Como nos dias de Elias

     Estava-se no ano de 1884. A vida para os colonos do Estado de Dakota do Sul, nos EUA, era um pesadelo. Como Israel, pela manhã eles diziam: «ah! quem me dera ver a noite! À tarde: ah! quem me dera ver a manhã!» (Det. 28:68).

     Na Primavera as chuvas eram abundantes. No resto do Verão, porém, a seca era terrível. Os vegetais pareciam ter sido cozidos. Os vidros das janelas queimavam ao mais leve contacto. O milho encontrava-se torcido, e de folhas caídas. As flores, outrora cheias de frescura e fragrância, de há muito que tinham secado, os botões por desabrochar pendiam secos da extremidade das hastes. Os poços das redondezas tinham secado todos. A sombra das árvores já não refrescava. As plantações de algodão, mais resistentes, acabaram por ser atacadas por um pequeno insecto que completou o que a seca deixou, e perderam-se também.

     O sol abrasava. Nuvens de poeira completavam a desolação.

     Chegou finalmente um dia de Agosto em que os animais precisavam de água, mas não a havia. Foi então que um jovem evangelista bateu à porta de um colono, dizendo:

     — Não acha que devemos agir?

     — Sim, mas que podemos fazer?

     Com olhar perscrutador o evangelista retorquiu:

     — Onde está a sua fé? Mande convocar o povo para a oração.

     Dali a instantes alguns homens partiam a cavalo a fim de transmitir o convite. À hora marcada, de pé, na Igreja local, o evangelista" interrogou alguns:

     — Onde estão os vossos chapéus-de-chuva?

     — Chapéus-de-chuva? Para quê?

     — Não vamos orar por chuva? Vejam o meu, — e mostrava um grande chapéu de algodão, — vocês vão ficar molhados até aos ossos. Não tendes fé? De entre as orações que subiram ao trono da graça, uma houve que parecia ser mais eficaz. Foi a de um homem simples, de mãos calosas, que pedia água para todos: para as crianças, para os adultos e para os animais. Até parecia que se ouviam os gemidos dos próprios animais!

     Repentinamente, formou-se no horizonte um ponto negro que foi aumentando de volume, transformando-se em nuvens carregadas com rapidez incrível. Os espaços foram cruzados por fortes relâmpagos e grandes trovões. E, começou a chover torrencialmente! Os homens corriam a segurar as montadas. O povo fugia para suas casas e o evangelista abrigado pelo seu grande guarda-chuva, vendo todos encharcados, exclamava: — Onde está a vossa fé?

Sermões e Estudos

José Carvalho
Herança

Tema abordado por José Carvalho em 25 de julho de 2021

Carlos Oliveira
Religiões de substituição

Tema abordado por Carlos Oliveira em 23 de julho de 2021

Fernando Quental
Paciência

Tema abordado por Fernando Quental em 18 de julho de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:1 em 21 de julho de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário