Superstição é super falta de senso. Como vais passar o ano?

Superstição     «E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Varões atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos»  (Actos 17:22)

     És supersticioso? Como Cristãos podemos negar que somos, mas revelarão as nossas acções algo diferente?

     Superstição vem duma palavra Grega que quer dizer reverenciar deuses.

     Superstição – desvio da Palavra de Deus que induz a criar falsas obrigações, a temer coisas que nenhum temor devem inspirar, ou a depositar confiança em coisas vãs.

     “Boa sorte!” O quê? Eu não creio na sorte. Creio no Senhor Jesus Cristo. Já tinhas pensado nisto? Em que crês tu?

     Eu não tenho necessidade de temer quando passo sobre uma fenda num passeio, ou passo debaixo de uma escada. A única coisa que me pode cair é algo na cabeça. Nisso tenho que ter cuidado. Quando quebro um espelho a única coisa que sei que acontece mesmo é que tenho de limpar os vidros e comprar um novo.

     É maravilhoso ser crente. Posso abrir um guarda-chuva em casa, se bem que convém ter um bom telhado para que não tenha que o fazer. Sexta-feira 13 perdeu todo o mistério e suspense. Nada vai acontecer numa sexta-feira 13 que não aconteceria se fosse sexta-feira 12 ou 14.


A Bíblia diz:

     «Não temas o pavor repentino, nem a assolação dos ímpios quando vier» (Pro. 3.25).

     «O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida; de quem me recearei?» (Sal. 27.1).

     «No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem» (Sal. 56.3,11).

     «Não temerás espanto nocturno, nem seta que voe de dia» (Sal. 91.5).

     «Não temerá maus rumores; o seu coração está firme, confiando no SENHOR» (Sal. 112.7).

     Como crente, posso tudo em Cristo. Posso contar os dentes dum pente, os carros de um cortejo fúnebre, e as estrelas do céu – se quiser passar o meu tempo desse modo, se bem que há formas bem melhores de se “passar” o tempo. Posso entrar em casa com o pé esquerdo e sair por uma porta diferente da que entrei. Posso cantar antes do pequeno-almoço (e devo) e na banheira, com um pé calçado e outro descalço. Não tenho problema nenhum que um gato preto atravesse o meu caminho. Já terei mais problemas se em vez de um gato for um leão, ou um leopardo,... ou um tigre.

     Há uma série de coisas que me dispenso de fazer. NÃO PRECISO DE, POR EXEMPLO: Arranjar um trevo de quatro folhas ou um pé de coelho. Não esbanjarei o meu dinheiro lançando-o a poços de desejos. Não despenderei energias a bater na mesa com o carolo. Não preciso de andar com uma moeda furada, nem de colocar uma ferradura na porta da casa ou no carro.

     É bom saber que não preciso de me preocupar pelo lado que devo sair da cama, ao contrário dos que acham que se devem levantar pelo lado direito. Acordo tão rápido e tão sonolento que nem dá para reparar nesses pormenores.

     Derramar sal e dar um beliscão no ombro não é bom nem para o chão nem para o corpo.

     E para que se lança arroz nos casamentos? Para além de uma superstição inútil e vã, trata-se dum desperdício – dum pecado mesmo, quando pensamos que há tantos que passam fome.

     Dispenso-me de cruzar facas na mesa de refeições. Basta-me saber a utilidade de cada uma e usá-las em conformidade.

     Dizer “santinho”, ou “saúde”, ou “viva”, quando alguém espirra é superstição, ainda que pareça ser sinal de educação ter de dizer alguma coisa numa situação desse tipo. Nunca digas nada quando alguém espirrar.

     A superstição é uma crença irracional de práticas sobre métodos de esconjurar o mal, trazer o bem, ou predizer o futuro. Cristo garante-nos isto tudo.

     A superstição vê-se em todos os períodos da história e em todas as nações do mundo.

     Algumas pessoas desenvolvem as suas próprias superstições pessoais. Desde que o bolo da tia Augusta ficou particularmente óptimo numa quarta-feira, ela pode começar a pensar que a quarta-feira é o dia da sorte para fazer bolos.

     Um dia o Zeferino, quando usava sapatos castanhos aconteceu-lhe algo bom. Agora ele pensa que quando usa aqueles sapatos castanhos algo de bom acontece. Para ele passam a ser os sapatos da sorte.

     E que dizer dos números da sorte? Exactamente o mesmo.


A vida Cristã é incompatível com estes disparates.

     A Bíblia diz:

     «E digo isto e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade do seu sentido, entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus, pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração, os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para, com avidez, cometerem toda impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo» (Efé. 4.17-20).

     Devemos de ter cuidado com estas coisas que tomam o lugar de Deus – ídolos. «Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém!» (1 João 5:21).


A sorte não existe.

     O tempo tomado a curtir o pé de um coelho morto não seria melhor passado a orar? Não será melhor pôr a fé em Deus que depositá-la nas moedas atiradas à água?

     Talvez façamos alguma destas coisas sem pensar, outras porque aprendemos quando pequenos, outras talvez por brincadeira, e é assim que elas vão criando tradição – errada.

     Alerta! Deus tem cuidado de quem crê n’Ele.

     Ferraduras e trevos não alterarão a nossa vida. Não nos acontecerão coisas más porque é sexta-feira 13, ou os cães uivam, ou as corujas ou mochos cantam, ou os galos cantam à noite.

     Comichão nas palmas das mãos não tem nada a ver com receber dinheiro, nem as orelhas quentes têm alguma coisa a ver com alguém a falar mal ou bem de nós.

     Visto as superstições serem irracionais devem ser abandonadas e banidas.

     A propósito ... com que pé vais entrar no novo ano? Fazer barulho na passagem de ano visa saudar o novo ano e esconjurar o mal do velho, limpando o ar para se ter um bom começo de ano. Orar ao Senhor para que Ele nos guie e guarde é bem melhor, que é o que os crentes fazem, normalmente, nas passagens de ano.

     Supersticioso? Não, obrigado! Em Cristo tenho muito melhor. N’Ele tenho «tudo o que diz respeito à vida e à piedade, pelo conhecimento d’Aquele que nos chamou por Sua glória e virtude» (2 Ped. 1.3).

Sermões e Estudos

PeterCerqueira19NOV17a
Aliancismo I   -   Aliancismo II

Sermão proferido por Peter Cerqueira em 18 de novembro de 2017

Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 1:17, realizado em 22 de novembro de 2017

PeterCerqueira19NOV17a
Calvinismo

Sermão proferido por Peter Cerqueira em 19 de novembro de 2017

Estudo Bíblico

Sobre a Epístola aos Colossenses 1:16,17, realizado em 15 de novembro de 2017

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    Quinta do Conde
  • geral@iqc.pt
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • Domingo: 10:00, Ceia do Senhor
    11:00, Pregação e Escola Dominical
    Quarta-feira: 21:00, Oração e Estudo Bíblico