As Epístolas de João

Introdução a 1 João

     Abra  qualquer comentário sobre a 1ª Epístola de João, e a introdução, invariavelmente, irá conter uma riqueza de informações sobre quem escreveu a carta, mas nenhuma informação sobre a quem é escrita.

     Isso acontece porque é quase universalmente aceite que esta epístola foi escrita a nós, membros do Corpo de Cristo. Como pode perceber, 1ª João aparece no Novo Testamento, e poucos desafiariam o conceito de que o Antigo Testamento foi escrito para os Judeus, e o Novo Testamento para os Gentios.
 
     Apesar da popularidade desse conceito, queremos começar por desafiá-lo, com base em algo que o apóstolo Paulo diz em Gálatas 2:9:
 
     "E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que se me havia dado, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão".
 
     Vemos aqui Tiago, Pedro e João, concordarem em limitar o seu ministério à circuncisão. Embora a intenção principal deste pacto tivesse em vista, sem dúvida, o seu ministério oral,  pregar aos Judeus durante o dia e escrever cartas aos Gentios durante a noite seria certamente contornar o espírito deste acordo. Assim, se João foi fiel à sua palavra - e ninguém duvida que foi - a 1ª epístola de João foi escrita aos Judeus.
 
     O propósito de João ao escrever a estes Judeus visava prepará-los para a passagem pela Grande Tribulação (Mt 24:21). A palavra "Anticristo" só aparece quatro vezes na Bíblia, e todas as quatro referências são encontradas nas epístolas de João. Quem, senão os judeus da Grande Tribulação, precisaria de saber sobre o Anticristo? É claro que a presente dispensação da graça interrompeu o programa profético, e os Judeus que receberam as epístolas de João não viveram para ver o Anticristo. Nestas circunstâncias, as instruções encontradas em 1ª  João estão agora firmemente arrumadas na Palavra de Deus, prontas para guiar os judeus da Grande Tribulação através dos perigos daquele terrível dia que se seguirá ao arrebatamento do Corpo de Cristo.
 
     Agora lembre-se que João não foi o único apóstolo que concordou em limitar o seu ministério à circuncisão; Tiago e Pedro fizeram a mesma promessa a Paulo. A menos que violassem a  palavra  que solenemente deram, eles também escreveram à circuncisão. Na verdade, Tiago assume e admite isso claramente no primeiro versículo da sua epístola. A sua insistência na fé mais as obras para a salvação (2:14-26)  assenta como uma luva no programa de Deus para Israel, um programa em que Deus sempre insistiu que os Judeus acrescentassem obras como a circuncisão  e sacrifícios de animais à sua fé, se quisessem ser salvos. A afirmação de Pedro, "batismo que agora vos salva“ (1 Ped. 3:21), coloca do mesmo modo a sua epístola justamente neste terreno de fé mais obras.
 
     Com tudo isto em mente, é significativo que as epístolas de Tiago, Pedro e João apareçam na Bíblia, na mesmíssima ordem em que os seus nomes estão listados em Gálatas 2:9! Também é significativo encontrarmos estas epístolas colocadas perto do fim da Bíblia, uma vez que tratam da Grande Tribulação, uma era do fim dos tempos. Como sabe, os livros do nosso Novo Testamento não aparecem em ordem cronológica, ou seja, na ordem em que foram escritos, mas antes numa ordem lógica inspirada por Deus para refletir o fluxo dos tempos.
 
     Em Mateus, Marcos, Lucas e João, o Senhor falou sobre o reino que ele queria oferecer ao povo de Israel. O Livro dos Atos, que se segue a estes quatro Evangelhos, regista a oferta que Pedro fez deste reino a Israel em Atos 3:19, uma oferta que eles rejeitaram categoricamente quando apedrejaram Estêvão um pouco mais tarde. Atos regista depois a conversão de Saulo e o comissionamento de Paulo para levar o novo programa da graça de Deus aos Gentios. As epístolas de Paulo surgem a seguir no Novo Testamento, e descrevem o que Deus está a fazer hoje na dispensação da graça. Depois as epístolas que se seguem às cartas de Paulo são escritas às pessoas que virão depois de nós, ou seja, aos judeus na Grande Tribulação.
 
     Agora pode interrogar-se porque razão os Gentios como nós, que não passam pela Grande tribulação, se devam preocupar em estudar uma epístola escrita aos Judeus da Grande Tribulação. Embora seja verdade que o nosso foco deva estar sempre nas epístolas de Paulo, há grande valor espiritual no estudo dos livros da Bíblia que não são dirigidos a nós.
 
     Falando do Antigo Testamento, Paulo diz que "… tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito …" (Rm 15:4). Falando dos acontecimentos do Antigo Testamento, ele acrescenta, "Ora tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso …" (I Coríntios 10:11.). É por isso que Paulo afirma que "toda a Escritura ... é proveitosa" para nós (II Tm. 3:16), e é por isso que temos um ditado que diz que "toda a Bíblia é para nós, mas nem toda a Bíblia é dirigida a nós ou a nosso respeito".
 
     Agora que vimos a quem esta carta foi escrita, e porque devemos estudá-la, empenhemo-nos em espírito de oração por colher tudo o que Deus quer que aprendamos desta porção do livro eterno de Deus.
 
 
 
 

Sermões e Estudos

David Gomes 26SET21
Como lidar com portas fechadas

Tema abordado por David Gomes em 26 de setembro de 2021

Carlos Oliveira 24SET21
As religiões são todas boas?

Tema abordado por Carlos Oliveira em 24 de setembro de 2021

Alberto Verissimo 19SET21
Crer ou Crer, eis a questão

Tema abordado por Alberto Veríssimo em 19 de setembro de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:3 em 22 de setembro de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário