Um verdadeiro Católico

paul sadler

     Na Catholic Encyclopedia (Enciclopédia Católica), a explicação do termo "Católico", tem a seguinte definição: "A palavra Católico (katholikos de katholou – o conjunto todo, isto é, universal) ocorre nos clássicos gregos ..." Nós concordamos que o termo católico significa simplesmente "universal" ". Na igreja primitiva, a terminologia Igreja Católica era usada pelos cristãos para distinguir a verdadeira Igreja dos que defendiam os ensinamentos heréticos do gnosticismo e do panteísmo. A verdadeira Igreja é composta por todos aqueles, independentemente da sua raça, género, denominação ou outra filiação religiosa, que colocam a sua fé na obra consumada de Cristo (Efésios 1:12,13), que morreu pelos seus pecados, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia (I Cor 15:1-4). De acordo com a Palavra de Deus, a verdadeira Igreja é chamada de Corpo de Cristo (Ef 1:22,23, Col. 1:18).

     A Igreja Católica Romana, como sabemos, tecnicamente não surgiu antes de 325 A.D., durante o reinado de Constantino, o regente do Império Romano na época. Ele adotou o cristianismo como a religião de estado do império e adotou todos os erros que acabaram por vir associados. Apesar de Roma se ter sempre promovido como a "Igreja verdadeira", que é universal, o próprio título, Igreja Católica Romana, é uma contradição nos termos. Romano é um "termo específico", que se refere aos que alinham com os seus ensinamentos infundados e o seu papa, enquanto o termo católico significa universal. Na realidade, são os Protestantes que creem que a Igreja, o Corpo de Cristo, é católica universal. Esta Igreja universal inclui todos aqueles que colocaram a sua na obra consumada de Cristo, e não nas obras ou na igreja organizada.

     Roma sempre assinalou que as crenças do protestantismo são relativamente novas. Afirma que são meramente resultados da Reforma, o que é longe da realidade. Nós, é claro, condizemos que os Reformadores foram usados pelo Senhor para enfrentar as intromissões e erros absurdos da igreja organizada dos seus dias e para encorajar os crentes a retornar às Escrituras como sua autoridade final. Os Reformadores, muito bem, simplesmente estavam a voltar ao cristianismo bíblico. Essencialmente, as crenças dos Reformadores eram as mesmas que os primeiros cristãos tinham durante os três primeiros séculos do cristianismo. Alguns desses ensinamentos incluem a autoridade única das Escrituras, a justificação pela graça somente através da fé apenas na obra consumada de Cristo, que existe apenas "um só Mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus", etc. Hoje a maioria dos chamados evangélicos, nós próprios, defendemos que essas doutrinas estão entre os fundamentos da fé.

- Paul M. Sadler

Porque as rezas pelos mortos não fazem sentido

 finados

 

     O Dia de Finados, ou dos Mortos, é celebrado pelos católicos no dia 02 de novembro por uma determinação humana do Vaticano no século XIII. No entanto, a tradição da reza pelos mortos começou quatro séculos antes, quando o chamado Santo Odilon, abade do mosteiro Beneditino de Cluny, em França, determinou que os monges rezassem por todos os mortos, religiosos ou incrédulos, conhecidos e desconhecidos, de todos os lugares, em todos os tempos.

     Em Portugal é costume rezar pelos mortos e fazer-se visitas aos seus túmulos, decorando-os com flores e velas.

     Na tradição Católica, essa prática é justificada por um texto do livro II Macabeus. Este livro é considerado apócrifo tanto pela tradição Protestante, como também pela tradição Judaica, a quem Deus deu em primeira mão a Sua Palavra (Romanos 3:1,2). Diz o Livro apócrifo de Macabeus:

Ler mais: Porque as rezas pelos mortos não fazem sentido

O Dom Inefável - (Testemunho de Charles Chiniquy- ex-sacerdote católico)

Charles Chiniquy


Charles Chiniquy (na foto) foi um famoso sacerdote católico do Canadá. Nasceu em Kamouraska, Quebec, em 20 de Julho de 1809. Fundou a primeira sociedade de temperança do Canadá na sua cidade natal e conquistou assim o título de "Apóstolo da temperança do Canadá".

Ler mais: O Dom Inefável - (Testemunho de Charles Chiniquy- ex-sacerdote católico)

O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (5)

ironside401

IV. A CONVERSÃO DE UMA CATÓLICA

    Uma pobre mulher que estava a morrer num dos nossos grandes hospitais tinha sido educada na Igreja Católica Romana. Ela não tinha sido uma boa católica e agora os seus pecados estavam a atormentá-la e ela chorava de angústia: "Os meus pecados! O que tenho de fazer para me livrar deles?" Uma freira de rosto doce passava pela enfermaria, e vendo a aflição dela falou com ela gentilmente. “Ó irmã ", disse a mulher, "pode chamar um padre para que eu possa confessar os meus muitos e muitos pecados e estar preparada para a morte?"

     "Sim, vou falar com o pároco. Mas, enquanto isso, deixe-me colocar este Escapulário em torno do seu pescoço. Poderá ajudá-la, pelo menos um pouco, se morrer antes de o padre vir." E lá foi ela.

     Entretanto, como na provisão de Deus, uma missionária da cidade estava a passar pela enfermaria e ela ouviu gemidos, pois o Escapulário não lhe dera paz. Ela disse: "Minha pobre mulher, parece estar em grande aflição."

Ler mais: O que se pode fazer pelas almas no Purgatório? (5)

Sermões e Estudos

PeterCerqueira19NOV17a
Aliancismo I   -   Aliancismo II

Sermão proferido por Peter Cerqueira em 18 de novembro de 2017

Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 1:16,17, realizado em 15 de novembro de 2017

PeterCerqueira19NOV17a
Calvinismo

Sermão proferido por Peter Cerqueira em 19 de novembro de 2017

Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 1:16, realizado em 08 de novembro de 2017

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    Quinta do Conde
  • geral@iqc.pt
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • Domingo: 10:00, Ceia do Senhor
    11:00, Pregação e Escola Dominical
    Quarta-feira: 21:00, Oração e Estudo Bíblico