II Tessalonicenses 1:1-12 (5)

crstam.jpgA OBEDIÊNCIA DA FÉ E A DESOBEDIÊNCIA DA INCREDULIDADE

Certamente os versículo 8 e 9 de II Ts.1 impedirão o leitor sério de supor que Deus é algum tipo de ser benevolente que vai ser amoroso e perdoador para sempre. Lemos aqui que Ele e Seus anjos poderosos virão...


    "Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo;

     Os quais por castigo padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder."

     Não é por causa da infelicidade do incrédulo que ele não conhece Deus; mas o seu pecado.

     Através de toda a história tem sido a "obediência da fé" (Rm.16:26) que salva o homem. Quando Deus diz: "oferece um sacrifício animal e te aceitarei", o que faz a fé? A fé traz o sacrifício exigido e ele é aceite (Veja Gn.4:4 e Hb.11:4). Quando Deus diz: "se diligentemente ouvirdes a minha voz... então sereis a minha propriedade" (Êx.19:5), o que faz a fé? Certamente procura obedecer à Sua voz (Sl.1:1-3) e ele é contado entre o povo de Deus. Quando Deus diz: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja baptizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados" (At.2:38), o que faz a fé? Arrepende-se e é baptizada e ele recebe a remissão dos pecados.

     E quando Deus diz: "MAS AGORA se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas" (Rm.3:21) e "Mas aquele que não pratica, mas crê n’Aquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça" (Rm.4:5), "Sendo justificados gratuitamente pela Sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus" (Rm.3:24) – quando Deus diz isto, o que faz a fé? A fé aceita a oferta graciosa e confia apenas em Cristo para a salvação – e deste modo ele é salvo.5 Tudo isto é a "obediência da fé".

     Tanto no começo como no fim da grande epístola de Paulo aos Romanos ele declara que o Evangelho para o qual tinha sido separado, era para ser declarado entre todas as nações para a "obediência da fé" (Rm.1:1,5; 16:25-26). Este Evangelho, pela graça infinita de Deus, tem sido extensamente declarado por mais de dezanove séculos e todos os que têm exercido a "obediência da fé",6 têm vindo assim ao conhecimento de Deus. Mas como será o julgamento daqueles – pecadores culpados, todos eles – que rejeitam a graça tão amorosamente adquirida para eles! Destes, ele diz:

     "... padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder" (1:9).

     Observe a repetição da palavra "do" nesta referência. "Eterna perdição, ante a face do Senhor". Isto será um destino horrível. Quando Caim foi expulso de diante do Senhor, ele disse: "É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada [suportar]" (Gn.4:13-14). Novamente, "perdição, ante a face do Senhor e a glória do Seu poder". O Seu poder então não os ajudará em nada, como tem sido se ajuda para tantos santos crentes. A oportunidade deles crerem em Cristo e conhecerem "a glória do seu poder" terá passado há muito tempo.


5 O Capítulo 1 do livro Coisas Que Diferem, do autor, entra em mais detalhes sobre este assunto.

6 Aquilo que "Deus falou" (Act. 3:21) não deve ser levado de ânimo leve e tapar os ouvidos a isso é das desobediências mais grosseiras, revelando rebelião.

Cornelius R. Stam
Comentário Sobre as Epístolas de Paulo aos Tessalonicenses


Sermões e Estudos

David Gomes 26SET21
Como lidar com portas fechadas

Tema abordado por David Gomes em 26 de setembro de 2021

Carlos Oliveira 24SET21
As religiões são todas boas?

Tema abordado por Carlos Oliveira em 24 de setembro de 2021

Alberto Verissimo 19SET21
Crer ou Crer, eis a questão

Tema abordado por Alberto Veríssimo em 19 de setembro de 2021

Estudo Bíblico
Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 4:3 em 22 de setembro de 2021

 
ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    2975-192 QUINTA DO CONDE 





     
  • geral@iqc.pt 
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • QUINTA DO CONDE
    Clique aqui para ver horário