• 1
  • 2
  • 3

Servindo entusiasticamente,
com amor e temor,

para em tudo te enriquecer em Cristo, em toda a Palavra, em todo o conhecimento (1 Coríntios 1:5).

Testemunhos

Pedro Cândido

Breve testemunho acerca de como se converteu a Cristo e de como tem sido a sua vida ao Seu lado.

José Jacinto Carvalho

Conversão significa mudar de vida e a minha vida mudou mesmo.

Jorge da Silva

Como a graça de Deus o conduziu à salvação em Cristo. Ouve o seu testemunho até ao fim.

Sermões e Estudos

CMO 10DEZ17
Alerta Pungente Duplo

Sermão proferido por Carlos M. Oliveira em 10 de dezembro de 2017

Simao Santos 01DEZ17a
Origem bíblica do dispensacionalismo

Sermão proferido por Simão Santos em 01 de dezembro de 2017

Teles
Depoimento e Súmula

Testemunho de José Teles em 02 de dezembro de 2017

Perguntas respostas
Perguntas e Respostas

Conferência Bíblica Dispensacionalista realizada 01-03 de dezembro de 2017

ver mais
 

NUNCA ASSUMAS, ou Como Responder aos Céticos

Respondendo aos céticos

     A maioria dos ateus assume várias coisas como sendo verdade. Por exemplo, eles assumem a existência da moralidade, da lógica e da consistência e coerência das leis da natureza. E, no entanto, de acordo com os seus próprios pressupostos, nenhuma dessas coisas deveria existir. Porém, existem! Permite-me que explique a razão dos seus pressupostos serem incompatíveis com uma visão do mundo que assume que só a matéria e a energia existem, ajudando o cético a ver a loucura da sua visão materialista ou naturalista do mundo. 1

Assumindo a moralidade

     A maioria dos céticos acredita na existência da moralidade. Na verdade, muitas vezes eles argumentam contra o Deus da Bíblia, afirmando que Deus é um monstro imoral por atos de juízo, como o Dilúvio global de Génesis. Mas que padrão têm eles para afirmar que Deus é imoral? Se a vida simplesmente evoluiu naturalisticamente da matéria e energia, então de onde é que vêm as leis imateriais da moralidade? E quem estabelece essas leis? O governo? A sociedade? O indivíduo? Se é o governo, então, um governo não pode chamar às ações de outro governo de erradas. Se assim fosse teria estado Hitler errado ao tentar exterminar os judeus? Se é a sociedade, então, deparam-se com o mesmo problema. Não podem olhar para uma sociedade canibal e afirmar que o que essas pessoas fazem é errado, pois tal sociedade aprova a prática. É o indivíduo? Se for este o caso, e assassinar e roubar são práticas corretas para mim, então porque é que eu não devo roubá-lo e assassina-lo? Não me podem dizer que é errado! Será simplesmente errado para si.

     Cada um desses cenários é, em última análise, inconsistente, incoerente, e o mundo não pode funcionar com base em tais padrões arbitrários de moralidade. Nós todos sabemos intuitivamente que essas coisas estão erradas, porque Deus escreveu a Sua lei nos nossos corações (Romanos 2:15). Mas, numa visão evolucionista do mundo, não existe um padrão absoluto de moralidade e não há qualquer razão para que alguém deva sequer ter um senso de certo e errado uma vez que a moralidade é imaterial. Afinal, se os seres humanos são simplesmente animais superiormente evoluídos, porque nos devemos preocupar com o mal? Não é a sobrevivência do mais forte que conduz a evolução? E se roubar e assassinar me ajuda a sobreviver melhor, porque não devo roubar e matar? Quando confrontado com estas questões, é provável que o cético tente apresentar uma razão, mas tal não se baseia na verdade absoluta, porém em opiniões de indivíduos. Fora do padrão de Deus, cada um faz o que é certo aos seus próprios olhos.


Assumindo a Lógica

     Os céticos também assumem a existência da lógica e usam-na para armar os seus argumentos. Mas, num universo naturalista aleatório, porque é que leis imateriais de lógica devem existir? De onde é que vêm e porque é que se aplicam sempre em toda a parte de todo o universo? Num universo naturalista não há explicação para leis de lógica que não sejam arbitrárias, e no entanto existem e todos as usam.


Assumindo as Leis da Natureza

     Os céticos enfrentam ainda outro problema. Eles assumem que existem leis da natureza e que elas são consistentes. Na realidade, para se poder fazer no presente a observação do método científico, é preciso assumir que as leis da natureza não mudam amanhã. Nós só podemos fazer experiências, fazer previsões, e repetir essas experiências e obter os mesmos resultados, porque as leis da natureza não mudam de dia para dia. Elas são imateriais e constantes em todo o universo. Mas, porque razão? Como podemos ter a certeza de que amanhã a lei da gravidade não mudará simplesmente de forma aleatória? Se estas leis naturais são simplesmente o resultado de processos naturais, aleatórios, então porque é que se mantêm consistentes, coerentes? E como é que as leis imateriais da natureza vêm à existência num universo material, naturalista? Os secularistas não têm nenhuma explicação lógica para a existência destas leis e no entanto assumem a sua existência quando negam que Deus é o único que as estabelece.


A visão Bíblica

     Tudo isto - moralidade, lógica e leis da natureza -, só existem porque a Bíblia é verdadeira e porque o Criador, Deus da Bíblia, existe. Nós temos leis de moralidade, porque há um Legislador que nos deu uma base sólida para a moralidade na Bíblia, a Sua revelação para nós. Nós temos leis de lógica, porque existe uma Mente por detrás do universo e as leis da lógica são um reflexo da Sua imagem em nós (Génesis 1:27). As leis naturais são consistentes porque há um Criador que fez essas leis naturais e que sustenta constantemente o universo (Hebreus 1: 3). Portanto, devemos esperar que as leis da natureza sejam constantes (Génesis 8:22).

     Estas coisas só podem existir numa cosmovisão bíblica. Não há nenhuma explicação para essas leis imateriais numa cosmovisão naturalista. E no entanto o ateu tem de assumir estas coisas, para argumentar contra a cosmovisão Cristã. Isto é como alguém que não acredita no ar, argumentar contra a existência do ar. Mas tem de usar o ar quando respira e fala para argumentar, e usa o ar para que o seu argumento chegue aos ouvidos dos seus ouvintes. Para argumentar contra a existência do ar ele tem de assumir a existência do ar! Passa-se o mesmo com os que argumentam contra uma cosmovisão Cristã. Quer eles reconheçam quer não, eles assumem que o Cristianismo é verdadeiro, para argumentarem contra ele. O facto de eles não conseguirem justificar suficientemente estas e outras ideias a partir da sua própria visão do mundo, demonstram que ela é internamente inconsistente e não satisfaz no teste de ser um fundamento racional sustentável. Por último, eles usam as próprias mentes e o ar que lhes foram dados por Deus para argumentarem contra a Sua existência.

__________________________________
1 A maioria dos ateus e muitos céticos na Bíblia acreditam que o universo é feito de apenas matéria e energia. Essa visão do mundo é conhecida como materialismo ou naturalismo, uma vez que parte do princípio de que tudo no universo pode ser explicado em termos de matéria e energia em interação. Como consequência, as coisas que são imateriais não devem existir nesta visão do mundo. Um outro ponto de vista, o humanismo, está relacionado, mas muitos humanistas reconhecem um aspecto espiritual ou imaterial do homem, mas mantêm que o homem é a medida de todas as coisas.

Ler também:
Respondendo aos céticos


     Fonte:
 “Answering the Skeptics” (Repsondendo aos Céticos) 
por Avery Foley e Ken Ham em April 21, 2015 
(ver  https://answersingenesis.org/apolog…/answering-the-skeptics/ )

FRUINDO DA ADMIRÁVEL GRAÇA DE DEUS,
A NOSSA MISSÃO É AJUDAR TODOS 
A USUFRUIR DA MESMA GRAÇA.

"... vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão" (2 Coríntios 6:1).
Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus ... (Efésios 3:2)
"... que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar
a ação de graças para glória de Deus" (2 Coríntios 4:15).
"Porque pela graça sois salvos ..." (Efésios 2:8).

  • Avenida da Liberdade 356 
    Quinta do Conde
  • geral@iqc.pt
  • 966 208 045
    961 085 412
    939 797 455
  • Domingo: 10:00, Ceia do Senhor
    11:00, Pregação e Escola Dominical
    Quarta-feira: 21:00, Oração e Estudo Bíblico