, os pesquisadores descobriram que esse tipo de abordagem das Escrituras pode fazer as pessoas sentirem-se frustradas e até deprimidas.

     “As nossas análises sugerem que a leitura das Escrituras focadas apenas na saúde e cura exacerbou os efeitos adversos, gerando sintomas depressivos. A nossa conclusão é consistente com a literatura já existente sobre o ‘lado negro’ desse enfrentamento espiritual”, escreveram.

     As recentes descobertas sobre esses leitores da Bíblia focados em “saúde e riqueza” corroboram com a teoria hermenêutica que aponta para conceitos pré-estabelecidos sobre vivências que afetam a interpretação das Escrituras. Neste caso, as pessoas que enfrentam problemas de saúde ou dificuldades financeiras leem trechos bíblicos buscando respostas com expectativas e suposições específicas, que não se sustentam teologicamente.

     Os autores do estudo concluem: “As ideias preconcebidas, comumente enraizadas em experiências pessoais, são necessárias para que se inicie o processo de compreensão mais amplo”.

     Uma pesquisa do instituto LifeWay Research, de Nashville (EUA) divulgada em agosto, indica que 69% dos evangélicos acredita que Deus deseja prosperidade financeira dos fiéis.

     Ao mesmo tempo, 16% dizem que “é preciso fazer algo para Deus se quiser receber bênçãos materiais em troca” e 38% aprenderam na sua congregação que “se eu doar mais dinheiro para a Igreja, Deus irá me recompensar”.

     Conforme ressalta Scott McConnell, diretor executivo da LifeWay, “um grupo significativo de igrejas ensina que as doações desencadeiam uma resposta financeira de Deus”. E isso influencia a maneira como as pessoas veem o seu relacionamento com Deus.

     O estudioso acredita que ainda há uma diferença entre o púlpito e os bancos. “Vários líderes evangélicos influentes já condenaram a teologia da prosperidade”, lembra, “mas a maioria dos crentes ainda pensa que existe essa relação direta entre dar dinheiro e receber bênçãos”.

- in Prime

 

NOTA: Isto acontece quando as pessoas confundem as promessas do suspenso Evangelho do Reino com as do atual Evangelho da Graça de Deus, quando as pessoas ignoram a esperança da vocação dos membros do Corpo de Cristo - vocação celestial (Efésios 1:18;4:4; Hebreus 3:1); não terrena e física.

FRUINDO DA ADMIRÁVEL GRAÇA DE DEUS,
A NOSSA MISSÃO É AJUDAR TODOS 
A USUFRUIR DA MESMA GRAÇA.

"... vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão" (2 Coríntios 6:1).
Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus ... (Efésios 3:2)
"... que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar
a ação de graças para glória de Deus" (2 Coríntios 4:15).
"Porque pela graça sois salvos ..." (Efésios 2:8).

  • Avenida da Liberdade 356 
    356 2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário