A divisão mais importante da Bíblia

livros da Bíblia

 

 
A PROFECIA E O MISTÉRIO

      A suposição de que a divisão mais importante da Bíblia é a existente entre o Velho e o Novo Testamentos tem sido muitas vezes expressa na declaração: “O Velho Testamento é para os Judeus;  o Novo Testamento é para nós”.
 

     Contudo isso é bastante incorrecto.  Primeiro de tudo, os títulos Velho Testamento e Novo Testamento não são designações correctas das duas secções da Bíblia que são supostos representar.

     O concerto da Lei (chamado mais tarde o velho concerto, ou testamento) não foi feito antes de 2500 anos da história humana terem decorrido.  “A lei foi dada por Moisés” (João 1:17), cerca de 1500 anos A.C., como se encontra registado em Êxodo 19 e 20.  É-nos dito a respeito deste período de tempo, “de Adão a Moisés”, que “não havia lei” (Rom. 5:13-14), isto é, a lei ainda não tinha sida dada.

     Isto significa que em Génesis não há uma única palavra do velho testamento.  Na verdade, Israel nem sequer emergiu como nação antes da sua libertação do Egipto descrito em Êxodo.  Se, por conseguinte, o Velho Testamento é para os Judeus e o Novo Testamento para nós, para quem é o livro de Génesis?

     Quanto ao novo concerto; este não foi feito antes da morte de Cristo.

     “... (Ele) é Mediador dum novo testamento (concerto), para que, intervindo a morte ... os chamados recebam a promessa da herança eterna” (Heb. 9:15).

     Foi à sombra da cruz, quando o Senhor comungava com os Seus discípulos, que Ele disse:

     “Este cálice é o novo testamento no Meu sangue, que é derramado por vós” (Lucas 22:20).

     Isto significa que a maior parte dos registos dos quatro evangelhos cobre antes a história do velho testamento e não a do novo, e que o Senhor e os Seus discípulos viveram todos naquele tempo sob o velho testamento.1

     Também deve ser notado que tanto o velho como o novo testamentos, ainda que nos afectem, foram feitos com a nação de Israel, e que o novo testamento promete simplesmente que um dia Israel renderá espontaneamente a obediência que lhe foi requerida sob o velho testamento ou concerto.  (Deut. 5:1-3;  Jer. 31:31).

     Assim, a divisão mais importante da Bíblia é a existente entre a profecia e o grande mistério proclamado pelo Apóstolo Paulo.

     Constitui um facto notável as palavras iniciais da Bíblia serem as seguintes: “No princípio criou Deus os céus e a terra”.  A passagem não diz que Ele criou o universo, mas os céus e a terra.  A razão disto é porque Ele tinha um propósito a respeito da terra bastante distinto do Seu propósito respeitante aos céus.  O Seu propósito a respeito da terra e do reino de Cristo sobre ela constitui o tema da profecia (II Pedro 1: 16-19).  O Seu propósito respeitante aos céus e à nossa exaltação lá com Cristo constitui o tema do “mistério” (Ef. 2:4-10; 3:1-4).  A Bíblia encontra-se basicamente dividida nestes dois grandes temas.2 

     A respeito do reino na terra Zacarias disse:

     “Bendito o Senhor Deus de Israel, porque visitou e remiu o Seu povo, E nos levantou uma salvação poderosa na casa de David seu servo.  COMO FALOU PELA BOCA DOS SEUS SANTOS PROFETAS, DESDE O PRINCÍPIO DO MUNDO”  (Lucas 1:68-70).

     De novo em Pentecostes, Pedro, falando da ausência de Cristo e dos sinais do Seu retorno, disse:

     “O Qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, DOS QUAIS DEUS FALOU PELA BOCA DOS SEUS SANTOS PROFETAS, DESDE O PRINCÍPIO.  E TODOS OS PROFETAS, DESDE SAMUEL, TODOS QUANTOS DEPOIS FALARAM, TAMBÉM ANUNCIARAM ESTES DIAS” (Actos 3:21-24).

     Mas respeitante ao Corpo de Cristo, com a sua chamada e posição celestiais, não é encontrada uma única palavra nas páginas da profecia.  Na realidade, Deus guardou este grande propósito em segredo até que Ele se determinasse a trazer o corpo à existência, e então o revelasse primeiramente ao Apóstolo Paulo.  O apóstolo diz que este grande propósito foi:

     “OCULTO DESDE OS TEMPOS ETERNOS” (Rom. 16:25).

     “UM MISTÉRIO ... ORDENADO ANTES DOS SÉCULOS PARA NOSSA GLÓRIA” (I Cor, 2:7).

     “NOUTROS SÉCULOS NÃO FOI MANIFESTADO” (Ef. 3:5).

     “OCULTO DESDE TODOS OS SÉCULOS, E EM TODAS AS GERAÇÕES” (Col. 1:26).

     Existe manifestamente uma grande diferença entre aquilo que foi falado “pela boca dos santos profetas (de Deus), desde o princípio do mundo” e aquilo que foi “oculto desde os tempos eternos”.


No entanto nós, na sequência dos nossos escritos, usamos os termos Velho Testamento e Novo Testamento no sentido aceite por uma questão de acomodação.

2  Ver o livro do autor intitulado,

C.R. Stam
Coisas Que Diferem
 

Sermões e Estudos

CMO 10DEZ17
Alerta Pungente Duplo

Sermão proferido por Carlos M. Oliveira em 10 de dezembro de 2017

Simao Santos 01DEZ17a
Origem bíblica do dispensacionalismo

Sermão proferido por Simão Santos em 01 de dezembro de 2017

Teles
Depoimento e Súmula

Testemunho de José Teles em 02 de dezembro de 2017

Perguntas respostas
Perguntas e Respostas

Conferência Bíblica Dispensacionalista realizada 01-03 de dezembro de 2017

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    Quinta do Conde
  • geral@iqc.pt
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • Domingo: 10:00, Ceia do Senhor
    11:00, Pregação e Escola Dominical
    Quarta-feira: 21:00, Oração e Estudo Bíblico