Batismo na água - A fraqueza de um argumento aparentemente forte

CMO 29OUT17b

    Num debate recentemente efetuado no Facebook sobre o batismo na água, um ancião de uma igreja evangélica, justificou a prática deste rito hoje, dizendo textualmente:

     “Jesus mandou (ponto final) cumpra-se e obedeça-se ao mandado de Jesus”.

     Este argumento, usualmente usado pelos batistas hodiernos e aparentemente forte, reveste-se, vista bem a coisa, de enorme fraqueza.

     Porquê?

Ler mais: Batismo na água - A fraqueza de um argumento aparentemente forte

Batismo na água hoje, só torcendo as Escrituras …

CMO 29OUT17b

   O Significado de "eis" em Atos 2:38

     Muitos dos que praticam o batismo na água hoje dizem que este não é para perdão de pecados e, portanto, não salva, pois uma tal afirmação não seria compatível com a mensagem do Evangelho da graça em que creram, o qual elimina quaisquer “obras de justiça” (Tito 3:5). No entanto não têm nenhum texto bíblico que suporte o que dizem, pois os vários textos da Bíblia, que se referem ao propósito do batismo na água, afirmam claramente que este é “para perdão, ou remissão, de pecados” (Marcos 1:4; Lucas 3:3; Atos 2:38; Atos 22:16) e, portanto, para a salvação (Marcos 16:16). 1

Ler mais: Batismo na água hoje, só torcendo as Escrituras …

A verdade bíblica do dom de línguas (II)

Ricky Kurth

As línguas dos homens e dos anjos

     Para começar, a palavra para línguas na epístola aos Coríntios é a mesma palavra - tanto no Grego, como no Português - que a que é utilizada para a capacidade de se falar línguas humanas identificáveis em Actos 2. Com isso em mente, é inverosímil que Deus usasse a mesma palavra para descrever um dom diferente. Além disso, nenhum outro dom espiritual mencionado nas  Escrituras é alguma vez dito que tenha evoluído para uma forma diferente. Ninguém lendo I Coríntios 12:9, concluiria que o dom de curar encontrado entre os Coríntios fosse de alguma forma diferente do dom de curar encontrado entre os Apóstolos em Pentecostes (Actos 3:1-9). Então porque é que havemos de pensar que o dom de línguas em Corinto era diferente do de Pentecostes?

Ler mais: A verdade bíblica do dom de línguas (II)

A verdade bíblica do dom de línguas (III)

Ricky Kurth

O propósito das línguas em Corinto

     A seguir, precisamos de considerar o propósito do dom de línguas em Corinto. Citando o apóstolo Paulo, "as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis"(I Coríntios. 14:22). É claro que as línguas não eram um sinal para os descrentes em geral, mas especificamente para os incrédulos em Israel, pois "os Judeus pedem sinal" (I Coríntios. 1:22), e a igreja de Corinto estava "junto da sinagoga" em Corinto (Actos 18:1-7). E foi assim que a presença do dom de línguas na igreja em Corinto era um sinal para os Judeus incrédulos na sinagoga vizinha.

Ler mais: A verdade bíblica do dom de línguas (III)

A verdade bíblica do dom de línguas (I)

Ricky Kurth

Línguas dos homens ou dos anjos?

     Não muito tempo depois da viragem para o Século 20, a experiência religiosa conhecida como "falar línguas" começou a espalhar-se pelas igrejas Bíblicas de toda a terra. Esse fenómeno levou muitos potenciais missionários a correrem para o campo missionário no estrangeiro sem o benefício de uma formação linguística, convencidos de que o seu recém-descoberto dom espiritual os habilitaria a falar fluentemente a língua nativa do seu campo escolhido. Contudo, depressa descobriram que não era assim, e foram forçados a regressar com relutância a fim de receberem essa formação.1

Ler mais: A verdade bíblica do dom de línguas (I)

Sermões e Estudos

José Carvalho
Vivendo acima da média

Sermão proferido por José Carvalho em 16 de setembro de 2018

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:2 em 19 de setembro de 2018

David Gomes 09SET18
A Ambição

Sermão proferido por David Gomes em 09 de setembro de 2018

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 2:2 em 12 de setembro de 2018

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    356 2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário