• 1
  • 2
  • 3

Servindo entusiasticamente,
com amor e temor,

para em tudo te enriquecer em Cristo, em toda a Palavra, em todo o conhecimento (1 Coríntios 1:5).

Testemunhos

Pedro Cândido

Breve testemunho acerca de como se converteu a Cristo e de como tem sido a sua vida ao Seu lado.

José Jacinto Carvalho

Conversão significa mudar de vida e a minha vida mudou mesmo.

Jorge da Silva

Como a graça de Deus o conduziu à salvação em Cristo. Ouve o seu testemunho até ao fim.

Sermões e Estudos

Alberto Verísimo 05AGO18
Falta-te uma coisa!

Sermão proferido por Alberto Veríssimo em 05 de agosto de 2018

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses (Súmula) em 08 de agosto de 2018

Fernando Quental
Percebendo a nudez

Sermão proferido por Fernando Quental em 29 de julho de 2018

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:1 realizado em 01 de agosto de 2018

ver mais
 

09-02-2018 - Brasil: Seita transforma fiéis em escravos prometendo livramento da “besta” (todo o que se diz crente deve ler tudo, incluindo o Comentário final)

 Edificio apreendido à seita

 

     Líder está foragido e alguns membros não querem deixar a organização por medo de perseguição do governo

     Como nome de “Canaã – A Colheita Final”, a operação da Polícia Federal brasileira desencadeada na manhã de terça-feira (6) investiu contra a organização “Traduzindo o verbo: a verdade que marca”, também conhecida por "“Comunidade Evangélica Jesus, a Verdade que Marca”. Considerada uma seita, o grupo tem um forte esquema de captação de novos fiéis.

     Eles são investigados desde 2011 e acusados de manter fiéis em situação análoga à escravidão. Nos últimos três anos os líderes aumentaram em três vezes o número de membros.

 

     13 pessoas foram presas, em várias cidades do interior de Minas e na capital de São Paulo. Entre as nove pessoas foragidas está um homem conhecido como “Pastor Cícero”. Considerado o líder do esquema, ele já havia sido preso em 2015. Desta vez, 220 policiais federais e 55 auditores fiscais do Ministério do Trabalho cumprem 22 mandados de prisão preventiva, 17 de interdição de estabelecimento comercial e outros 42 de busca e apreensão. Todas as ordens judiciais foram expedidas pela Justiça Federal em Belo Horizonte.

     A polícia interditou 17 estabelecimentos, incluindo restaurantes. O delegado Alexander Castro de Oliveira explicou que os funcionários dos estabelecimentos comerciais interditados eram fiéis que não recebiam pagamento em dinheiro. Em Poços de Caldas, a gerente foi presa, acusada de ser a responsável pela seita na cidade.

     A ação policial é um desdobramento da operação “De Volta para Canaã”, desencadeada em 2015, e terminou com 315 pessoas sendo encontradas em situação de trabalho escravo em propriedades rurais e estabelecimentos comerciais em Minas Gerais, São Paulo e Bahia. Numa avaliação preliminar da Polícia Federal, haveria cerca de 900 pessoas a trabalhar de forma irregular. Como a ação ainda está em andamento, o número deve sofrer alteração.

     A estimativa da polícia é que quase mil pessoas estão na mesma situação atualmente, indicando que a seita continuou a agir. “Eles trabalham em estabelecimentos dos mais variados sem receber nenhuma remuneração. Eles têm o património completamente usurpado pela seita, e quando entram são induzidos a doar tudo. Em reunião dos líderes, eles transferem o património para outras empresas”, resume Oliveira.

     De acordo com a investigação da PF, os dirigentes da seita teriam aliciados fiéis em igrejas localizadas na capital paulista. No templo, os crentes foram convencidos a doarem e passarem todos os bens para membros da organização. "Para tanto, teriam se utilizado de ardis e doutrina psicológica, sob o argumento de convivência em comunidades, onde todos os bens móveis e imóveis seriam compartilhados", explicou a corporação.

     Depois, segundo apuração da polícia, os fiéis eram levados para as cidades de Contagem, Betim, Andrelândia, Minduri, Madre de Deus, São Vicente de Minas, Pouso Alegre e Poços de Caldas, em Minas; para Ibotirama, Luiz Eduardo Magalhães, Wanderley e Barra, na Bahia; e para a capital de São Paulo. Nesses municípios, os crentes seriam submetidos a extensas jornadas de trabalho - sem remuneração - em lavouras, oficinas mecânicas, postos de gasolina, entre outros estabelecimentos.

     O montante das operações realizadas em 2013 e 2015, indicavam que o grupo havia acumulado um património estimado em R$ 100 milhões de reais, cerca de € 25 milhões de euros. A estimativa é que o número de propriedades tenha dobrado.

     Se condenados por todos os crimes, os líderes poderão cumprir até 42 anos de prisão.

 

“Chip da besta”

     O delegado explica que os líderes enganavam as pessoas com pregação religiosa. “Eles eram iludidos. A promessa é de que a ‘besta’ está a surgir e que, dentro das comunidades, ela não vai atingir os fiéis no dia do apocalipse, no dia do juízo final. Sempre um argumento religioso do mais baixo nível para ludibriar essas pessoas”, resume Oliveira.

     As pessoas que foram presas são investigadas por manter trabalhadores em condições de escravos, tráfico de pessoas, estelionato, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

     Enquanto os membros da seita viviam em situação precária, os líderes tinham vários carros, apartamentos de luxos e altos valores nas contas bancárias.

     Um dos desafios é convencer os fiéis a deixarem a seita. “É uma lavagem cerebral muito grande, em uma situação que chega a dar pena. Eles acreditam que se saírem dali, o governo vai colocar um chip na cabeça deles e todo mundo vai ser perseguido”, encerra Oliveira.

- in G1 

COMENTÁRIO (deve ser lido especialmente por todo o crente professo em Cristo):

     Esta é apenas UMA das lamentáveis consequências de se manejar mal a Palavra da verdade, que, bem manejada, mostra com clareza que a Igreja, o Corpo de Cristo, será arrebatada ao encontro do Senhor aos ares (1 Tessalonicenses 4:13-18) ANTES da Grande Tribulação (1 Tessalonicenses 1:10; 5:1-9), quando então, sim, se desencadeará o cumprimento das profecias que incluem o surgimento da Besta.

     O Livro de Apocalipse é TODO ele PROFÉTICO, nada tendo a ver com o presente. Note-se como o Livro de Apocalipse começa: “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras DESTA PROFECIA …” (Apocalipse 1:3). O conteúdo do Livro de Apocalipse é todo ele PROFECIA, nada tendo com a presente dispensação da graça de Deus, que está fora da profecia, por ser um MISTÉRIO (Efésios 3:2-9; Colossenses 1.24-26; Romanos 16:25; 1 Coríntios 15:51).

     Infelizmente, hoje, como nos dias de Paulo ,muitos parece que não ouviram ainda sobre a dispensação da graça de Deus e sobre o seu significado:

     "Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para convosco me foi dada;

     "Como me foi este mistério manifestado pela revelação como acima em pouco vos escrevi" (Efésios 3:2-3).

     Agora esperamos “dos céus a Seu Filho, a Quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que NOS LIVRA DA IRA FUTURA” (1 Tessalonicenses 1:9).

     “PORQUE DEUS NÃO NOS DESTINOU PARA A IRA, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5:9).

     Quantos crentes têm sido privados da “bem-aventurada [felicíssima] esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” (Tito 2:13), devido a “doutores conforme as suas próprias concupiscências”.

     O Apóstolo Paulo bem avisou:

     “Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências” (2 Timóteo 4:3).

 

FRUINDO DA ADMIRÁVEL GRAÇA DE DEUS,
A NOSSA MISSÃO É AJUDAR TODOS 
A USUFRUIR DA MESMA GRAÇA.

"... vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão" (2 Coríntios 6:1).
Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus ... (Efésios 3:2)
"... que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar
a ação de graças para glória de Deus" (2 Coríntios 4:15).
"Porque pela graça sois salvos ..." (Efésios 2:8).

  • Avenida da Liberdade 356 
    356 2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário