Com que rapidez nos esquecemos

Niebla mental", una secuela neurológica de la COVID-19 

 

     “E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer? Lembramo-nos dos peixes que, no Egito, comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos. Mas agora, a nossa alma se seca; coisa nenhuma há, senão este maná, diante dos nossos olhos.” – Números 11:4-6

      Deus usou Moisés para ajudar a libertar os israelitas dos cerca de 400 anos de escravidão e dura escravatura na terra do Egito. Deus proveu sobrenaturalmente para os israelitas ao longo do caminho, fornecendo-lhes maná – um alimento especial – e água. Ninguém passou fome. Mas, um ano depois da jornada em direção à Terra Prometida, começaram as reclamações sobre a comida. Os israelitas queriam carne. Eles lembravam-se dos bons velhos tempos de peixes e vegetais gratuitos da terra do Egito e ansiavam por eles. Mas, aqueles dias não tinham sido nada bons. Tinham sido dias difíceis de escravatura. Tinham sido dias em que os israelitas clamavam a Deus por libertação. Os israelitas esqueceram depressa as gerações de miséria na escravidão dos egípcios.

     Podemos ser tentados a nos interrogarmos como os israelitas puderam ser tão ingratos. Deus estava a providenciar para eles. Ainda assim, não acho que sejamos muito diferentes deles. (Se achas que somos diferentes, imagina comer aveia – em todas as refeições – durante um ano!) É fácil esquecermos como Deus cuidou de nós no passado. É fácil fazer o passado parecer melhor do que era, e culpar a Deus pelo que achamos que precisamos hoje, mas não estamos a conseguir. Há um velho ditado que muitas vezes é verdade: “Cuidado com o que desejas, porque podes consegui-lo”.

     Os israelitas resmungaram e reclamaram: “Queremos carne”. Então, Deus deu-lhes carne. Não foi do jeito que eles esperaram ou estavam com expectativa. Mas eles conseguiram o que pediram. Deus enviou codornizes ao acampamento deles por um mês inteiro. Ele enviou as codornizes, não como uma bênção, mas como um julgamento porque eles O tinham rejeitado e reclamado de terem deixado o Egito. Havia codornizes amontoadas com um metro de altura no chão ao redor do acampamento. Uma praga irrompeu no acampamento e muitas pessoas morreram.

     E tu? Esqueceste-te das muitas bênçãos e provisões que Deus te deu no passado? És surpreendido a resmungar: “O que Deus tem feito por mim ultimamente?” Aprendamos com o exemplo dos antigos israelitas. Deus chama-nos para sermos pessoas agradecidas, pessoas que se lembram da Sua bondade e confiam n’Ele para suprir as nossas necessidades.

 

APROFUNDANDO:

1. Existe algo que queiras muito e estás frustrado por não teres? Tira algum tempo para avaliares o teu desejo. O que está por detrás desse desejo?

2. Faz uma lista das formas como Deus te abençoou e providenciou para ti no passado. Passa algum tempo a agradecer a Deus por essas coisas.

LEITURA ADICIONAL:

Números 11; Êxodo 3:7-10; 1 Coríntios 10:1-13

Por Jim Liebelt

Sermões e Estudos

Carlos Oliveira 19ABR24
A obediência da fé

Tema abordado por Carlos Oliveira em 19 de abril de 2024

Carlos Simões 14ABR24
As minhas travessuras

Tema abordado por Carlos Simões em 14 de abril de 2024

Carlos Oliveira 12 ABR24
O teu progenitor

Tema abordado por Carlos Oliveira em 12 de abril de 2024

Estudo Bíblico
Voo sobre a Bíblia: Isaías 28-66

Estudo realizado por David Gomes em 17 de abril de 2024

ver mais
 
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • Rede Móvel
    966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • HORÁRIO
    Clique aqui para ver horário