O HOMEM PERFEITO

Jesus

JESUS

    
Nós podemos falar d’Ele tanto quanto desejarmos, e louvá-lO até ao limite da nossa capacidade sem sermos censurados pelo Céu por exagerarmos as Suas excelências.

 - Autor desconhecido

     O segredo do verdadeiro Cristianismo impressionante não se encontra em artifícios, regras ou fórmulas. Encontra-se numa Pessoa. Eu não sou mudado por poder identificar os meus problemas. O cego e o coxo nos dias de Jesus conheciam os seus problemas demasiado bem. A resposta foi encontrada no olhar para Ele. E assim é igualmente connosco, hoje. Quando contemplamos a glória do Senhor somos transformados na Sua imagem “de glória em glória”.


O HOMEM PERFEITO

    
O Senhor Jesus foi o único Homem perfeito que este mundo alguma vez já viu. Ele foi totalmente e sempre perfeito, aos olhos de Deus e diante dos homens – perfeito nos pensamentos, perfeito nas palavras, e perfeito nas acções. Nele reuniam-se todas as qualidades morais, e isto em perfeita proporção e manifestação. Nenhuma característica ou atributo predominava. No “Homem Cristo Jesus” estavam perfeitamente combinadas a majestade que intimidava e a docilidade que trazia perfeita tranquilidade na Sua presença. Os escribas e os Fariseus experimentaram as Suas repreensões severas, enquanto que a pobre Samaritana, e “a mulher que era pecadora” sentiram-se inexplicável e irresistivelmente atraídas a Ele.

     Nenhuma característica do Seu carácter empalidecia outra, pois todas se encontravam em proporção justa e excelente. Ele pôde dizer com referência às 5.000 pessoas famintas que O seguiam no deserto árido, “Dai-lhes vós de comer”, e quando estas estavam saciadas, Ele ordenou, “Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca”. N’Ele a liberalidade e a exiguidade são vistas ser igualmente perfeitas, não interferindo uma com a outra. Cada uma brilha na sua própria esfera.

      Ele não podia despedir uma multidão faminta, nem podia permitir que um único fragmento da provisão de Deus fosse desperdiçado. Ele satisfazia fartamente as necessidades dos homens com uma mão cheia e generosa, e quando acabava, podia ver todo o átomo não pretendido, de modo que nada facultado por Deus para a necessidade humana se perdesse.

     A mesma mão que estava amplamente aberta para toda a forma de necessidade humana estava firmemente fechada para toda a prodigalidade e perda. Na Sua medida de suprimento não havia nada económico, nem havia qualquer extravagância na forma da Sua provisão para a necessidade do homem. Nisto, como em tudo o mais em que o Senhor Jesus aparece, Ele é sempre absolutamente perfeito no Seu carácter e caminhos.

     Que lição há em tudo isto para nós! Quão frequentemente, connosco, a benevolência decide-se por perdas injustificáveis, enquanto por outro lado a nossa economia é tantas vezes estragada pela exibição de um espírito avarento e mesquinho. Às vezes os nossos corações egoístas recusam-se a abrir para suprir as necessidades que surgem, quando noutras ocasiões esbanjamos, através dum esbanjar extravagante e injustificado, aquilo que poderia suprir as necessidades de muitos semelhantes.

     Mas no nosso bendito Senhor não havia nenhum destes desequilíbrios. Ele era perfeito em tudo o que fazia e dava, e era igualmente assim no que recusava sancionar. Quão abençoado e refrigerante para a alma estar ocupado com Ele em todas as perfeições do Seu carácter e caminhos manifestados ao longo do Seu percurso terreno!

Era mesmo boa, a luz da criação,
Mas cedo empalideceu,
Quando veio a condenação
Do pecado que a entristeceu.

A luz que o Salvador irradiou
Era perfeita no seu iluminar,
Dando a todos que encontrou
Um glorioso e celestial brilhar.

É ela que alegra o santo Céu:
Nenhuma outra luz há além do véu;
Apenas a glória do Cordeiro
Ilumina o paraíso verdadeiro.

     Um artista desenhou o quadro de um crepúsculo invernal – as árvores cobertas de neve, e uma casa sombria solitária e desabitada no meio da tempestade. Era um quadro triste. Depois, com uma rápida pincelada de cor amarela, ele colocou uma luz numa janela. O efeito foi magnífico. Todo o cenário ficou transformado com o vislumbre de conforto e aconchego. A vinda de Cristo foi uma luz assim num mundo tenebroso.

Sermões e Estudos

CMO 10DEZ17
Alerta Pungente Duplo

Sermão proferido por Carlos M. Oliveira em 10 de dezembro de 2017

Simao Santos 01DEZ17a
Origem bíblica do dispensacionalismo

Sermão proferido por Simão Santos em 01 de dezembro de 2017

Teles
Depoimento e Súmula

Testemunho de José Teles em 02 de dezembro de 2017

Perguntas respostas
Perguntas e Respostas

Conferência Bíblica Dispensacionalista realizada 01-03 de dezembro de 2017

ver mais
 
  • Avenida da Liberdade 356 
    Quinta do Conde
  • geral@iqc.pt
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • Domingo: 10:00, Ceia do Senhor
    11:00, Pregação e Escola Dominical
    Quarta-feira: 21:00, Oração e Estudo Bíblico